sexta-feira, Abril 18, 2014

Páscoa 2014

A minha cozinha ainda cheira a canela e erva doce. Fizeram-se os folares para dar aos afilhados e sobrinhos. Amassaram-se mais de 2,5kg de farinha, tingiram-se muitos ovos com casca de cebola e preparou-se tudo com muito amor e carinho.
Embalaram-se e estão agora a aguardar serem oferecidos aos pequenos, juntamente com mais qualquer coisinha.
Mas da cozinha saíram mais coisas. Amanhã há um “evento” aqui por casa. Um almoço de padrinhos e afilhados que vai juntar 14 pessoas à mesa… Porque o domingo de Páscoa é reservado aos pais e avós e eu ainda não fiz – mas vou fazer - um bolo de amêndoa para levar para casa dos meus pais, receita que a minha amiga e comadre Rita me cedeu.
E a Páscoa por aqui vai ser assim. Entre família, afilhados e padrinhos. Com folares, borrego, amêndoas, chocolate e ovos. Coelhos e galinhas. Muito celebrada à volta da mesa, mas sem esquecer a celebração religiosa, a ressurreição e o verdadeiro sentido do que é a Páscoa .
E desejo-vos a todos uma Santa e Feliz Páscoa!

quinta-feira, Abril 17, 2014

Bolo de Beterraba, Arandos e Amêndoa

Assadas é como gosto mais delas. Não ficam a saber a “terra”. Ficam doces e macias. Aproveito sempre o forno de outras coisas para as assar embrulhadas em papel de alumínio. Depois a pele sai facilmente e podem-se guardar para serem preparadas de diversas maneiras.
Gosto delas raladas em saladas (sim, raladas depois de assadas). Gosto delas em rodelas ou cubinhos juntamente com laranja e polvilhadas com umas nozes, fazem uma salada deliciosa e visualmente muito bonita.
Gosto de as triturar e usar em massas de bolos, queques ou panquecas. Experimentem substituir em receitas que usem puré de cenoura ou abóbora cozida. Gosto delas em bolos com chocolate, e um dia destes uso-as numa massa fresca.
Falo das beterrabas. Amadas por uns, odiadas por outros. Do mercadinho biológico para a minha mesa num fantástico bolo. Um bolo roxo.

Ingredientes:

2 beterrabas assadas e descascadas (cerca de 150g)
150g de farinha
1 colher de chá de fermento em pó
50g de arandos secos (pode substituir por passas)
50g de amêndoas
Raspa da casca de 1 laranja
125g de açúcar amarelo
125ml de óleo de girassol
4 ovos

Preparação:

No robot de cozinha ou num copo liquidificador coloque a beterraba partida em pedaços (atenção para não manchar tudo de roxo) a farinha, o fermento, o açúcar, o óleo e os ovos. Triture tudo até obter uma massa homogénea e com uma espetacular cor arroxeada.
Junte depois a raspa da casca de laranja, os arandos e as amêndoas partidas grosseiramente.
Unte e forre com papel vegetal uma forma de bolo inglês e coloque aí a massa.
Leve a assar em forno previamente aquecido a 180ºC até que o bolo esteja cozido, cerca de 1h.
Retire do forno e deixe arrefecer um pouco antes de desenformar. Deixe arrefecer completamente. (E é natural que abata um bocadinho,,,)

Bom Apetite!

