Croquetes de Brócolos e Mozarella


Tinha aqui umas sobras de brócolos cozidos no frigorífico e decidi inventar um bocadinho fazendo uns croquetes de brócolos e mozarela.
Eu sei. Lá estou eu com esta mania de aproveitar e transformar tudo. E de não desperdiçar comida. Mas faz sempre sentido. E cada vez mais. Porque ligamos a televisão e ouvimos quantas pessoas estão a precisar de ajuda alimentar. Que perderam rendimentos e precisam de quem lhes dê uma mão. Faz ainda mais sentido que, nas nossas casas, em todas as casas se ensine e se perceba que os bens alimentares (e não só!) são para rentabilizar ao máximo. Que não é por um legume estar murcho ou amarelado que precisa de ir para o lixo. Não é por ter brócolos cozidos no frigorífico há 3 dias que têm de ir para o lixo. Que fazer comida contada e não sobrar, não é ser sumitico, mas sim ter noção das quantidades que a nossa família come, e nem sempre haver necessidade de ficar com comida a mais no frigorífico, que tantas vezes de estraga, se deixe passar, se esqueça no fundo da prateleira. Ter consciência disto não podia ser mais importante. Assim como passar a mensagem. Assim como aproveitar tudo!

Ingredientes para cerca de 8 croquetes:

150g de brócolos cozidos
4 colheres de sopa de farinha
1 clara de ovo
sal e pimenta q.b.
1 dente de alho
75g de mozarella ralada

Preparação:

Pique grosseiramente os brócolos com uma faca e coloque numa taça. Misture o dente de alho bem picadinho, a farinha, a calara de ovo e tempere de sal e pimenta. Amassa tudo com as mãos até obter uma mistura homogénea. Se sentir que não consegue formar os croquetes, poderá juntar um pouco mais de farinha, mas sem exagerar. Junte depois a mozarela e amasse um pouco mais.
Molde depois os croquetes (ter as mãos molhadas em água ajuda) e frite-os depois em óleo quente até que fiquem bem dourados.

Bom Apetite!

Gelado de Maracujá


Basta começar o calor para começar aqui por casa a vontade de fazer gelados!
Há muito anos que tenho uma máquina de fazer gelados, desde quase o início do blogue. Uma daquelas máquina que se coloca a cuba no congelador durante pelo menos 24 horas, e depois tem um pequeno motor que faz rodar uma pá e, com a ajuda da cuba gelada permite fazer os nossos gelados caseiros.
Ao longo dos anos tenho feito vários gelados. Desde gelados mais tradicionais, com leite, natas e ovos, como sorvetes com calda de açúcar e fruta fresca, como algumas variantes diferentes. Claro que, em termos de cremosidade e resultado final, não há nada que chegue ao gelado mais tradicional. Uma base comum e apartar da qual se podem inventar e fazer todos os sabores que desejarmos.
Depois de várias tentativas, chego à conclusão que usar uma mistura de leite do dia gordo, natas e gemas é a melhor base de todas, o gelado mais cremoso e com menos cristais de gelo. E mesmo muitos semelhante aqueles que das delatarias de gelado tradicional vendem.
A partir daqui podem, sempre com o mesma receita base, criar as vossos sabores preferidos. E encontram aqui pelo blogue várias receitas para fazerem em casa gelados com e sem máquina.
Este de maracujá ficou divinal. E foi uma forma de aproveitar polpa de maracujá que estava congelada desde o verão passado.

Ingredientes para cerca de 500ml de gelado:

300ml de leite do dia gordo (tipo vigor)
200ml de natas frescas
1 colher de chá de essência de baunilha (opcional)
3 gemas
90g de açúcar
polpa de cerca de 10 maracujás

Preparação:

Leve ao lume um tacho com o leite, as natas e a essência de baunilha, e deixe aquecer até levantar fervura. Retire e reserve.
Bata depois muito bem as gemas com o açúcar, e junte depois, aos poucos e poucos o leite quente. Acrescente a polpa de maracujá e envolva bem.
Leve a mistura de novo ao lume e, sem parar de mexer, deixe engrossar até que cubra as costas da colher de pau. Retire e passe a mistura por um coador de rede, de modo a eliminar as sementes do maracujá, e deixe depois arrefecer completamente  - no frigorífico de preferência - antes de colocar na máquina dos gelados. Coloque a mistura já fria na cuba da máquina e ligue-a, deixando-a misturar até que forme gelado e fique cremoso (na minha máquina demora cerca de 30 minutos) Retire depois o gelado da máquina e guarde numa caixa hermética no congelador até servir, pelo menos durante umas duas horas.
Para quem não tem máquina de gelados, o processo também é possível. Coloque depois de arrefecida a mistura numa taça ou caixa e leve ao congelador. de 1h30 em 1h30 retire a mistura e bata-a com um garfo ou até com a batedeira, de modo a quebrar os cristais de gelo. Repita o processo o tempo que for necessário até obter uma textura cremosa de gelado. 
Sirva depois a gosto.

Bom Apetite!

Bolinhos de Lentilhas e Linhaça


Há uns dias a minha querida nutricionista publicou uns bolinhos de lentilhas com linhaça que me ficaram debaixo de olho. Tinha todos os ingredientes em casa e decidi fazê-los nesse dia para o jantar. Ficam uma espécie de hambúrgueres de lentilhas e são uma alternativa diferente para variar a alimentação e fazermos algumas refeições sem recorrer a proteína animal. Depois de prontos, antes de levar ao forno, podem também ser congelados para uma refeição rápida sempre à mão ou para as refeições das marmitas, por exemplo.
Aqui em casa acompanhámos os bolinhos  com uma maionese caseira de coentros e caril, e todos gostaram.

Ingredientes para 8 bolinhos:
(https://www.instagram.com/p/CAZngSjDsGz/)

200g de lentilhas vermelhas
1 cebola
1 dente de alho
200g de linhaça moída
100g de sementes de linhaça
 sal e pimenta q.b.
1 colher de chá de pimentão fumado
piri-piri q.b.

Preparação:

Coza as lentilhas em água a ferver durante cerca de 10 minutos (as lentilhas vermelhas não precisam de ser demolhadas). Escorra-as bem e coloque-as num robot de cozinha ou processador de alimentos, e junte o dente de alho, a cebola em pedaços, a linhaça moída e os temperos e triturar até formar uma pasta compacta.
Coloque depois as sementes num prato, e com a mistura forme bolinhos do meso tamanho e passe-os pelas sementes de linhaça para ficarem cobertos.
Coloque-os depois num tabuleiro forrado com papel vegetal e pincelado com azeite, e pincele também os bolinhos e leve ao forno pre aquecido a 180ºC durante cerca de 20 minutos.
Sirva com acompanhamentos a gosto.

Bom Apetite!

Lombinhos de Coelho Estufados com Batata e Vinho Tinto


Já estou como diz a minha cunhada Diana, e às vezes já nem sei bem o que cozinhar, pois já parece que andamos sempre a comer a mesma coisa. Na realidade isso nem é bem verdade, pois acho que até variamos bastante aqui por casa, mas para mim, que normalmente só fazia jantar, e o almoço era quase sempre sobras do jantar ou uma saída simples porque acabava por ser só eu e a Benedita, acabo agora a ter de fazer realmente almoços e jantares todos os dias! E, para mim, essa é agora uma nova realidade constante e diária deste 13 de Março. E, apesar de gostar muito de cozinhar, nos dias em que os almoços são apenas as sobras aquecidas do dia anterior, sabe-me a descanso…
Estes lombinhos foram um dos nossos almoços, e são simples e práticos de fazer. Porque me perguntam muito onde comprar estes cortes de coelho, posso dizer-vos que costumam existir em hipermercados, mas podem também comprar loja online, com entrega depois em casa. Deixo aqui o link: https://www.mitt.pt/pt/

Ingredientes para 4 pessoas:

500g de lombinhos de coelho
2 cebolas pequenas
2 dentes de alho
15 batatas novas
sal e pimenta q.b.
1 colher de chá de ervas da provença
150ml de vinho tinto
azeite q.b.
sumo de limão q.b.

Preparação:

Tempere os lombinhos de coelho com sal, pimenta, sumo de limão e as ervas da provença e deixe a marinar de preferência de um dia para o outro.
Entretanto leve um tacho largo ao lume com cerca de 2 colheres de sopa de azeite e acrescente as cebolas cortadas em meias luas grossas e os dentes de alho laminados. Deixe refogar um pouco e quando começarem a ficar translúcidas acrescente os lombinhos de coelho e a marinada e envolva bem. Junte as batatas com casca, bem lavadas e cortadas em quartos e acrescente o vinho tinto. Retifique de sal e pimenta e deixe levantar fervura. Tape o tacho e reduza para o mínimo deixando cozinhar até as batatas estarem macias.
Sirva polvilhado com coentros e uma salada.

Bom Apetite!

14 Anos de Blogue


Nem dei conta que o blogue fez ontem 14 anos. Não sei porque, tenho sempre a mania que o blogue começou no dia 29 de Maio, e deixo muitas vezes passar a data!
Não interessa! O que conta é que são já 14 anos disto. Com altos e baixos e com uma caminho que me levou a tornar um hobby numa profissão. Um caminho que tem tido os seus “desencantos”, mas que na verdade só me mostra que o realmente importante são as pessoas que aqui chegam e aqui permanecem, as que compram os livros e as que interagem comigo e fazem questão de ir aos workshops. E as pessoas que a partir daqui se tornaram amigas e muito importantes na minha vida.
Escrevi também sobre isto no instagram e não me quero estar a repetir, mas tenho pena de uma certa falta de reconhecimento deste trabalho por parte de marcas e agências, mas sei que para eles há outros interesses, e que é um caminho que, ou chega naturalmente até nós, ou eu opto por seguir por outro lado.
São 14 anos é um longo caminho pautado essencialmente por esta comunidade de leitores, a quem eu tenho de agradecer tudo. Tudo mesmo.
Muito obrigada por estarem desse lado. E só por vocês, que aqui vêm regularmente à procura de receitas, que as fazem e as tornam vossas, por vocês que comprar livros e enchem workshops, por vocês vale a pena continuar aqui, pelo menos por mais 14 anos.
Obrigada. Muito Obrigada.

Filetes de Peixe Porco em Polme de Cerveja


Há comodidades com as quais uma pessoa começa a viver, e depois é difícil parar. Uma delas é o meu “Peixinho da Lota”: um cabaz de peixe fresco entregue em casa (há várias localidades de entrega, e várias modalidades de cabazes de peixe).
Na minha última encomenda vieram uns filetes de peixe porco e que nós adoramos. E é engraçado, porque se formos comprar peixe nos locais habituais, há peixes que raramente encontramos, como é o caso do peixe porco, mas que algumas vezes aparecem no cabaz. Para quem não sai muito dos peixes habituais, pode ser uma boa oportunidade de variarem nos peixes que consomem e perceberem que há tanto por onde escolher que é uma penas andar sempre a comer a mesma coisa!
Entretanto houve uma leitora que me aconselhou a experimentar o peixe porco em polme de cerveja, e eu assim fiz. Claro que os fritos são de evitar. Mas realmente a polme ficou super crocante e o peixe húmido e macio. Realmente muito bom
Para quem não encontrar o peixe porco, é possível, claro, susbtituirem por outro.

Ingredientes:

800g de filetes de peixe porco preparados (já vem assim no cabaz da “Peixinho da Lota”
sal e pimenta q.b.
1 dente de alho
sumo de limão
vinho branco q.b.

Polme de cerveja:
1 ovo
200gr de farinha de trigo
75gr de amido de milho (maisena)
250ml de cerveja
colorau fumado q.b.
Alho em pó q.b.
Oregãos secos q.b.
Sal e pimenta q.b.

Preparação:

Tempere os filetes com sal, pimenta, o dente de alho picado, sumo de limão e o vinho branco e deixe a marinar algumas horas ou de um dia para o outro.
Prepare depois a polme de cerveja. Numa taça coloque a farinha, o amido de milho e tempere a gosto com sal, pimenta, alho em pó, colorau e os óregãos. Misture bem e abra uma cova ao meio. Junte o ovo e a cerveja e misture bem até ficar com uma polme grossa que cubra bem os filetes. Se achar necessário podem juntar um pouco mais de cerveja.
Retire os filetes da marinada e escorra-os o melhor que conseguir, limpando o excesso de liquido. Passe-os pela polme de modo a que fique com uma bela camada, e frite em óleo bem quente (é importante o óleo estar bem quente antes de colocar os filetes!)
Deixe fritar até ficar com uma camada crocante e dourada, e deixe escorrer sobre uma grelha. (A vantagem de escorrer sobre a grelha é que, ao contrário de escorrer em papel e que mantém melhor a camada crocante em vez de amolecer em contacto com o papel absorvente!)
Sirva depois com arroz de ervilhas e uma salada ou outro acompanhamento à escolha.

Bom Apetite!

Bolo Humido de Chocolate (sem Ovos)


Não há nada melhor do que um bolo para iniciar o fim de semana!
O meu filho António, que é um guloso, pediu-me bolo de chocolate, e assim foi. Andava há imenso tempo para testar esta receita bem rica de bolo de chocolate sem ovos, e foi desta vez. É um bolo mesmo para amantes de chocolate, porque, além do chocolate também leva cacau em pó e fica mesmo com uma textura muito rica e forte a chocolate.
Para quem não possa consumir lactose - (ou prefira versões vegetais) podem substituir a manteiga e o leite por versões vegetais.

Ingredientes:

200g de chocolate de culinária
150g de farinha (usei espelta, mas podem usar farinha normal)
50g de farinha de amêndoa
70g de manteiga
150g de açúcar mascavado
75ml de água
340ml de leite
100g de cacau cru em pó (ou do normal)
1 colher de chá de fermento em pó

Preparação:

Pique finamente o chocolate e reserve.
Leve ao lume um tacho com a manteiga, a farinha de amêndoas, o açúcar o leite e a água e deixe derreter a manteiga e aquecer a mistura. Retire do lume e acrescente o chocolate picado e o cacau em pó e deixe derreter misturando bem.
Numa taça coloque a farinha e o fermento e misture. Junte depois a mistura de açúcar e chocolate e envolva bem até obter uma massa homogénea.
Coloque numa forma previamente untada e polvilhada e leve depois ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 35 minutos, ou até o bolo estar cozinhado.
Retire do lume e deixe arrefecer 5 minutos antes de desenformar e deixar o bolo arrefecer completamente sobre uma grelha.

Bom Apetite!

Imprimir