Bolachas de Batata Doce, Aveia e Amêndoa


Desde que o Zé Maria nasceu que tenho tido algum cuidado com aquilo que come. Aliás, com aquilo que todos nós comemos. Os alimentos muito processados e embalados, têm, desde essa altura, e aos poucos e poucos, saído da nossa alimentação, e tenho preferido “apostar” em alimentos de melhor qualidade sempre que possível, como os biológicos, carnes de pasto, peixes de “mar, mas sem entrar em “histerismos”, e sem ser fundamentalista de nada. Em tudo há excepções e a carteira e o orçamento familiar mandam muito... Podemos até pagar mais por alguns alimentos de melhor qualidade, mas não compramos outras coisas que, quase deixaram de fazer parte da nossa alimentação diária, ou deixaram mesmo de fazer parte, ou porque prefiro uma versão melhor, com melhores ingredientes, que eu conheço e compro, e passar a fazer em casa. Apesar de ter crianças pequenas em casa, no nosso carrinho de compras não entram, por exemplo, bolachas e bolos industrializados e processados. (Não estou de forma nenhuma a dizer que sou pior ou melhor mãe por isso. É uma opção nossa apenas!) 
Gosto de ser eu a fazer. Mas principalmente de saber o que comem. E enquanto estiver nas minhas mãos a forma como eles se alimentam, vou dar o meu melhor para que eles tenham acesso aos melhores produtos e ingredientes que eu lhes puder oferecer. Na esperança que isso se venha a relevar nas escolhas que farão no futuro em relação à alimentação. Ou seja. Espero apenas estar a dar-lhes ferramentas para fazerem escolhas melhores...
É também por isso que agora, e principalmente ao Zé Maria que tem 4 anos e meio, não lhe nego uma bolacha, um bolo quando ele pede. Mas são sempre as bolachas e os bolos que a mãe faz ou, quando muito, as melhores opções que encontro à venda e que eles gostam. (Há uns tempos, nas instastories, publiquei algumas opções de compra de lanches e snacks para os miúdos! Porque não há mães perfeitas em lado nenhum!!)
Estas bolachas foram uma experiência que correu muito bem e que eles adoraram! E eu também!

Ingredientes para cerca de 20 bolachas

150g de batata doce laranja cozida a vapor
30g de manteiga 
2 colheres de sopa de açúcar mascavado ou açúcar de coco
50g de flocos de aveia
50g de amêndoas com pele
1/2 colher de chá de fermento em pó
1 colher de chá de canela em pó

Preparação:

No robot de cozinha colocar todos os ingredientes e triturar bem até obter uma massa mole.
Coloque depois essa massa entre duas folhas de papel vegetal e com o rolo da massa estique bem até ficarem com, aproximadamente 0,5cm de espessura. Com uma forma recorte as bolachas e retire-as muito cuidadosamente (a massa é mesmo muito mole.... tem de ser com cuidado ou perdem a forma, e quantos menos recortes melhor...) Vá esticando e cortando a massa até esta acabar, colocando as bolachas num tabuleiro forrado com papel vegetal. 
Leve depois ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 15 minutos ou até começarem a querer alourar.
Retire cuidadosamente e deixe arrefecer completamente sobre uma grelha.


Bom Apetite!

8 comentários :

  1. Anónimo10:02

    Estava curiosa com estas bolachas!
    Já fiz algumas bolachas/biscoitos com batata doce, algumas com resultados positivos e outras que nem por isso.
    Nas receitas que testei, adaptei receitas que levavam puré de abóbora por puré de batata doce. Houve uns biscoitos, "Esses de batata doce" do "Cinco Quartos de Laranja", que surpreenderam no serviço, bem como as "Broas de Batata Doce da Vera" (publicadas aqui no blog), que fizeram parte das ofertas de Natal. Mas o meu insucesso, foram umas "Broinhas de Batata Doce" de uma Teleculinária, que ficaram muito moles - aqui tenho que voltar a rever a receita e ajustar ingredientes.
    Aqui em casa, também há uma preocupação com a alimentação. Ajustamos as coisas ao nosso orçamento e oferta disponível da zona (e época), embora seja maioritariamente de agricultura convencional (ex.o preço de um cabaz bio na minha zona por semana, excede o valor das frutas/legumes de 2 semanas, além de que o horário de entrega é incompatível com a hora a que chego a casa). Tento fazer a maior parte das coisas em casa, tentando "controlar" o que ponho lá dentro, mas há algumas coisas que compro (ex.iogurtes, massa folhada), pois o consumo é pontual. As carnes de pasto é que continua a ser uma meta um pouco "distante" da minha carteira, pois os supermercados de pequena dimensão não costumam ter muita oferta (só no hipermercado), e os talhos que a podem ter, são bastante distante da minha área de residência.
    A cada dia, tenta-se melhorar um pouco!

    Um grande beijinho,
    Sara Oliveira

    ResponderEliminar
  2. Parecem tão deliciosas! Ultimamente não tenho tido tempo nenhum para fazer destas coisas, mas fiquei curiosa com isto! Acho que vou experimentar no fim de semana!

    TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

    ResponderEliminar
  3. Em relação às carnes são de produção local e caseira (em conjunto com os meus pais criamos um porco de cada vez, as galinhas são criadas em casa assim como os borregos e a carne vaca compro a uma vizinha que cria) portanto acho que estou bem servida 😀 a nível de peixe vou aos supermercado ou a uma loja que vende somente peixe congelado de muitas qualidades. EM relação as frutas/legumea tanto compro no mini mercado com produtos locais como no supermercado mas já estou a tratar de ter o meu próprio sustento... Mesmo que pouco é melhor do que nada! 😊 estas para mim são das muitas e grandes vantagens de viver na aldeia. Em relação aos açúcares e alimentos processados estou a mudar isso aos poucos mas a minha perdição são os doces pois sou super gulosa! Um dia de cada vez e irei atingir o objetivo de reduzir os açúcares... Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rute, como eu te compreendo (em relação aos doces :P) Estou ctg ;) Bjinhos e força nessa luta!

      Eliminar
  4. Ui, essas bolachas deixaram me curiosa.
    Nunca fiz bolachas com batata!

    Beijinhos,
    Clarinha
    https://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2018/04/tagliatelli-do-mar.html

    ResponderEliminar
  5. Mariana17:13

    A isso se chama saber educar. Partilho da sua filosofia, também sem histerismos :) Por isso sou fiel seguidora do seu blogue.

    ResponderEliminar
  6. Gostei qd vi no FB e gostei agora :) Vou tentar fazer! Não p filhos/sobrinhos, pq ñ os tenho, mas pra mim! Apesar de ser adulta (somos do mesmo ano, Joana!) e ter cometido algumas 'asneiras' qd mais jovem, tento ter uma alimentação mais saudável diariamente, não só pela minha saúde actual, mas a pensar nos anos vindouros :) Bjinhos e és uma inspiração p td a gente! Força e continua!

    ResponderEliminar
  7. Mãe00:33

    És mesmo uma inspiração até para mim própria que tenho aprendido aspetos da culinária cada vez mais fascinantes.����

    ResponderEliminar

Imprimir