quarta-feira, Abril 16, 2014

Pão de Páscoa com Alecrim e Azeite

Todos os anos, o meu afilhado Tiago me oferece o seu ramo de Domingo de Ramos benzido. Uma tradição que eu desconhecia, esta de oferecer o ramo à madrinha, mas que acho muito engraçada e este ano vou adotar com o Zé Maria que, apesar de ainda não ter oficialmente madrinha, lhe vai oferecer o “seu” ramo de Domingo de Ramos.
Sendo ou não o ramo oferecido pelo afilhado, sempre aproveitei o ramo benzido para cozinhar… Normalmente para temperar o borrego (com o louro e o alecrim) do almoço de domingo de Páscoa. Acho engraçado aproveitar assim o ramo de cheiros num almoço Pascal.
Este ano porém, utilizei o alecrim do raminho que o Tiago me deu numa receita diferente. Num pão “Pascal” salgado, preparado com azeite e alecrim e que deixou a minha cozinha a cheirar divinalmente, para além de ser um pão delicioso, ideal para servir no domingo de Páscoa, como entrada para molhar num bocadinho de azeite bom.
Adorei fazer este pão, como aliás adoro fazer todos os pães. Confesso que por vezes tenho preguiça de amassar à mão, mas quando tenho tempo adoro essa parte da tarefa. Adoro o cheiro do fermento. De sentir a massa nas mãos. De a bater, empurrar e amassar contra a bancada da cozinha. E depois de tantos maus tratos , e de a deixar repousar. E adoro o maravilhoso mistério culinário de ver a massa crescer. Tudo por ação do fermento.
E seja para fazer pão à mão ou na máquina. Amassado de forma tradicional ou com ajuda mecânica confesso que o meu fermento de eleição é o Fermipan.(http://www.touch.pt/pt/novidade/75/passatempo-ganhe-uma-bimby-com-ferimpan/)
Para pão, folares, massas de pizza ou tudo o resto que peça fermento de padeiro ( que acaba sempre por ser substituído pela levedura seca que tenho sempre em casa!). Por isso, quando a Fermipan me convidou para preparar uma receita dedicada à Páscoa, não foi nada difícil. Desde sempre que os meus folares são preparados com Fermipan. Portanto este ano, para ser diferente uma receita de pão de Páscoa com Alecrim e Azeite.
Os folares, esses, só serão preparados na sexta-feira para serem entregues “fresquinhos” aos afilhados.

Ingredientes para 1 pão tipo “focaccia”:

1 saqueta de fermipan
1 colher de sopa de açúcar
475g de farinha
300ml de água morna (37ºC)
2 colheres de sopa de azeite (30ml) + para pincelar
2 colheres de sopa de flor de sal
1 raminho de alecrim fresco previamente picado (cerca de 2 colheres de sopa)

Preparação:

Numa taça misture a água morna com o açúcar e o fermento e deixe repousar uns minutos.
Numa outra taça coloque a farinha. Junte-lhe o azeite, 1 colher de sopa de flor de sal e a mistura de água, fermento e açúcar. Misture os ingredientes e, com as mãos, forme uma bola com a massa.
Polvilhe a banca da cozinha com um pouco de farinha e comece a trabalhar a massa, amassando-a com as mãos, esticando-a e “batendo-lhe”, cerca de 10 minutos ou até que a massa fique elástica e macia. (Poderá amassar com a máquina de pão ou uma batedeira se preferir). Forme uma bola com a massa e coloque-a numa taça polvilhada com farinha. Tape com película aderente e deixe a massa levedar até dobrar de volume, cerca de 1 hora.
Ao fim desse tempo retire a massa e volte a amassá-la na bancada durante um ou dois minutos,
Estique depois a massa com as mãos e transfira-a para um tabuleiro previamente pincelado com um pouco de azeite. Tape com um pano e deixe levedar uma segunda vez, cerca de 30 a 45 minutos.
Ao fim desse tempo pressione a massa com as pontas dos dedos, de modo a fazer umas covinhas e pincele a massa com azeite, polvilhe com a restante flor de sal e com o alecrim picado.
Leve a assar no forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 35 minutos.
Sirva o pão cortado em cubinhos juntamente com um pratinho com um pouco de azeite para ir molhando o pão.

Bom Apetite!

terça-feira, Abril 15, 2014

Hambúrguer em Bolo Levedo com Cebola Doce, Ovo de Codorniz e Maionese de Alho

A inspiração para cozinhar vem de todo o lado. Dos livros, das revistas, de outros blogues, de programas de televisão, do que se come em casa dos familiares e amigos, dos ingredientes que se vêm no supermercado, do que se come em restaurantes ou em eventos.
E foi de dois hambúrgueres saboreados em locais muito diferentes que surgiu esta versão. Uma junção do hambúrguer muito saboroso que comi aqui em Coimbra, na Casa das Caldeiras (https://pt-pt.facebook.com/pages/Casa-Das-Caldeiras-Bar/234209490067456 ) (e a principal inspiração para o ovo de codorniz, as batatas e a maionese de alho), e de um outro hambúrguer, comido na Quinta dos Açores, (http://www.quintadosacores.com/)  na Terceira, (de onde veio a ideia de utilizar o bolo levedo e o próprio bolo lêvedo, e utilização de carne de vaca certificada.)
Das duas experiências saiu um dos melhores hambúrgueres dos últimos tempos. Conta a qualidade da carne, sem dúvida, e a utilização de ingredientes frescos e preparados de raiz. Porque depois de comermos um hambúrguer destes dificilmente temos vontade de voltar aos hambúrgueres de cadeias de fast food.

Ingredientes para 2 pessoas:

2 bolos lêvedos
300g de carne de vaca picada (usei carne de vaca açoriana certificada)
2 ovos de codorniz
Sal e pimenta q.b.
10 batatinhas pequenas
Mistura de salada q.b.

Para a cebola doce:
2 cebolas
1 colher de sopa bem cheia de açúcar
1 colher de sopa de vinho do porto
2 colheres de sopa de azeite
Sal e pimenta q.b.

Para a Maionese de alho:
1 ovo
2 dentes de alho
1 colher de chá de mostarda de Dijon
Sumo de ½ limão
Óleo vegetal q.b.
Sal e pimenta q.b.

Preparação:

Numa taça coloque a carne de vaca picada e amasse-a um pouco. Divida a massa em duas partes iguais e, com a ajuda de um aro de cozinha forme dois hambúrgueres do mesmo tamanho. Coloque-os num prato e leve-os ao frigorífico.
Entretanto prepare a cebola doce. Descasque as cebolas e corte-as em rodelas finas. Leve um tacho ao lume com o azeite e deixe aquecer. Junte as rodelas de cebola, o açúcar e o vinho de porto. Tempere de sal e um pouco de pimenta e deixe cozinhar em lume brando até a cebola estar caramelizada e macia. Reserve.
Prepare a maionese de alho. No copo da varinha mágica coloque o ovo inteiro, a mostarda de Dijon, sumo de meio limão, os dentes de alho e tempere com sal e pimenta q.b. Acrescente depois um pouco de óleo vegetal e emulsione tudo com a varinha mágica. Vá depois acrescentando mais óleo, em fio, e sem parar de emulsionar com a varinha mágica e até que fique com uma maionese com consistência. Reserve no frigorífico até servir.
Lave bem as batatas e sem as descascar corte-as em quartos. Seque-as bem num pano de cozinha lavado e frite-as em óleo quente até que fiquem douradas. Ainda quentes tempere-as com um pitada de sal.
Leve agora uma chapa ou frigideira anti-aderente ao lume e deixe aquecer muito bem. Tempere os hambúrgueres com uma pitada de sal e pimenta e cozinhe-os de ambos os lados até que fiquem dourados. Tenha atenção para não deixar a carne secar. Retire-os e deixe-os repousar.
Entretanto cozinhe na ,mesma chapa com um pouco de azeite os ovos de codorniz.
Abra o bolo lêvedo ao meio e aqueça-o também na chapa deixando-o tostar ligeiramente.
Barre as duas metades do bolo lêvedo com a maionese de alho. Coloque um pouco de salada e sobre esta o hambúrguer. Cubra-o com a cebola doce e termine com o ovo de codorniz cobrindo depois com a outra metade do bolo lêvedo.
Sirva com as batatas fritas e a restante maionese de alho para “molhar” as batatas.

Bom Apetite!

segunda-feira, Abril 14, 2014

Fritata de Salmão Fumado, Requeijão e Manjericão

Tudo começou com uma ida à piscina com o pequeno Zé Maria. E depois ao mercadinho biológico. Chegar a casa, e volta a entrar no carro para um almoço de aniversário surpresa que se prolongou até ao fim da tarde, em casa do tio que fez 50 anos. Chegar a casa e dar a sopa a um bebé cansado e pô-lo a dormir. Fazer o jantar e depois adormecer no sofá. Acordar. Ser domingo de ramos e ir à missa. Tomar café. Almoçar com os amigos Rita e JP e respetiva prole. Conversar. Ir às compras. Ir correr no parque. Tratar de um Zé Maria adorável. Jantar. Ver televisão. Dormir.
O resumo do meu fim de semana que passou a correr, que não deu para fazer metade do que eu queria, mas que entretanto já passou. Venha daí essa segunda feira. E uma fritata para nos alegrar o dia!

Ingredientes para 2 pessoas:

3 ovos
2 claras
200ml de natas ligeiras (normais ou de soja)
120g de salmão fumado
150g (aproximadamente 1 unidade) de requeijão de Seia
1 pernada de manjericão fresco
Sal e pimenta q.b.
1 colher de sopa de azeite

Preparação:

Numa taça coloque os ovos inteiros, as claras, as natas e tempere com sal e pimenta a gosto. Bata tudo com um batedor de varas até ficar bem misturado.
Entretanto leve uma frigideira ao lume com o azeite e deixe aquecer. Junte depois a mistura de ovos e deixe começar a cozinhar. Disponha depois sobre a mistura de ovos o salmão fumado em pedaços, assim como o requeijão e as folhas de manjericão. Deixe cozinhar em lume brando durante uns 4 minutos até começar a querer ficar firme.
Leve depois a frigideira ao forno previamente aquecido a 180ºC (e com o grill ligado) para que acabe de cozinhar e toste a superfície, cerca de 8 minutos.
Sirva em fatias com uma salada verde.

Bom Apetite!

sexta-feira, Abril 11, 2014

Bolos de Toffee com Calda de Laranja para comemorar as 2000

Chegar aos 2000 posts tinha de ser comemorado. Quase 8 anos depois de começar, estão aqui muitas receitas, mas está também aqui um pouco da minha vida ao longo desse tempo.
Receitas de carne, peixe, bebidas, bolos, sobremesas, bolachas, acompanhamentos… de tudo um pouco. As receitas que ao longo destes anos se fizeram na minha cozinha, que alimentaram a minha família e os meus amigos, e que partilhei sempre de bom grado com todos.
Chegamos então ao lindo número 2000 e comemoramos. Com um bolo, receita da Leonor de Sousa Bastos. Sintam-se então à vontade para “tirar” um bocadinho e celebrarem comigo.

Ingredientes para 6 unidades:
(in “Flagrante Delícia”, de Leonor de Sousa Bastos, página 20)

100ml de natas
120g de açúcar
50g de manteiga amolecida
2 ovos
1 pitada de sal
100g de farinha com fermento

Calda:
100ml de sumo de laranja
40g de açúcar

Preparação:

Aqueça as natas. Noutro tacho coloque o açúcar e deixe caramelizar agitando o tacho em vez de mexer o açúcar com a colher de pau.
Assim que o açúcar caramelizar junte as natas quentes e a manteiga mexendo bem. Retire do lume e deixe o toffee arrefecer um pouco.
Entretanto bata os ovos com a pitada de sal. Deite depois o toffee ligeiramente arrefecido sobre os ovos mexendo constantemente. Junte a farinha e misture bem.
Distribua depois a massa pelas forminhas previamente untadas e polvilhadas e leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 10 – 12 minutos.
Retire do forno e deixe os bolinhos arrefecer antes de desenformar.
Para a calda junte o açúcar com o sumo de laranja e leve até ferver. Verta depois a calda quente sobre os bolos.

Bom Apetite!

quinta-feira, Abril 10, 2014

Gratinado de Beringela e Carne com Molho de Queijo Creme

O Zé Maria está quase com 7 meses. E eu estou rendida a cozinhar comida para bebé.
Adoro fazer as sopas dele. Batata doce, feijão verde, alho francês, brócolos, couve flor, batata, curgete, cenoura, abóbora, couve, cebola, alface, eu sei lá que legumes mais. Frango, peru, borrego e vaca (ainda não come peixe). E depois inventar combinações diferentes entre todas estas coisas. Nunca faço duas sopas iguais, nem uso o método de manter uma base fixa. E o meu rapazinho lindo lá vai comendo tudo com mais ou menos fastio. Depois da sopa, lá vem a fruta. Curiosamente não gosta nada de banana… e para já pera e papaia são as suas frutas favoritas.
Começamos também com as papas… mas numa versão muito mais natural. Nada de papa de compra. Cá em casa damos papa de aveia ao Zé Maria e ele adorou desde o primeiro dia.
Para além de fazer as nossas refeições, tenho também a enorme responsabilidade de cozinhar para o meu filho. De lhe diversificar a alimentação o mais possível. De o apresentar à maior variedade de ingredientes possíveis. De lhe começar a criar hábitos alimentares saudáveis e equilibrados. Em suma, acredito que está nas minhas mãos os fundamentos para a maneira como ele se alimentará no futuro.
E é preciso paciência! Para introduzir novos alimentos que às vezes têm sabores que não lhe são tão agradáveis. Para dar colher atrás de colher que às vezes vem “cuspida”. Para não ceder de cada vez que começa a choramingar porque acha a textura estranha. Para não desistir às primeiras recusas. Mas é verdade quando se diz que “primeiro estranha-se, e depois entranha-se”. Agora choraminga quando não tem a boca cheia!
Mas nem só de comida para o Zé Maria se vai vivendo cá em casa – ainda bem, porque senão o blogue tinha virado um baby food blog – e ainda é preciso fazer o nosso jantar de cada dia.
Este gratinado foi preparado num destes dias.

Ingredientes para 2 pessoas:

2 beringelas pequenas
2 tomates
250g de carne de vaca picada
100ml de molho de tomate caseiro (ou polpa de tomate ou tomate picado)
1 alho francês pequeno
1 raminho de manjericão fresco
1 cebola
Azeite q.b.
Sal e pimenta q.b.
200g de queijo creme para barrar tipo Philadelphia (usei com sabor a tomate e oregãos, mas podem usar do normal)
50ml de leite

Preparação:

Pique a cebola e corte o alho francês em rodela fininhas lavando-o bem de seguida.
Leve um tacho ao lume com uma colher de sopa de azeite e junte a cebola picada e o alho francês deixando refogar bem. Acrescente depois a carne picada, envolva bem e deixe cozinhar até que a carne comece a ganhar cor, Acrescente agora o molho de tomate, tempere de sal e pimenta e deixe cozinhar em lume brando cerca de 20 minutos mexendo de vez em quando.
Entretanto corte as beringelas em rodelas e tempere-as com um pouco de sal e regue com um fio de azeite. Numa frigideira ou chapa anti-aderente cozinhe as fatias de beringela até que fiquem maleáveis. Retire-as e reserve.
Corte o tomate em fatias.
Num prato que vá ao forno e à mesa coloque uma camada de beringela grelhada. Cubra com a carne picada e sobre esta disponha as rodelas de tomate e as folhas de manjericão. Cubra Agora tudo com a restante beringela.
Numa taça misture o queijo creme com o leite de modo a obter uma espécie de molho cremoso, e verta sobre o preparado de beringela e carne.
Leve ao forno previamente aquecido a 200ºC até que fique gartinado e a borbulhar.
Sirva com uma salada verde.

Bom Apetite!

Poderá também gostar de:

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin