sexta-feira, Setembro 28, 2012

Coxas de Frango Saborosas (com) Vaqueiro

É raro mas acontece. Não saber o que cozinhar, mas principalmente não ter grande vontade de cozinhar. Querer que o jantar apareça magicamente á minha frente sem mais nada. Contam-se pelos dedos de uma mão as vezes que isto me acontece durante o ano. Mas foi assim que aconteceu. Sem vontade e sem ideias nenhumas para cozinhar umas coxas de frango. Até que me lembrei da oferta que a Vaqueiro me tinha feito. Caixinhas de Vaqueiro com temperos: um para bifes, com alho e 3 pimentas, outro para porco com alho, pimentão, louro e alecrim e outra ainda para aves com tomilho, limão e alho. Sem ideias, sem vontade e com um tempero vaqueiro especial para aves, ficou decidido o jantar. E se por um lado raramente uso produtos pré feitos ou preparados, confesso que neste dia de preguiça e cansaço, foi a melhor solução que podia ter arranjado com um resultado final mais agradável e saboroso do que umas simples coxas grelhadas.
 
(Mas os senhores da Vaqueiro não foram só simpáticos para mim e incumbiram-me de oferecer 3 cursos de cozinha na Academia dos Sabores Vaqueiro – cada curso para 2 pessoas - aos queridos leitores deste blogue. Para ganharem um destes cursos só têm de criar uma receita original usando um dos novos temperos Vaqueiro, e fazerem gosto na página do facebook da Vaqueiro, em http://www.facebook.com/vaqueiro.pt. Todas as receitas deverão ser publicadas com foto na página do facebook do blogue As Minhas Receitas e cada pessoa só pode participar com uma receita. A melhor receita com cada um dos novos temperos ganhará um  curso de cozinha para 2 pessoas. O passatempo começa hoje e terminará na próxima sexta-feira, dia 5 de Outubro.)

Ingredientes para 2 pessoas:

2 coxas de frango (ou pernas de frango)
2 colheres de sobremesa de Vaqueiro ideal para Aves com tomilho, limão e alho
1//2 limão
Sal q.b.
Pimenta q.b.
Raminhos de tomilho fresco q.b.

Preparação:

Barre generosamente as coxas de frango com o tempero vaqueiro para aves e coloque as coxas de frango numa assadeira. Acrescente um pouco de sal e pimenta e a raspa da casca do limão. Junte depois os raminhos de tomilho e tape bem com papel de alumínio de modo a que o vapor não se escape durante a cozedura. (Não é preciso acrescentar líquido!)
Leve depois ao forno pré aquecido a 180ºC durante cerca de 30 minutos. Ao fim desse tempo retire o papel de alumínio e deixe as coxas tostarem uns minutos até ficarem douradas.
Sirva com umas batatinhas salteadas e uma salada.

Bom Apetite!

quinta-feira, Setembro 27, 2012

Bolinhos de Banana e Chocolate

Outubro está a chegar e tivemos finalmente um dia de chuva. Muita chuva e um dia cinzento daqueles dias que eu já tinha saudades. Dos dias de chuva para fazer bolos, beber chá quente e ouvir a chuva forte a bater na janela. Depois dos dias quentes - para mim demasiado quentes - chega agora o outono e o frio. Reconheço que sou  uma pessoa mais de frio do que de calor. Que prefiro a lareira ao ar condicionado. Os arrepios ao suor, o chá quente ao chá gelado.
Porque entretanto estamos no outono e eu fiz os primeiros bolinhos numa tarde de chuva, para celebrar a sua chegada.

Ingredientes para 4 bolinhos:
(adaptado de “Simple Honest Food” – Bill Granger, pág. 133)
chávena usada com 225ml de capacidade

1 chávena de farinha
1 colher de chá de fermento em pé
100g de manteiga amolecida
½ chávena de açúcar
2 bananas maduras
1 ovo
½ colher de chá de extrato de baunilha
½ chávena de chocolate negro partido em pedacinho

Preparação:

Numa taça misture a farinha e o fermento. À parte misture a manteiga com o açúcar, as bananas previamente esmagadas, o ovo, a baunilha e os pedaços de chocolate. Junte agora as duas misturas, mas tenha cuidado para não misturar demasiado pois esta massa não deve ser muito trabalhada.
Coloque agora a massa em forminhas de bolo (se não tiver use formas de queques, por exemplo ou ramequins) previamente untadas e polvilhadas e leve ao forno já aquecido a 180ºC durante cerca de 20 a 25 minutos.
Retire do forno e deixe arrefecer sobre uma grelha.

Bom Apetite!

quarta-feira, Setembro 26, 2012

Bolinhos de Peixe à Tailandesa

Receitas diferentes para comer peixe, principalmente a pescada, são sempre bem vindas. Esta andava para experimentar há já algum tempo. Uma receita da Donna Hay e com sabores tailandeses  tem tudo o necessário para eu gostar. Um dia experimento esta receita, dizia eu. Pois hoje foi o dia.

Ingredientes para 2 pessoas:
(adaptado de “fast, fresh, simple.” – Donna Hay, pág.134)

250g de filetes ou lombos de peixe branco, como pescada ou maruca, em cru
1 colher de chá de gengibre fresco ralado
1 colher de sopa de molho sweet chilli (receita aqui)
2 colheres de sopa de coentros frescos picados
1 clara de ovo
Sal q.b.

Preparação:

Coloque o todos os ingredientes no robot de cozinha e tempere com um pouco de sal. Triture até ficar com uma mistura homogénea. Divida a mistura em pequenas bolas e achate-as depois ligeiramente para formar uma espécie de hamburguers pequenos. (O melhor é humedecer as mãos com um pouco de água antes de moldar as bolinhas para que não se agarrem.)
Numa frigideira coloque um fio de óleo vegetal  e deixe aquecer. Frite os bolinhos de peixe de ambos os lados até que fiquem crocantes e dourados. Sirva com um pouco de arroz jasmim e uma salada.

Bom Apetite!

terça-feira, Setembro 25, 2012

Embrulhos de Salmão com Queijo e Coentros

Penso muitas vezes se a vida, e tudo o que nos acontece ao longo dela, não estará suspenso numa ”balança”. Ou seja que não podemos ter só coisas boas ou só coisas más, e se um dos pratos começa a ficar muito pesado, nada como acontecimentos ou momentos, bons ou mau depende do caso, para o equilibrarem. Porque não há nada sempre perfeito ou sempre bom. Nem vidas e momentos sempre maus, dolorosos e tristes. Mas eu acredito que o prato da balança, mais tarde ou mais cedo encontra o seu equilíbrio. Que por coisas menos boas somos compensados com outras mais animadoras. Ou que nos somos felizes em algo para compensar a infelicidade de outros momentos. Eu gosto de pensar assim. Que nem tudo é demasiado bom ou demasiado mau, mas apenas o equilíbrio da balança da nossa vida.
Há também um equilíbrio delicioso nesta receita de salmão: entre a simplicidade e o sabor, a rapidez e o aspeto. Espero que gostem.

Ingredientes para 2 pessoas:

2 folhas de massa filo
2 lombinhos de salmão
4 colheres de sopa de coentros frescos picados
2 colheres de sopa bem cheias de mascarpone ou de queijo creme
1 limão
Sal e pimenta q.b.
Gengibre fresco q.b.
Azeite q.b.

Preparação:

Numa taça coloque o mascarpone ou o queijo creme  e junte-lhe os coentros frescos picados. Tempere com um pouco de sal e pimenta, raspa da casca do limão e um pouquinho de gengibre fresco ralado. Misture bem até formar uma pasta e reserve.
Tempere depois os lombinhos de salmão com um pouco de sal e pimenta. Pincele as folhas de massa filo com um pouco de azeite e dobre-as ao meio. No centro de cada uma coloque o lombo de salmão e sobre este metade da mistura de queijo e coentros. Feche os embrulhos como se fossem umas trouxas e coloque num tabuleiro forrado com papel vegetal.
Leve ao forno já aquecido a 180ºC durante cerca de 25 minutos até a massa estar dourada e crocante  e o salmão cozinhado.
Sirva os embrulhinhos com uma salada.

Bom Apetite!

segunda-feira, Setembro 24, 2012

Rolo Folhado de Maçã com Mirtilos

Muitas das vezes, o que mais me custa decidir para um jantar ou almoço são as sobremesas. E se como “convidado” tiver o meu cunhado Luís (que é um querido mas, digamos, tem um grande problema com laticínios e os seus derivados) há logo um sem número de coisas que estão fora de questão. Nada de sobremesas com leite, natas, leite condensado, mascarpone, queijo creme e iogurtes, o que me limita (muito!) a escolha. Mas ao mesmo tempo é um desafio tentar fazer algo diferente e ao mesmo tempo saboroso. Muitas vezes o chocolate tem um lugar de destaque, mas desta vez foi um rolo folhado de maçã e mirtilo que servido ainda morno com uma bola de gelado para quem quis, foi um sucesso.

Ingredientes:

5 maçãs (usei golden)
75g de mirtilos (usei congelados)
1 base de massa folhada pronta a usar
4 colheres de sopa de açúcar amarelo
2 colheres de sopa de manteiga derretida
1 gema
Açúcar demerara ou cristal para polvilhar (ou outro)

Preparação:

Descasque as maçãs e retire-lhes os caroços com um utensílio próprio. Com a mandolina, ou uma faca afiada, corte fatias muito fininhas de maçã (quase transparentes, é por isso que é mais fácil usar a mandolina).
Leve depois uma frigideira grande e anti-aderente ao lume. Junte a manteiga, o açúcar amarelo e acrescente as maçãs deixando saltear um pouco. Acrescente depois os mirtilos e deixe cozinhar em lume brando até as maçãs estarem cozinhadas mas ainda crocantes. Por causa dos mirtilos a mistura terá uma linda cor arroxeada. Retire do lume e deixe arrefecer.
Estenda a massa folhada (usei uma massa redonda) e coloque a mistura de maçã e mirtilo, já fria, no meio da massa, ao comprido. Dobre as duas pontas sobre a massa, e faça cortes em forma de tiras nas bordas laterais. Vá dobrando depois essas tiras alternadamente sobre o recheio de modo a fazer um efeito cruzado. (Se não quiser ter este trabalho, dobre apenas as bordas laterias da massa sobre o recheio.)
Pincele com a gema de ovo batida e salpique com o açúcar cristal. Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC até a massa folhar e estar dourada, cerca de 40 minutos.
Sirva o rolo ainda morno com uma bola de gelado de baunilha ou frutos vermelhos.

Bom Apetite!

sexta-feira, Setembro 21, 2012

Muffins de Cenoura e Courgette e Carryon

Agora, que o ano letivo já começou ou está prestes a começar, que Setembro vai já adiantado e já quase ninguém pensa em férias mas apenas no regresso ao trabalho, é uma boa altura para implementar novas medidas no nosso dia-a-dia.
Se há por aí quem ainda não leve marmita para o trabalho ou para a escola, há também muitas pessoas que já se renderam. Não só por causa da questão monetária, mas também porque podem comer de forma mais saudável, porque podem evitar o desperdício de comida e porque é também uma forma diferente de aproveitar a hora de almoço, quer no convívio com os colegas de trabalho ou escola e de podem fazer outras coisas no tempo que resta depois do almoço.
Quase desde que comecei a trabalhar levava marmita para o trabalho. Muito porque as pessoas com quem trabalhava o faziam e porque havia micro-ondas e frigorífico para todos. E era sempre uma forma de evitar gastar dinheiro a comer fora ou gasóleo a ir comer a casa. E já havia quem pensasse assim muito antes da crise. Só tenho pena de na altura não ter uma lancheira prática, gira e de qualidade como esta que a Carryon me ofereceu agora. Claro que me vai ser muito útil de cada vez que tenho de sair de casa e continuo a levar os meus lanchinhos, a água, os iogurtes, a fruta ou as bolachas. E uma lancheira como esta poderá ser útil para todos, dos pais aos filhos, para levar para a escola ou para o trabalho, em viagem ou nos lanches para o parque durante o fim de semana. Melhor ainda é um projeto português idealizado por pessoas empreendedoras. Saibam mais em www.carryon.pt ou na página do facebook http://www.facebook.com/carryonhandbag. Nunca se sabe se estão a precisar de uma lancheira nova para o trabalho.
E, se quiserem um miminho para a vossa marmita, ou para a marmita dos miúdos, que tal estes muffins doces cheios de vegetais?

Ingredientes para 12 muffins grandes:
(adaptado de “Confeitaria Hummingbird – Receitas de Sonho” pág. 117)

2 ovos
200g de açúcar amarelo
80ml de óleo de girassol
260g de farinha sem fermento
2 colheres de sopa de fermento em pó
2 colheres de sopa de canela em pó
1 iogurte de maçãl (120g) – no original natural
½ colher de sopa de essência de baunilha
120g de avelãs (ou nozes ou amêndoas)
250g de cenoura crua ralada
120g de courgete crua ralada

Preparação:

Coloque os ovos, o açúcar e o óleo numa taça e com a batedeira, bata na velocidade baixa até tudo ficar bem ligado. Noutra taça peneire a farinha, o fermento em pó e a canela, misturando em seguida à mistura de ovo. Bata novamente até tudo estar bem incorporado.
Acrescente agora o iogurte, a essência de baunilha e as avelãs. Misture bem e junte finalmente a cenoura e a courgette ralada. Envolva tudo muito bem, agora com a colher de pau.
Forre formas de queques, ou um tabuleiro de queques, com forminhas de papel frisado. Encha as forminhas até 2/3 com a mistura anterior. E leve ao forno pré aquecido a 180ºC cerca de 30 minutos até os queques estarem dourados e cozinhados.
Retire do forno e deixe arrefecer sobre uma grelha.

Bom Apetite!

quinta-feira, Setembro 20, 2012

Tostinhas de Presunto com Ovinhos

Não consigo resistir a comida pequenina. Adoro tudo o que é servido em forma de canapés, tapas individuais, tacinhas pequenas. Talvez por isso goste tanto de ovinhos de codorniz pois são uma “comida pequenina” e ficam sempre amorosos em qualquer mesa. A ultima entrada servida foram estas tostinhas com presunto e ovo de codorniz estrelado. Dá algum trabalho, mas nunca nos podemos esquecer que os olhos também comem….

Ingredientes para 6 pessoas (como tapas):

½ baguete
12 ovinhos de codorniz
3 fatias finas de presunto
Sal q.b.
Azeite
Salsa picada

Preparação:

Corte a baguete em fatias com cerca de o,5cm de espessura e coloque-as num tabuleiro. Regue com um fio de azeite e leve ao forno quente para tostarem um pouco.
Corte a cada uma das fatias de presunto em 4 pedaços do mesmo tamanho e reserve.
Leve uma frigideira anti-aderente ao lume com um fio de azeite. Com uma faca de serrilha corte os ovinhos de codorniz (são a melhor forma de os abrir, o que não é muito fácil) e frite os ovinhos de codorniz, temperando-os com umas pedinhas de sal.
Sobre cada tostinha coloque um pedaço de presunto e sobre o presunto um ovinho de codorniz. Salpique com salsa picada antes de servir.

Bom Apetite!

quarta-feira, Setembro 19, 2012

Rolinhos de Lombarda e Chouriço

A melhor maneira de começar uma refeição entre amigos ou família é sempre com alguns petiscos e tapas diversificados. Nem sempre acontece ter tempo ou vontade de preparar estas coisas, mas há dias em que me sinto particularmente inspirada. Foi o caso deste ultimo jantar em que também houve uns rolinhos de inspiração oriental mas com sabores bem portugueses. Acabei por fazer uma versão mini, mas indicada para entrada, mas também é possível fazer em versão “normal” e servir com um pouco de arroz e uma salada verde para uma refeição completa.

Ingredientes para 12 rolinhos:

2 folhas de massa filo
1 couve lombarda pequena (cerca de 350g)
1 chouriço alentejano de boa qualidade
1 cenoura pequena
2 dentes de alho
Sal e pimenta q.b.
Azeite q.b.

Preparação:

Lave e descasque a cenoura e retire a pele ao chouriço. Coloque no robot de cozinha a cenoura, o chouriço e os dentes de alho descascados e pique-os grosseiramente, de modo a que não fique muito desfeito.
Entretanto com uma mandolina (ou com uma faca, se preferir) corte a couve lombarda em Juliana muito fininha. Lave bem a couve e seque-a.
Leve uma frigideira ao lume com um pouco de azeite. Acrescente a mistura de cenoura e chouriço deixando saltear um pouco. Acrescente depois a couve lombarda e deixe saltear até a couve estar cozida mas ainda crocante. Retifique de sal e pimenta e deixe arrefecer.
Corte agora cada uma das folhas de massa filo em 3 tiras, e cada uma das 3 tiras ao meio de modo a ficar com 12 retângulos de massa para rechear (com cada folha vai conseguir fazer 6 rolinhos).
Pincele cada retângulo de massa com um pouco de azeite e coloque um pouco do recheio de couve e chouriço na extremidade da massa. Dobre depois para dentro cerca de 0,5cm de cada um dos lados do retângulo de massa e enrole depois para formar os rolinhos. Repita até esgotar os ingredientes.
Frite-os depois em óleo quente ou leve ao forno até que a massa fique crocante e dourada.
Sirva mornos.

Bom Apetite!

terça-feira, Setembro 18, 2012

Tapas de Petinga e Tomate

Enquanto há calor, vão-se mantendo os jantares na varanda. Desta vez com os habituais dos nossos “Sábados a 6” que às vezes acontecem à sexta-feira. Com coisinhas para ir petiscando enquanto as caipirinhas vão saindo e se começa o fim de semana da melhor maneira possível.
Desta vez havia petingas fritas sobre tostinhas com tomate caseiro que fizeram as delícias dos meus amigos. E entre outras coisas foi assim que começou a refeição.

Ingredientes para 6 pessoas (como tapas):

18 petingas (já limpas)
3 tomates chucha maduros
½ baguete
Azeite q.b.
Sal e pimenta q.b.
Farinha de milho q.b.

Preparação:

Corte a baguete 18 fatias com cerca de 0,5cm de espessura e coloque-as num tabuleiro. Regue com um pouco de azeite e leve-as ao forno quente para tostarem ligeiramente por fora para que fiquem crocantes.
Entretanto corte o tomate em fatias e tempere com um pouco de azeite, sal e pimenta. Reserve.
Seque bem as petingas e tempere-as com sal. Passe-as depois por farinha de milho e frite-as em óleo quente até que fiquem douradinhas. Escorra sobre papel absorvente.
Para montar as tapas, coloque uma fatia de tomate sobre cada fatia de baguete e por cima deste uma petinga frita. Disponha as tapas num prato e regue com um fio de azeite antes de servir.

Bom Apetite!

segunda-feira, Setembro 17, 2012

Batido Cremoso de Mirtilo e Banana

Eu gosto de estabelecer rotinas. Por vezes pode parecer difícil, mas ao fim de algum tempo acabamos por, entrar na rotina. Já não custa tanto fazer exercício, ou acordar cedo, ou trabalhar segundo um horário estabelecido. É, na verdade uma questão de hábitos. E eu tenho vários, uns melhores do que outros. Um dos meus preferidos é o pequeno almoço de sábado. Vagaroso, na varanda com coisas acabadas de cozinhar e preparar. Algo que parece estranho a muitos, o facto de acordar e ir cozinhar panquecas, ovos ou qualquer outra coisa. Mas nós gostamos e faz parte da minha/nossa rotina de fim de semana.
E desta vez houve um batido de mirtilos e banana para dar energia e começar bem o dia!

Ingredientes para 2 pessoas:

1 banana pequena
75g de mirtilos (usei congelados)
1 iogurte de pedaços de morango (mas podem usar natural)
250ml de leite

Preparação:

Descasque e corte a banana em pedaços. Coloque no copo misturado ou num copo alto e misture os mirtilos, o iogurte e o leite. Bata com a varinha mágica ou com o copo liquidificador até obter uma mistura cremosa e lisa.
Coloque em copos e sirva de imediato.

Bom Apetite!

sexta-feira, Setembro 14, 2012

Frango com Cerveja e Sopa de Rabo de Boi


Tenho muitas e boas recordações dos dias que passava no Buçaco em casa da tia São com a minha amiga Rita e a irmã. Todos os anos, durante as férias grandes, havia sempre uns dias que eram passados lá. Conheço a mata do Buçaco quase como a palma da minha mão. Todos os dias havia caminhadas, algumas até ao Luso, passeios e piqueniques. Havia banhos na “piscina” de água sempre gelada e de onde saíamos a tiritar de frio, apesar de o tio dizer sempre que a água estava soberba. Ainda hoje adoro ir até ao Buçaco e de cada vez que entro naquela casa tenho sempre uma sensação de alegria pelos momentos lá passados.
Nesses dias de férias que por ali passávamos era hábito a tia São preparar uma receita de que todos gostávamos: este simples frango com cerveja e sopa rabo de boi.
Acho que já nem me lembrava desta receita até a tia São me ter voltado a recordar dela. E agora, que o fim de semana está a chegar, que tal aproveitar para a preparar e, quem sabe poder conhecer a Mata do Buçaco. É que se ainda não conhecem estão a perder um dos muitos sítios fantásticos que o nosso país tem!

Ingredientes para 4 pessoas:

1 frango partido em pedaços
1 sopa instantânea de rabo de boi
1 cerveja (330ml)

Preparação:

Numa panela coloque a cerveja e junte a sopa instantânea misturando bem para dissolver. Acrescente depois o frango partido e leve a cozinhar em lume brando até o frango estar macio. Se achar que o molho está a ficar demasiado grosso junte golinhos de água, mas normalmente não costuma ser necessário.
Sirva com arroz branco ou puré de batata e uma salada verde.

Bom Apetite!

quinta-feira, Setembro 13, 2012

Feijão Verde Estufado com Tomate

Agora que o feijão verde caseiro está quase a chegar ao fim, é que descubro uma receita deliciosa que poderá ter o condão de fazer de todos aqueles que dizem não gostar de feijão verde, olharem para ele com outros olhos. Não é esse o caso cá em casa, mas o que é certo é que o feijão verde preparado assim tem um sabor completamente diferente.
A origem da receita é italiana e vi-a num dos meus programas de culinária favoritos, o “Extra Virgin”, que passa no canal food network, onde a atriz Debie Mazar e o marido Gabriele, de origem italiana, cozinham comida despretensiosa, na cozinha da sua casa, para a família e para os amigos. Um programa e uma receita a não perder!

Ingredientes para 2 pessoas:

300g de feijão verde
4 tomates chucha
4 dentes de alho
Azeite q.b.
Sal e pimenta q.b.

Preparação:

Lave a arranje o feijão verde. Se necessário retire-lhe o fio e corte-o depois ao meio no sentido longitudinal. Prepare também o tomate, lavando-o e cortando-o depois em pequenos pedaços.
Numa frigideira anti-aderente coloque um fundo generoso de azeite e acrescente os dentes de alho picados grosseiramente. Deixe começar a quererem fritar e acrescente depois o tomate partido. Misture bem, reduza o lume e tape a frigideira com uma tampa, deixando o tomate amolecer durante uns minutos.
Junte agora o feijão verde já arranjado e tempere com sal e pimenta. Não é necessário acrescentar água ou outro líquido. Envolva o feijão verde no tomate e tape novamente a frigideira deixando continuar a cozinhar em lume brando até o feijão verde estar macio.
Sirva depois como acompanhamento de carnes.

Bom Apetite!

quarta-feira, Setembro 12, 2012

Robalo ao Vapor com Sabores Tailandeses

A minha paixão por sabores asiáticos leva-me a ter em casa alguns ingredientes menos comuns. Por aqui há molho de peixe, molho de ostra, molho teriaki, lemongrass, óleo de sésamo entre outras coisas. E depois há livros com receitas asiáticas e muitas experiências na cozinha.
Eu gosto muito dos sabores portugueses e da nossa comida tradicional. Mas isso não me impede de gostar mesmo muito de experimentar coisas novas. De comer sushi, de fazer um jantar de fajitas mexicanas, de preparar um prato de inspiração marroquina. De comprar quase todas as especiarias e ingredientes mais exóticos que vou encontrando. De adaptar receitas que não fazem parte da nossa cultura nem experiência gastronómica mas que são muitas vezes surpresas muito saborosas. Experimentar coisas novas e cozinhar coisas diferentes não é não amar o que é nosso e o que é português. É aprender. É viajar através de sabores. É alargar horizontes. É construir uma “cultura gastronómica”. (Melhor ainda quando podemos apreciar novas gastronomias in loco.)
Muitas vezes ouço comentários de que “eu gosto é de comidinha portuguesa”, “isso não é comida a sério”, “lá estás tu a inventar” ou “eu não como nada dessas coisas esquisitas”. E que tal darmo-nos uma oportunidade a experimentar outras coisas?

Ingredientes para 2 pessoas:
(adaptado de “Gordon´s Great Escape – Southeast Asia” – Gordon Ramsay – pág. 193)

2 robalos pequenos arranjados
Sal e pimenta q.b.
3 colheres de sopa de molho de soja
1 colher de sopa de molho de peixe (existe à venda em lojas de produtos asiáticos mas também é fácil de encontrar na secção de produtos internacionais dos supermercados como o Jumbo ou o Supercor)
1 cebola pequena
1 pé de lemongrass (ou citronela ou erva limeira – encontra-se à venda, para além das lojas de produtos asiáticos, na Makro e também já vi na área das ervas aromáticas do Continente – podem comprar e congelar para quando precisam)
1 lima
1 cenoura
2 dentes de alho
1 pedacinho de 2cm de raiz de gengibre
Óleo vegetal q.b.
½ malagueta vermelha chilli
2 colheres de sopa de coentros frescos picados
1 colher de sopa de manjericão

Preparação:

Lave o peixe e seque-o bem com um pano de cozinha limpo ou com papel de cozinha. Faça uns pequenos golpes na pele do peixe, de ambos os lados e tempere com um pouco de sal e pimenta.
Numa taça misture o molho de soja com o molho de peixe, acrescente a cebola cortada bem fininha, a cenoura em juliana fina, o pé de lemongrass também cortada fininho, os dentes de alho picados, o gengibre ralado e a raspa e sumo da lima. Misture bem.
Unte com um fio de óleo vegetal (não use azeite pois altera o sabor que pretende uma vez que não é usado na cozinha asiática) uma folha de papel de alumínio ou de papel vegetal. Coloque os robalos sobre o papel (ou faça um papelote individual para cada um) e regue com a mistura preparada anteriormente. Feche bem o papelote de modo a que nem o tempero nem o vapor se escapem durante a cozedura.
Coloque depois o papelote num tabuleiro e leve ao forno pré aquecido a 180ºC durante cerca de 20 a 25 minutos.
Misture agora noutra taça os coentros frescos picados, o manjericão e a malagueta cortada fininha. Reserve.
Para servir coloque o peixe numa travessa de servir e polvilhe com a mistura de ervas frescas e malagueta.

Bom Apetite!

terça-feira, Setembro 11, 2012

Rolinhos de Beringela com Requeijão e Espinafres


A receita andava debaixo de olho há algum tempo e, ao ver as beringelas no mercado biológico achei que eram perfeitas para acabar nesta receita. Em casa havia um requeijão congelado - sim, o requeijão pode perfeitamente ser congelado se depois for para comer não "ao natural" mas sim nas diversas preparações culinárias. Havia ainda os ultimos espinafres dos avós e o molho de tomate caseiro que tinha preparado uns dias antes.
Tudo estava alinhado para que a receita fosse finalmente preparada. O Miguel, que torce um bocadinho o nariz à beringela comeu e repetiu. Eu achei delicioso e sei que vou repetir em breve.

Ingredientes para 2 pessoas:
(adaptado da revista Goodfood UK edition Julho de 2012, pág. 24)

1 beringela média
100g de requeijão de Seia
100g de folhas de espinafres
Molho de tomate q.b. (usei caseiro, desta receita, mas podem usar de compra)
sal e pimenta q.b.
noz moscada q.b.
azeite q.b.
1 colher de sopa de pão ralado
queijo parmesaõ q.b.

Preparação:

Lave a beringelase corte-a em fatias de cerca de 0,5cm no sentido do comprimento. Pincele-as com um pouco de azeite e leve-as a cozinhar na chapa ou numa frigideira anti aderente até ficarem maleáveis e douradas. Retire e reserve.
Entretanto verta água a ferver sobre os espinafres (ou cozinhe-os alguns segundos no microondas), Deixe que murchem um pouco e depois escorra-os muito bem, apertando-os de modo a retirar o máximo de água possível. Numa taça esmague o requeijão com um garfo, acrescente os espinafres e tempere muito bem com pimenta, noz moscada e um pouco de sal se necessário.
Coloque depois um pouco da mistura de requeijão e espinafres numa fatia de beringela e enrole cuidadosamente como se fosse uma torta. Repita até esgotar os ingredientes e vá colocando os rolinhos num tabuleiro que vá ao forno.
Cubra depois com o molho de tomate e polvilhe com o pão ralado e com um pouco de queijo parmesão ralado na hora.
Leve ao forno pré- aquecido a 180ºC durante cerca de 15 minutos apenas para dourar um pouco o queijo e aquecer tudo por igual.
Sirva como um prato principal vegetariano ou como acompanhamento de, por exemplo, uns panadinhos de peru.

Bom Apetite!

segunda-feira, Setembro 10, 2012

Bruschetta de Pão de Centeio com Tomate e Coentros


Ao longo dos anos algumas pessoas me têm desiludido. Eu sei que acontece, que a culpa é também nossa que confiamos demasiado nessas pessoas, mas o que é certo é que nos desiludem sem estarmos a contar, sem estarmos preparados.Com outras pessoas até podemos saber que mais tarde ou mais cedo isso vai acabar por acontecer: há sinais que nos vão alertando para isso e basta estar um bocadinho atento. Mas com outras pessoas é tão inesperado, tão sem lógica, tão despropositado que começamos a pensar "o que será que eu fiz de mal".
Não sei se já vos aconteceu o mesmo, mas as desilusões que sofri serviram para me tornar mais alerta, mais cuidadosa e cautelosa na maneira como escolho os amigos e as pessoas que me rodeiam e, em alguns aspectos tornaram-me mais "dura" na maneira como me relaciono com as pessoas à minha volta. A conversa não vem a propósito de nenhuma desilusão, mas sim da falta que algumas dessas pessoas ainda me conseguem fazer sentir. Das vezes que ainda me lembro delas, e de como nenhuma vida complicada, agitada ou o trabalho servem de desculpa para deixar de cuidar as amizades e os nossos sentimentos....
O que não tem desiludido é a pequena horta na varanda. Já colhemos imensos tomates este verão, sem dúvida o que se tem dado melhor a par com as primeiras alfaces e os morangos. Os últimos tomates que apanhei acabaram preparados numas delicadas bruchetas para assim os podermos saborear em todo o seu esplendor. Descomplicado e sem desiludir, como todas as coisas (e pessoas) deviam ser.

Ingredientes para 2 pessoas:

4 fatias de pão de centeio (ou outro a gosto)
4 tomates chuchas pequenos
8 azeitonas pretas
2 colheres de sopa de coentros picados
sal e pimenta q.b.
vinagre balsâmico q.b.
Azeite q.b.

Preparação:

Lave os tomates e corte-os em cubinhos. Corte também as azeitonas em pedaços. Coloque tudo numa taça e tempere com os coentros frescos picados, azeite, vinagre balsâmico e sal e pimenta a gosto. Misture bem.
Entretanto, numa frigideira ou chapa anti-aderente, torre ligeiramente as fatias de pão. Regue-as depois com um fio de azeite e coloque-lhes a mistura de tomate.
Sirva como entrada ou como refeição ligeira.

Bom Apetite!

sexta-feira, Setembro 07, 2012

Frango Corado com Acelgas Salteadas e Avelãs



O fim de semana que passou teve novas e deliciosas experiências. Finalmente fomos ao Dona Especiaria com os amigos Rita e JP, conhecemos o fantástico chef Gil Edgar e tivemos um verdadeiro repasto. Um conceito diferente e inovador acente em produtos de qualidade, nacionais e sempre que possíveis biológicos. Não há ementa nem pressa. Para a mesa vem aquilo que o chef criou para o dia. Todos os dias há coisas novas e não há repetições. O chef Gil descreve cuidadosamente os pratos, a origem dos ingredientes e os vinhos que os acompanham.Explica as receitas, as técnicas e até partilha alguns segredos. É um tudo uma fantástica experiência, numa casa de (re)pasto na parte velha da cidade de Coimbra. Claro que temos de voltar um destes dias.
E inspirada pelo jantar, pelos ingredientes e pelo chef Gil, no sábado fui finalmente ao Mercadinho Biológico do Botânico (Jardim Botânico de Coimbra, todos os sábados, das 10h às 14h e terças das 17h às 20h). Para casa vieram uvas, ovos, uma lindas aboborinhas, pão de centeio, acelgas, cenouras, beringelas. E para o almoço houve frango corado com acelgas salteadas e avelãs numa cama de pão de centeio.
Agora, que o fim de semana está mesmo à porta, que tal irem até um mercado biológico (e se não tiverem nenhum mercado biológico próximo, vão apenas ao mercado!) Comprem ingredientes novos, experimentem combinações diferentes, inventem e explorem sabores. Aqui fica a minha sugestão para este fim de semana. E uma receita.

Ingredientes para 2 pessoas:

2 pernas de frango inteiras (perna e coxa)
1 cenoura
1 cebola
1 alho francês  - só parte verde
salsa q.b.
sal e pimenta q.b.
2 cravinhos
6 dentes de alho
1 raminho de tomilho fresco
azeite q.b.
1 folha de louro
150g de acelgas
30g de avelãs
2 fatias de pão de centeio para servir (opcional)

Preparação:

Numa panela junte a cenoura inteira e descascada, a cebola com os cravinhos espetados, a rama do alho francês, a salsa, o louro, o tomilho e o frango. Junte depois água até cobrir os os alimentos e tempere de sal e pimenta. Deixe cozinhar em lume brando até o frango estar bem cozinhado - cerca de 40 minutos.
Coloque depois um fundo de azeite numa frigideira , 4 dentes de alho esborrachados e  um pouco de tomilho. Deixe aquecer e junte depois o frango deixando-o corar bem de todos os lados, mantendo o lume brando.
Entretanto torre as avelãs numa frigideira anti aderente e parta-as depois em pedaços. Reserve,
Lave as acelgas e parte-as em pedaços. Leve uma frigideira anti-aderente ao lume com o azeite e os restantes dentes de alho picadinhos. Junte as acelgas e tempere-as com sal e um pouco de pimenta. Deixe-as saltear alguns minutos até estarem cozinhadas.
Sirva o frango corado sobre uma fatia de pão de centeio (ou com um pouco de arroz), juntamente com as acelgas salteadas e polvilhe tudo com as avelãs torradas.

Bom Apetite!

quinta-feira, Setembro 06, 2012

Copinhos de Curd de Limão e Queijo Fresco


Enquanto houver limões, há curd de limão. As possibilidades de o usar são mesmo muitas: em mousses, recheio e coberturas de bolos, tartes e crepes. Em gelados, triffles e para comer à colherada. Como acompanhamento de bolos simples e fruta fresca como os morangos.
Enquanto houver quem goste deste sabor cítrico, há sempre motivo para fazer curd de limão muitas e muitas vezes. E desta vez além dos limões havia também ovos caseiros, o que fazia com que fosse impossível não fazer uns frasquinhos. Depois do curd pronto, foi fácil preparar uma sobremesa em menos de nada. Com queijo fresco, em algo muito semelhante a um cheesecake, pelo menos nos ingredientes utilizados.
A par com o gelado de baunilha e os frutos vermelhos congelados, cá em casa há sempre sobremesa na mesa em minutos se houver um frasquinho de curd de limão.

Ingredientes para 2 pessoas:

4 colheres de sopa bem cheias de curd de limão (receita aqui)
1 clara
1 queijinho fresco (dos pequenos/individuais)
4 bolachas Maria
2 colheres de sopa de frutos vermelhos congelados
1 colher de açúcar em pó

Preparação:

Com um garfo ou com a varinha mágica esmague muito bem o queijinho fresco até ficar com uma papa. Bata a clara em castelo e misture depois cuidadosamente o curd de limão e o queijo fresco esmagado envolvendo bem e até obter uma espécie de uma mousse.
Entretabto pique ou esmague a bolacha maria e divida-a depois por dois copinhos transparente. Cubra depois com o creme de curd de limão e leve ao frigorífico (se tiver pressa ao congelador) a prender.
Misture os frutos vermelhos congelados com o açúcar em pó.
Antes de servir coloque uma colher de frutos vermelhos sobre os copinhos de curd de limão e sirva de imediato.

Bom Apetite!

quarta-feira, Setembro 05, 2012

Salada com Figos, Presunto e Parmesão

 
São os primeiros figos do ano, colhidos da figueira carregada do jardim, com a ajuda do sogro numa quente tarde de sábado. Alguns foram comidos ainda quentes pelo sol e aos outros trouxe-os para preparar uma salada leve que foi o nosso jantar na varanda.
Ao casamento perfeito de figos e presunto juntei a alface, para fazer volume, e o parmesão porque me pareceu bem. E estava bom, muito bom. Tal como a noite quente, a companhia perfeita e o vinho que acompanharam mais esta salada com figos.

Ingredientes para 2 pessoas:

6 folhas grandes de alface
6 figos pingo de mel
3 fatias finas de presunto
parmesão q.b.
azeite q.b.
vinagre balsâmico q.b.

Preparação:

Lave bem as folhas de alface, seque-as bem e arranje-as em pequenos pedaços. Disponha depois a alface numa travessa de servir. Lave bem os figos e corte-os ao meio dispondo-os sobre a alface. Junte também o presunto em pedaços e polvilhe tudo com parmesão ralado na hora.
Mesmo antes de servir regue com um fio de azeite e algumas gotas de vinagre balsâmico.

Bom Apetite!

terça-feira, Setembro 04, 2012

Bacalhau na Cataplana


A cataplana continua a ser muito usada cá em casa. De carnes, marisco, peixe, bacalhau ou com uma mistura de várias coisas, há sempre motivo e receitas para a usar. "Tacho" mais português era impossível e, tal como não há casa chinesa sem um wok, o mesmo deveria acontecer em Portugal com a cataplana. No entanto continua a ser pouco utilizada e há até quem nem a conheça de todo, não sabendo por isso as vantagens de cozinhar com uma cataplana. É rápida, preserva os sabores dos alimentos, pode ser bastante saudável e é nossa!
Desta vez foi o bacalhau que foi parar à cataplana, com tomate e pimentos e mais algumas coisas, onde os sabores muito portugueses foram soberanos!

Ingredientes para 2 pessoas:

2 postas grandes de bacalhau
4 tomates pequenos e maduros (ou quantidade equivalente)
1 pimento verde
2 batatas médias
1 cebola grande
2 dentes de alho
1 folha de louro
piri-piri q.b.
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.
coentros frescos q.b.

Preparação:

Lave bem os legumes. Descasque as cebolas e corte-as em rodelas, assim como as batatas que deverá cortar em rodelas grossas. Corte também o pimento e os tomates em pedaços e descasque os dentes de alho. Corte as postas de bacalhau ao meio.
Na cataplana disponha uma camada de cebola seguida por tomate e pimento. Acrescente as batatas e o bacalhau. Tempere com um pouco de sal e pimenta e coloque a restante cebola, pimento e tomate. Tempere com o piri-piri a gosto, acrescente os dentes e alho em laminas, a folha de louro e coentros frescos picados. Regue com um fio de azeite e leve ao lume brando a cozinhar cerca de 35 minutos.
De vez em quando,  agite cuidadosamente a cataplana.
Sirva polvilhado com coentros frescos picados e com uma salada de alface.

Bom Apetite!

segunda-feira, Setembro 03, 2012

Coxa de Peru Assada com Gengibre, Caril e Coentros


Setembro já começou. Chegou o mês dos (re)começos e dos (re)inícios. Poderá ser a altura ideal para estabelecer novos planos e objectivos. Para implementar as ementas semanais, para passar a levar sempre a marmita para o escritório, para deixar de fazer refeições desnecessárias fora de casa, para incutir nas crianças o habito de levar lanches de casa ou para passar a planear refeições em grande quantidade que sirvam quer para a marmita, quer para reaquecer, congelar ou "reciclar" em novas refeições.
Por isso vou tentar ajudar e a receita de hoje tem exactamente esses princípios. Pode ser temperada de véspera -e/ ou preparada durante fim de semana ou durante a semana enquanto se dão os banho e se ajuda nos trabalhos de casa. Serve para a refeição do dia e as sobras são perfeitas para a marmita do dia seguinte e até para uma sandes. As restantes sobras podem ainda ser aproveitadas para um empadão, umas empadas rápidas, um gratinado com espinafres, uma quiche ou simplesmente congelada e reaquecido para outro dia. Se a prepararem para o almoço de domingo e em maior quantidade, poderão guardar umas fatias para a marmita de segunda-feira e ainda ter um jantar criativo na segunda ou terça feira.
Começou setembro e o que será que pode começar a partir de uma coxa de peru assada.

Ingredientes para 4 pessoas (em mais do que uma refeição):

1 coxa de peru dessossada (peça no talho) com cerca de 1,5kg
4 dentes de alho
1 pedacinho de 2,5cm de raiz de gengibre
1/2 molho de coentros frescos
1 colher de sopa de caril em pó
1 cebola grande
50ml de vinho branco
1 colher de sopa de azeite
sal e pimenta q.b.
umas gotinhas de tabasco (opcional)

Preparação:

Faça uma pasta com os dentes de alho esmagados com sal, os coentros picados, o gengibre ralado, a pimenta moída na hora, o azeite, o tabasco e o caril em pó. Barre depois a coxa de peru com esta mistura. (Se tiver tempo tempera a carne de véspera e guarde-a no frigorífico temperada.)
Descasque a cebola e corte-a em meias luas, Coloque depois a cebola num tabuleiro e sobre esta coloque a coxa de peru já temperada. Regue com o vinho branco e tape bem com papel vegetal.
Leve a assar em forno pré-aquecido a 180ºC durante cerca de 1h15. Ao fim desse tempo aumente o forno para 200ºC e retire o papel de alumínio deixando dourar a carne e acabar de cozinhar.
Retire do forno e deixe repousar um pouco antes de partir em fatias finas.
Se gostar asse algumas batatinhas juntamente com o peru e sirva tudo com uma salada verde.

Bom Apetite!

Poderá também gostar de:

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin