Compota de Courgete e Beterraba com Baunilha


Fazer compotas é algo que me dá imenso prazer. E, durante anos, foi uma tarefa árdua, transformar os quilos de pêssegos, tomates, e ameixas que vinham já tocados e muito, muito maduros da quintinha dos avós, em deliciosas compotas.
Os tempos mudam. Os avós envelhecem e a avó deixa de estar ao nosso lado. E as compotas também mudam… A idade já não deixa o avó tratar do quintal, e a abundância de outrora deixa de existir.
Mas as mudanças, sejam elas quais forem, não fazem mal a ninguém. Obrigam-nos a procurar outras formas de fazer as coisas. Os legumes e as frutas dos avós deixaram de existir, mas passei a ter o meu pedaço de horta, na Terra Fresca. A questão da abundância não se coloca, mas passei a ter um papel mais activo, a escolher as minhas colheitas e sementeiras, a por as mãos na terra.
E passei também a ter outro tipo de hortícolas que me continuam a permitir fazer compotas, algumas bem diferentes daquelas que fazia com o que vinha do quintal dos avós.
Uma enorme courgete que cresceu quase sem eu dar conta e as beterrabas - tudo da minha pequena horta, deram origem a esta compota “original” e fora do normal.
Uma combinação estranha, mas que, na minha opinião resulta bastante bem.
Tenho muita curiosidade que experimentem e que me venham dar a vossa opinião.

Ingredientes para 4 frasquinhos:

700g de courgete (descascada e sem sementes)
300g de beterraba (crua e descascada)
650g de açúcar
1 vagem de baunilha

Preparação:

Pique ou rale a beterraba e a courgete e coloque num tacho. Junte o açúcar. Abra a vagem de baunilha ao meio e raspe as sementinhas com a ajuda de uma faca. Junte as sementinhas de baunilha à misture de açúcar, beterraba e courgete, assim como a vagem. (Em alternativa pode usar pasta de baunilha).
Misture bem e leve ao lume até começar a ferver. Reduza o lume e deixe cozinhar em lume brando cerca de 1h30 ou até a mistura ter atingido o ponto de “estrada”, que é quando coloca um pouco de doce num pires e lhe passa o dedo, este abre uma “estrada”, ficando separadas as duas partes.
Retire a vagem de baunilha e triture o doce com a varinha mágica 8ou robot de cozinha) até obter uma mistura cremosa. (Se preferir uma compota com mais textura pode saltar este passo!)
Guarde depois a compota ainda quente em frascos previamente esterilizados e tape-os - quentes - e coloque-os de cabeça para baixo cerca de 30 minutos para que ganhem vácuo.
Etiquete e guarde num local seco.
Sirva como qualquer outra compota, com torradas, panquecas ou scones.


Bom Apetite!



Tarte de Espinafres e Tomate


Com receio de me tornar repetitiva, fica mais uma receita deliciosa, preparada com os ingredientes que existem cá em casa.
Espinafres e tomatinhos da horta, e uma tarte salgada de sabor delicado, que tanto pode servir como refeição principal, como entrada num almoço e jantar ao ar livre.
Apesar de na maioria das vezes usar massas refrigeradas de compra vale a pena fazer a nossa massa. A diferença de sabor é imensa.
Esta receita de massa é muito simples de fazer, bata um qualquer robot de cozinha com função de picar, e em segundos a massa está pronta. O sabor amanteigado e a textura da massa bate em pontos as versões de compra. Depois disso, nem sei porque sou sempre tão preguiçosa para fazer a minha própria massa, e acabo a usar as variedades de compra….
Aqui fica mais uma sugestão colorida e cheia de legumes para uma refeição diferente.

Ingredientes para 1 tarte pequena:

Massa:
150g de farinha
60g de manteiga fria
30ml de água
sal q.b.

Recheio:
150g de espinafres
125g de tomate cereja
100g de queijo mozarella
100ml de leite
2 ovos
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.

Preparação:

No robot de cozinha junte todos os ingredientes para a massa e misture até a mistura se começar a desprender das paredes e a formar uma espécie de bola.
Retire a massa e com a ajuda do rolo da massa estenda-a e forre uma tarteira de fundo amovível. Pique a base com um garfo e leve ao frigorífico até necessitar. (Se não quiser fazer a sua própria massa, use a massa refrigerada pronta a usar, que se vende em qualquer supermercado!)
Para o recheio, leve uma frigideira anti aderente ao lume com um fio de azeite. Acrescente os espinafres, tempere com um pouco de sal e pimenta e deixe saltear até que murchem. Retire e deixe arrefecer antes de usar.
Depois de frios, coloque-os no fundo da tarteira previamente preparada. Corte depois os tomates cereja ao meio e junte-os ao espinafres e cubra com o queijo mozarella.
Numa taça bata os ovos com o leite e tempere a gosto de sal e pimenta. Verta cuidadosamente a mistura sobre a tarte, enchendo bem, e leve ao forno previamente aquecid a 180ºC durante cerca de 40 minutos, até a tarte estar dourada e a massa cozinhada.
Retire do forno e deixe arrefecer antes de desenformar.
Sirva morna ou fria.


Bom Apetite!

Bolinhos de Beterraba e Cacau


Eu gosto muito de cozinhar, mas nem sempre sinto aquela inspiração para fazer coisas diferentes. Principalmente nos últimos tempos, com o avançar da gravidez, a mudança de casa e tudo o resto.
Talvez agora, num período de maior calmaria, em que quase me sinto obrigada a repousar mais, pelo menos por causa dos esforços físicos, e creio que muito inspirada pela minha nova, e para mim linda, cozinha a vontade de cozinhar ao sabor dos ingredientes que tenho tem surgido com frequência.
Recentemente saíram da cozinha coisas novas. Entre as quais estes lindos e muito saborosos bolinhos de beterraba e cacau.
Não é sexta feira, mas hoje também há direito a bolo!



Ingredientes para 6 bolinhos:

175g de beterraba crua
3 ovos
150g de açúcar
250g de farinha
120ml de óleo vegetal
1 colher de sopa de cacau em pó
1/2 colher de chá de fermento em pó

Preparação:

Rale ou pique a beterraba e reserve.
Numa taça bata os ovos com o açúcar. Acrescente depois o óleo vegetal, a farinha, o fermento e o cacau e misture bem até ficar com um preparado sem grumos.
Junte depois a beterraba ralada e envolva bem até tudo ficar misturado.
Divida a mistura por 6 formas de bolinhos - ou pode usar uma forma pequena de bolo inglês.
Leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 20 minutos, ou até os bolinhos estarem cozinhados, quando testados com um palito. (Se quiser, poderá cobri-los com uma cobertura simples de chocolate!)


Bom Apetite!

Esparguete com Molho Cremoso de Courgete e Queijo Creme


Por aqui continuam as receitas com courgete. A horta tem sido generosa com este legume, e há mais para se fazer do que sopa, compota e courgete recheada, pelo que tenho andado a explorar outras receitas com as courgetes.
Desta vez, como um complemente de massa, numa receita em tudo semelhante a uma que costumo preparar, mas com cogumelos.
A combinação da courgete com o manjericão e o queijo creme é muito saborosa e torna este parto numa receita vegetariana muito saborosa e perfeita para as “meatless mondays” que se têm feito aqui por casa.
Espero que se sintam tentados a experimentar.
Bom início de semana!

Ingredientes para 2 pessoas:

175g de esparguete
1 courgete média
azeite q.b.
2 dentes de alho
sal e pimenta q.b.
100ml de leite
150g de queijo magro (usei versão light)
4 folhas de manjericão fresco
queijo parmesão q.b.

Preparação:

Lave bem a courgete e sem a descascar rale-a e escorra excesso de água.
Leve uma frigideira ao lume com um pouco de azeite e os dois dentes de alho laminados e deixe aquecer. Acrescente a courgete ralada, tempere de sal e pimenta e deixe cozinhar em lume brando cerca de 10 minutos até todo líquido que entretanto se formou ter evaporado.
Entretanto coza o esparguete em água temperada de sal e deixe cozinhar até ficar al dente. Escorra e reserve.
Junte à courgete as folhas de manjericão picadas, o leite e o queijo creme e envolva bem, de modo a obter um molho cremosos, e o queijo creme se ter derretido na mistura de leite. Retifique os temperos.
Misture o molho com a massa e envolva bem. Junte um pouco de parmesão ralado na hora e sirva de imediato.


Bom Apetite!

Bolo de Courgete com Pepitas de Chocolate


“Outra vez bolo de Courgete?!”, foi a exclamação do Miguel ao perguntar-me de que era o bolo que via na bancada da cozinha.
Sim, outra vez bolo de courgete, mas uma versão diferente, mais gulosa, desta vez com pepitas de chocolate, porque toda a gente sabe que courgete e chocolate casam bem. Além disso, tenho de dar andamento às courgetes e num bolo para o fim de semana parece-me sempre bem.
Já a pensar nas férias, que estão a chegar, com as coisas orientadas na nova casa e com a sensação de dever cumprido, finalmente relaxo um pouco, com uma fatia de bolo (pequenina…) e um copo de chá gelado.
Bom fim de semana!

Ingredientes:
(chávena usada de 220ml de capacidade)

2 ovos
1 chávena de açúcar
1/2 chávena de óleo de girassol
1 colher de chá de essencia de baunilha (ou pasta)
1 chávena bem cheia de courgete ralada (aproximadamente 1 courgete não muito grande)
100g de pepitas de chocolate
1,5 chávenas de farinha
1/2 colher de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
1/2 colher de chá de canela em pó

Preparação:
Bata os ovos com o açúcar e o óleo até tudo ficar bem incorporado. Acrescente a baunilha, a courgete e as pepitas de chocolate e envolva bem.
Noutra taça misture a farinha com o fermento, o bicarbonato de sódio e a canela e envolva depois, aos poucos e poucos na mistura anterior até ficar com uma massa lisa e sem grumos.
Coloque a massa numa forma de bolo inglês previamente untada e polvilhada com farinha e leve a cozinhar em forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 50 minutos.
Deixe arrefecer na forma antes de desenformar.


Bom Apetite!

Filetes de Peixe com Ervas da Provença e Salada de Panzanela


Voltar às origens. Cozinhar de forma simples. Ultimamente tem sido assim a minha cozinha. Influenciada pelos ingredientes da época, pelo calor, pela barriga a crescer e o maior cansaço.
E porque é preciso descomplicar. Depois de conversar com os leitores do blogue, com as pessoas que me seguem regularmente, chego sempre à mesma conclusão. As receitas mais simples são quase sempre as favoritas. Coisas pouco complicadas que facilmente pomos em prática.
Claro que todos gostamos de, de vez em quando, preparar receitas mais elaboradas, mas no fundo, gostamos de voltar às origens. de Cozinhar de forma simples, sem alterar muito os ingredientes. Sem grandes molhos ou condimentos. Sentir o sabor quase original do peixe, do tomate e do pão.
Esta é uma receita de sabores originais. Quase puros. E que é verão num prato.

(E peço desculpa por não responder aos vossos comentários nestes últimos dias, mas não sei porquê o blogger não me permite fazê-lo. De qualquer maneira fiquem a saber que tenho lido, como habitual, todos os comentários!)


Ingredientes para 2 pessoas:
(adaptado de “Good Food” Julho 2015, página 97)

4 filetes de peixe (qualquer peixe branco a gosto)
sal e pimenta q.b.
1 colher de chá de ervas da provença
azeite q.b.

Para a salada:
200g de tomates cereja (usei várias variedades diferentes)
2 fatias de pão tipo alentejano
4 dentes de alho
sal e pimenta q.b.
1 colher de sopa de vinagre
2 colheres de chá de alcaparras
2 colheres de sopa de salsa picada
5 colheres de sopa de azeite

Preparação:

Tempere o peixe com sal, pimenta e as ervas da provença e reserve.
Entretanto prepare a salada.
Corte o pão em cubos não muito grandes.
Leve uma frigideira ao lume com 3 colheres de sopa de azeite e dois dentes de alho picados e acrescente o pão. Envolva bem e deixe o pão, tempere com um pouco de sal, e deixe o pão saltear nesta mistura até que fique dourado e chocante. Retire e coloque sobre papel absorvente.
Entretanto corte o tomate cereja ao meio e coloque numa saladeira. Acrescente as alcaparras também picadas grosseiramente e tempere com os restantes dentes de alho esmagados numa papa, o restante azeite, sal e pimenta a gosto e o vinagre. Envolva bem e acrescente também a salsa picada.
Leve outra frigideira ao lume com um pouco de azeite e deixe aquecer bem. Junte os filetes de peixe e deixe-os alourar de ambos os lados, até ficarem cozinhados e coloque-os depois no prato de servir.
Junte os cubos de pão à salada de tomate e envolva bem para começar a absorver os sucos dos mesmos.
Sirva de imediato os filetes de peixe acompanhados da salada de tomate e pão.


Bom Apetite!

Ovos com Tomate, Ervilhas e Manjericão


Juntam-se os ultimo sabores da primavera com os primeiros do verão. Juntam-se as últimas ervilhas da horta, que estavam congeladas, com os primeiros tomates colhidos, grandes, maduros e sumarentos que cheiram e sabem a verão. A isto junta-se ainda o manjericão e os deliciosos ovos caseiros que chegam cá a casa todas as semanas. E sai o jantar.
Os ingredientes que têm feito  história cá em casa são aqueles que enchem a horta e o mercado de cor. E dá gosto chegar a casa de cesta cheia e poder cozinhar mais de acordo com os ingredientes e com a inspiração do momento, do que planear muito.
E assim, sem planeamento, em pouco tempo e de acordo com os ingredientes da época lá se preparou o jantar que fez as delícias de todos.

Ingredientes para 2 pessoas:

2 tomates (cerca de 500g)
1 cebola pequena
150g de ervilhas
1/4 de chouriço
1 raminho de manjericão fresco
2 dentes de alho
2 ovos grandes
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.

Preparação:

Pique a cebola e os dentes de alho e leve-os ao lume, num tacho, juntamente com um pouco de azeite e com o chouriço em pedaços ou rodelas, e deixe alourar um pouco.
Corte depois o tomate em cubinhos e junte-os ao preparo anterior. Tempere de sal e pimenta e deixe começar a ferver.
Junte depois as ervilhas, retifique os temperos e deixe cozinhar em lume brando até as ervilhas estarem macias.
Abra depois os ovos para dentro do tacho, para os cozinhar e perfume com umas folhinhas de manjericão fresco.
Deixe cozinhar os ovos a seu gosto e sirva acrescente mais manjericão fresco mesmo antes de servir. Acompanhe com arroz branco.


Bom Apetite!

Imprimir