5 Anos de António



Há 5 anos nascias tu. Uma descoberta inesperada, uma gravidez calma e sem sobressaltos. E um sonho tornado realidade em forma do nosso pequeno milagre. 

Depois de tudo o que tínhamos passado com o mano, a descoberta da tua chegada foi tão maravilhosa. Saber que íamos ter outro filho. Que eras inesperado, mas imensamente desejado. Que a vida tinha sido capaz de nos surpreender, e que apesar de todos os planos que fazíamos, havia outra coisa que estava planeada para nós!

Contigo aprendemos que às vezes, não vale mesmo a pena fazer planos. Ensinaste-nos a confiar. A acreditar. Ensinaste-nos sobre esperança. Mas principalmente ensinaste-nos que a vida nos faz chegar ao lugar onde devemos estar. E esse lugar não é sempre nem como nós pensamos, nem o caminho se faz como nós o idealizamos,


Há 5 anos a mostra-nos que o coração de mãe/pai é elástico e infinito, e que a vida se encarrega de nos fazer chegar, se nos deixarmos ir. Obrigada por nos fazeres acreditar em milagres, mas principalmente por seres o nosso pequeno milagre.


Parabéns meu amor. Feliz Aniversário!



Preguinhos no Bolo do Caco



Ainda da festinha do Zé Maria. Estes preguinhos foram um sucesso. Neste caso usei bolo do caco de compra, que encontram facilmente na padaria de quase todos os supermercados, mas se tiverem vontade e paciência podem fazer bolo do caco com a receita que encontram aqui no blogue. Se quiserem até podem fazer com antecedência, congelar, e depois descongelar no dia!

De resto é algo que se prepara em poucos minutos e uma sugestão simpática para uma mesa de festa ou convívio!


Ingredientes para 6 a 12 pessoas:


12 bifinhos pequenos de alcatra ou outro corte indicado, cortados fininhos para prego (peçam no tacho)

3 dentes de alho

sal e pimenta q.b.

150ml de vinho branco

1 folha de louro

azeite q.b.

1 colher de sopa de molho inglês

1 colher de chá de mostarda + para servir

6 bolos do caco


Preparação:


Tempere os bifinhos com sal, pimenta, o louro, os dentes de alho laminados e o vinho branco e deixe ficar a tomar gosto.

Aqueça depois uma frigideira com o azeite e coloque os bifinhos, deixando-os cozinhar de ambos os lados. Junte depois a marinada onde estiveram a tomar gosto, e acrescente o molho inglês e a mostarda, Deixe fervilhar uns minutos até o molho ficar espesso e perder o álcool do vinho. Desligue e reserve.

Parta o bolo do caco ao meio e abra-os. Coloque um bifinho em  cada metade e regue o pão com um pouco de molho.

Coloque num prato de servir e sirva com mostarda para que cada um se sirva a gosto.


Bom Apetite!


Tacos com Bolonhesa e Salsa de Milho e Tomate




Na preparação destes lanches das festas de aniversário aqui em casa, há sempre receitas que surgem de coisas que eu comprei com outra ideia.

Tinha comprado as “tacos shells” a pensar num dos nossos jantares, mas ao preparar a ementa da festa, lembrei-me que eram uma ideia gira para colocar na mesa. Só tinha comprado uma embalagem de 12 unidades, mas como também éramos poucos, ia chegar de certeza.

Os tacos foram uma novidade e uma agradável surpresa, e serão certamente mais vezes “convidados” para quer os nossos jantares, quer para as nossas mesas de festa!

Fica a receita!


Ingredientes para 12 tacos:


12 “tacos shells” de milho (encontram na área comida do mundo dos supermercados)

250g de bolonhesa caseira

1 lata de milho pequena

1 molhinho de coentros

4 folhas de alface 

1 tomate pequeno

sumo de lima q.b.

flor de sal q.b.

queijo gouda ou emmental ralado q.b.


Preparação:


Comece por preparar a “salsa” de milho. Corte o tomate em cubinhos pequenos e coloque-os numa taça. Acrescente depois o milho escorrido, e os coentros picados. Tempere de flor de sal e sumo de lima. Reserve.

Lave bem as folhas de alface e seque-as. Corte-as depois numa juliana fitinha. Reserve.

Para montar os tacos, coloque no fundo a bolonhesa. Por cima a alface em juliana e a salsa de milho e tomate. Termine com um pouco de queijo ralado. 

Sirva de imediato, porque a bolonhesa faz amolecer as “caixas” de milho dos tacos.


Bom Apetite! 

Bolo de Banana, Amêndoa e Chocolate com Cobertura de Mascarpone e Manteiga de Amendoim



O bolo que preparei para o lanche da festinha de aniversário do Zé Maria foi uma agradável combinação e foi muito elogiado. Um bolo simples de banana, ao estilo de banana bread, mas que ficou perfeito com a cobertura meio inventada de mascarpone com manteiga de amendoim, uma variação de um buttercream.

O Zé pediu-me depois se podia decorar o bolo com carrinhos de brincar, e ficou muito feliz quando viu os 2 carrinhos que escolheu  em cima do bolo. Abracou-me e disse “Obrigada mamã!” Miúdo feliz. Mamã feliz!


Ingredientes:


75g de pepitas de chocolate

75g de amêndoas partidas grosseiramente

4 bananas pequenas e maduras (usei banana da madeira)

100g de manteiga à temperatura ambiente

130g de açúcar

3 ovos

150g de farinha

1 colher de chá de fermento em pó


Cobertura:

200g de mascarpone

150g de manteiga de amendoim 100% amendoim (usei caseira)

60g de açúcar em pó


Preparação:


Comece por preparar o bolo. Bata a manteiga com o açúcar até ficar uma mistura cremosa e esbranquiçada. Junte depois os ovos e misture bem até ficar com uma mistura homogénea. Junte depois as bananas esmagadas e envolva bem. Acrescente a farinha, o fermento, as pepitas de chocolate e as amêndoas partidas e envolva até estar tudo bem incorporado na mistura.

Forre 2 formas redondas sem buraco com 16cm de diâmetro com papel vegetal e divida a mistura do bolo uniformemente pelas duas formas, 

Leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 30 minutos ou até o bolo estar cozinho. Retire e deixe arrefecer um pouco antes de desenformar e deixe depois arrefecer completamente sobre uma grelha.

Entretanto prepare a cobertura e recheio. Bata o mascarpone com a manteiga de amendoim e o açúcar em pó até obter uma mistura homogénea. Reserve.

Com os bolos arrefecidos, acerte os topos com a ajuda de uma faca.

Coloque um dos bolos no prato de servir e recheie com 1/3 da mistura de mascarpone e queijo creme. Cubra com o outro bolo e depois cubra com o topo e as laterais com a restante cobertura alisando com uma espátula.

Leve ao frigorifico até servir.


Bom Apetite!


7 anos de Zé Maria



Há 7 anos atrás, depois de um percurso de 5 anos pelos caminhos da infertilidade, chegavas tu. Pequenino e sossegado. 

Durante aquelas 37 semanas, foi contigo que percebi que ser positiva e optimista, e olhar para o copo meio cheio, nos traz uma maior serenidade e nos permite encarar a vida mais felizes.

Nasceste e o meu sonho de menina tomou forma. Foi como se tudo tivesse acontecido como estava destinado a acontecer, sem que nada nos pudesse nunca roubar o que nos estava destinado, e como se os percalços nunca tivessem acontecido. Não sei como não chorei quando te vi, apesar de toda a gente à nossa volta deitar umas lagrimas. Chorei depois, mais tarde, já em casa, contigo a dormir no teu berço e depois de ser capaz de rever todas aqueles anos e todas aquelas semanas e todos os “medos” e “ses” da gravidez. “Tudo está bem quando acaba bem.”


Há 7 anos a aprender contigo. A tentarmos fazer melhor e percebermos como podemos ser melhores. Há 7 anos a abençoar as nossas vidas. Há 7 anos a viver este amor infinito que nunca se esgota. 


Parabéns meu amor. Feliz aniversário!

Legumes Assados com Pesto de Rúcula e Caju




As refeições sem carne nem peixe vão bem e recomendam-se. Os miúdos também alinham cada vez com mais vontade, algumas coisas com mais sucesso do que outras, mas faz parte. Para eles muitas vezes recorro também ao ovo, como complemento ou quando experimentamos combinações que podem ser mais difíceis de aceitar. É um “trabalho” diário, mas importante diversificar-lhes a alimentação e expo-los a diferentes alimentos, combinações e texturas. Mas na minha opinião muito importante!

Desta ultima refeição sem carne nem peixe, recorri a uns deliciosos hambúrgueres de lentilhas e arroz integral, da Beatroot Eatwisely, uma marna nacional, vegan e biológica e com verdadeiros ingredientes. Uma opção perfeita para ter sempre em casa até para alguma emergência.

E para acompanhar, fiz uns simples legumes no forno que ficaram deliciosos. Segue a receita que valem mesmo a pena. Seja para refeições sem carne nem peixe, seja para outra qualquer.


Ingredientes para 4 pessoas:


2 cenouras 

2 batatas doce médias

1/2 pimento verde

1/2 pimentão vermelho

1 cebola roxa

sal e pimenta q.b.

1 colher de sopa de pimentão fumado

1 colher de sobremesa de alho em pó

1 colher de sobremesa de ervas secas a gosto

azeite q.b.


“Pesto” de Rucula e Caju:

75g de caju cru

2 mãos cheias de rúcula

sal e pimenta q.b.

1 dente de alho pequeno

sumo de limão q.b.

125ml de azeite


Preparação:

Lave bem os legumes. Descasque a batata doce e corte-a em cubos pequenos. Corte também a cenoura em cubinhos do mesmo tamanho, o pimento verde e vermelho e a cebola me meias luas.

Coloque tudo num tabuleiro, onde caiba tudo espalhado, e tempere com sal, pimenta, o alho em pó, o colorau fumado, as ervas secas e regue com um fio generoso de azeite.

Envolva bem.

Leve a assar em forno previamente aquecido a 200ºC durante cerca de 20 minutos até os legumes estarem assados.

Paro o pesto, coloque todos os ingredientes no copo da varinha mágica e triture até obter um molho homogénea. Prove e se necessário ratifique os temperos.

Sirva os legumes com o pesto. (O restante pesto guardo num frasco no frigorífico e vá usando conforme as necessidades!)


Bom Apetite!


Esparguete com Molho de Frango e Mostarda





Os dias correm depressa. Há 6 meses atrás estávamos quase todos em casa, Íniciávamos a escola em casa, passamos a ser professores e educadores, Repensamos muitas coisas e adaptamo-nos.

Passaram 6 meses e estamos a iniciar um ano lectivo de forma diferente. Esperamos não ter de voltar a ficar assim em casa, e que os miúdos não voltam para serem ensinados à distância, e que as escolas não fechem e que continuemos nesta “nova” normalidade, mesmo que não seja normal.

Mas há coisas que pouco ou nada mudaram, e que nos permitiram manter esta sensação que, pelo menos, algumas coisas ficam sempre iguais. Como as receitas práticas que enchem os nossos dias e nos continuam a permitir fazer refeições de que toda a família gosta!


Ingredientes para 4 pessoas:


450g de peito de frango

3 dentes de alho

1 cebola

1 folha de louro

50ml de vinho branco

1 colher de sobremesa de mistura de ervas secas

1 colher de sopa de mostarda

sal e pimenta q.b.

azeite q.b.

400g de esparguete


Preparação:


Pique a cebola e os dentes de alho e leve-os a alourar, juntamente com o louro, num pouco de azeite.

Entretanto corte o peito de frango em tiras não muito finas e tempere de sal e pimenta. Junte ao refogado deixando cozinhar cerca de 5 minutos. Junte o vinho branco, as ervas secas  e a mostarda e envolva bem. Tape e deixe estufar em lume brando até o frango estar cozinhado.

Entretanto coza o espaguete em água abundante com sal. Assim que estiver al dente, escorra (guarde um pouco da água de cozedura) e volte a colocar na panela. Junte o frango já cozinhado e o molho que entretanto se formou e envolva bem. Se necessário, junte um pouco da água de cozedura reservada para ajudar a soltar o esparguete.

Sirva de imediato com uma salada verde.


Bom Apetite!


Queques de Cenoura, Banana e Aveia (sem açúcar)



Com a escola a começar,  os lanches começam a fazer parte das rotinas diárias de planeamento e de organização da semana. Por aqui tentamos variar, e claro, fazer alguma coisas em casa, de modo a que seja diversificado, apelativo e satisfatório e nutritivo. Como é habitual por aqui, a maioria das coisas são feitas em casa. Tento também incluir outras coisas além do pão e tostas, e por isso, nas bolachas ou bolinhos que faço para as lanchieras, tento que sejam com menos açúcar ou com açúcar menos refinado.

Desta vez fiz uma espécie de queques de cenoura, adoçados com banana madura, e ficaram com bastante bom ar e muito saborosos e foram aprovados pelos dois, pelo que hoje já foram na lancheira!


Ingredientes para 12 queques:


2 cenouras

2 bananas pequenas e maduras

2 ovos

150g de farinha de aveia

2 colheres de sopa de Xarope de Acer ou Mel

1 colher de chá de canela em pó

1 colher de chá de fermento em pó

4 colheres de sopa de óleo vegetal (de coco ou de grainha de uva)


Preparação:


Descascar as cenouras e cortar em pedaços. Cortar as bananas.

Num processador colocar as bananas, a cenoura e juntar os ovos, a farinha, o Xarope de Acer, a canela, o fermento e o óleo vegetal e triturar até ficar uma mistura homogénea. Se acharem a mistura muito grossa, juntem um pouco de leite, mas apenas para ser mais simples de colocar nas forminhas.

Coloque depois a mistura em formigas de queques previamente untadas de manteiga (eu usei umas de silicone, que não necessitam de ser previamente untadas) e divida a mistura pelas formas.

Leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 25 minutos, ou até os queques estarem cozinhados.

Retire, desenforme e deixe arrefecer completamente sobre uma grelha!


Bom Apetite!

Pasta de Amendoim e Cacau



Cada vez gosto mais de de fazer as coisas em casa. Não só pela sustentabilidade, mas por saber exatamente o que estamos a comer, por ficar tantas vezes mais económico, por poder experimentar receitas novas, mas principalmente por saber que tem aquele gostinho de “home made”. Este gosto por fazer coisas em casa, tem a ver com vários fatores, e sim, é preciso haver alguma disponibilidade. Mas também vontade de fazer estas coisas, por achar que é melhor para todos e a muitos níveis.

Há já algum tempo que faço sempre a manteiga de amendoim e casa. Com um processador rápido e eficiente, é uma daquelas coisas que não dá grande trabalho, e que fica exatamente igual - ou até melhor, às que compramos.

Entretanto, resolvi experimentar uma versão de pasta de amendoim com cacau, uma espécie de pasta de chocolate e frutos secos. E ficou muito bem. Na verdade é uma manteiga de amendoim que, depois de pronta leva cacau e um bocadinho de maple syrup  para adoçar e óleo de coco para soltar e ser mais simples de barrar. Está aprovadíssima!


Ingredientes para 1 frasco grande:


400g de amendoim descascado, torrado e sem sal

1 colher de sopa bem cheia de Cacau cru em pó

3 colheres de sopa de Xarope de Acer (Mapel Syrup)

3 colheres de sopa de óleo de Coco (opcional mas ajuda a ser mais fácil de barrar)


Preparação:


Coloque o amendoim no robot de cozinha. Eu usei a Bimby e programei 7 minutos e velocidade 6,5. Se usarem a bimby ou semelhante, não aconselho a quantidades menores do que 400g para fazerem manteigas de frutos secos, porque fica a maior parte do produto debaixo da lamina e nas paredes dos copos e é preciso estar constantemente a empurrar para baixo, para além de não ficar tão bem triturada e cremosa. Com esta quantidade não paro para mexer sequer.

Se não têm bimby, podem usar outro tipo de processador que tenham. Vai demorar muito mais tempo, e vão ter que parar algumas vezes porque os motores desses pequenos equipamentos não são tão potentes e queimam com facilidade. Assim que notarem que está a ficar o equipamente muito quente, parem uns minutos e depois recomecem.

O processo de fazer manteigas de frutos secos nesses pequenos equipamentos pode demorar até 20 minutos ou mais. Mas não desistam por pensar que ficou uma pasta. Antes de de transformarem em “manteigas”, os frutos passam por algumas transformações, Primeiro picados, cada vez mais pequenos, depois uma pasta grossa, e só depois de se continuar a emulsionar essa pasta é que os óleos naturalmente presentes nos frutos secos se começam a transformar em manteiga. O problema é mesmo poderem queimar o motor desses equipamentos, por isso, se quiserem mesmo fazer, tenham paciência e vão parando quando necessário.

Depois de pronto, juntar o cacau, o maple syrup e o óleo de coco, e triturar mais 15 ou 20 segundos até ficar bem incorporado. Depois basta colocar a pasta de amendoim e cacau num frasco de vidro e usar conforme as preferências. Eu pessoalmente não guardo no frigorífico.


Bom Apetite!


Bolo de Maçã e Cenoura


Mais uma semana que passou a correr. A escola a sério a começar para a semana. Nos recomeços de Setembro, projetos e ideias a avançar. Ver as coisas a tomarem forma. Ver que a vida continua a correr, apesar de todas as limitações, de todos os receios, e de toda a incerteza.

Respirar fundo e seguir firme. Acreditar sempre no melhor. Ser sempre positiva. Olhar sempre para o caminho que se abre à nossa frente.

É sexta feira e há bolo.

Bom fim de semana a todos!


Ingredientes:

(chávena usada com 250ml de capacidade)


1/2 chávena de açúcar de coco (ou mascavado)

100ml de óleo vegetal 

3 ovos

220g de maçã ralada (sem casca)

100g de cenoura ralada

60g de passas

raspa da casca de 1 laranja 

1 colher de sopa de sumo de laranja

190g de farinha

1 colher de sopa de fermento em pó

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 colher de chá de canela em pó

1 pitada de noz moscada


Preparação:


Numa taça grande coloque o açúcar os ovos e o óleo e misture bem com uma colher de pau. Acrescente depois a maçã e as cenouras raladas, as passas, e raspa e sumo de laranja e incorpore bem. Seguidamente junte a farinha, fermento, bicarbonato de sódio e as especiarias, e envolva bem para combinar.

Deite a massa numa forma tipo bolo inglês, não muito grande, previamente untada e forrada com papel vegetal.

Leve ao forno previamente aquecido a 180ºC  e deixe cozinhar cerca de 30 a 35 minutos, até o bolo estar cozido.

Retire e deixe arrefecer um pouco antes de desenformar.


Bom Apetite!


Compota de Morango e Chia (sem açúcar)



Há muito tempo que andava atrás de uma receita de doce que não levasse açúcar e que fosse realmente parecida em termos de textura e sabor às compotas mais tradicionais.

Não tenho absolutamente nada contra as compotas tradicionais, que são as que faço sempre e que me estão nas memórias e que eu adoro, mas os miúdos gostam de torradas com doce e manteiga e eu queria uma melhor alternativa para eles.

Habitualmente compro as compotas “sem açúcar”, ou as biológicas (algumas com açúcar!), mas há sempre espaço para melhorar certo? Tal como a maioria das coisas que fazemos em casa, em principio terão sempre melhores ingredientes e são mais naturais.

Experimentei algumas receitas, mas nenhuma me convenceu. Ou melhor, não convenceu os miúdos e quase nunca gostaram.


Entretanto, num quase regresso ao passado e a passar os olhos por um livro antigo da Mafalda Pinto Leite, percebi que havia uma receita interessante e que me chamou a atenção. Tinha morangos a ficarem bem maduros, e não foi tarde nem cedo!

Um doce sem açúcar realmente bom e aprovado pelos críticos cá de casa!


Ingredientes para 1 frasco grande:

(adaptado de “As receitas da Mafalda” - Mafalda Pinro Leite, pagina 59)


3 chávena de morangos

1 colher de chá de essência de baunilha (opcional)

4 colheres de sopa de xarope de acer (ou de mel)

1 colher de sobremesa de sumo de limão

3 colheres de sopa de sementes de chia


Preparação:


Lave os morangos e retire os pés. Corte em pedaços.

Num tachinho coloque os morangos, a essência de baunilha, o sumo de limão e o xarope de acer, e esmague ligeiramente os morangos. Deixe aquecer em lume brando, deixando levantar fervura, e deixe ferver em lume baixo durante cerca de 5 minutos.

Junte depois as sementes de chia e misture bem. Deixe ferver em lume brando por mais 15 minutos, mexendo de vez em quando.

Retire do lume e guarde num frasco no frigorífico.


Bom Apetite!


Frango Assado com Alho, Limão e Pimentão Fumado



Por mais receitas diferentes que se experimentem, os básicos serão sempre os básicos e, quando planeio a minha ementa semanal, apesar de poder contemplar algumas receitas mais fora do comum, há sempre os básicos, como o frango assado. 

Quando me pergunta como começar a fazer ementas semanais, a minha indicação é sempre para começar pelos favoritos da família, por aquelas receitas que fazem desde sempre, simples e que toda a gente gosta. Essas devem ser sempre a vossa base de planeamento. E partir daí poderem incluir algumas receita diferentes, coisas que andam há imenso tempo para experimentar, ou que vos chamou a atenção por alguma combinação que vos agrade. A segurança das receitas que conhecemos e fazemos de cor, deve estar sempre presente no nosso planeamento semanal. Imaginem um dia difícil, em que chegam a casa, e há vossa espera estão os sabores e os cheiros de conforto.

De certeza que o resto doa dia vos trará o conforto e a calma que necessitam!

O frango assado tem esse efeito em mim, Será sempre, mas sempre conforto, casa e família!


Ingredientes para 4 pessoas:


1 frango do campo cortado ao meio

sal e pimenta q.b.

5 dentes de alho

1 limão

1 colher de sopa de pimentão fumado

1 colher de sopa de mistura de ervas secas

50ml de vinho branco


Preparação:


Coloque o frango num tabuleiro de forno, com a pele virada para cima, e tempere de sal, pimenta o colorau e acrescente os dentes de lho laminados. 

Corte o limão em rodelas e junte ao frango, acrescente o vinho e polvilhe com a mistura das ervas secas. Tape com papel de alumínio, e leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 1h45. Ao fim desse tempo retire o papel de deixe assar mais um pouco até o frango ficar tostadinho.

Sirva com uma salada verde e com batatas assadas.


Bom Apetite!

Chamuças de Batata Doce e Espinafres



Há receitas que vou fazendo, experimentando e testando, e que por vezes acabam esquecidas entre as fotos com computador e do telemóvel. E depois dou por mim a perguntar porque é que não as partilhei, porque eram realmente deliciosas. Foi o caso destes chamuças em versão petisco vegetariano, e que ficaram deliciosas, mas que ficaram esquecidas.

Aqui ficam elas. Claro que podem susbtituir os recheios, por outros legumes, e até sobras que tenham em casa, mas esta combinação fica deliciosa!


Ingredientes:


2 batatas doces

100g de espinafres

1 molho pequeno de coentros frescos

1 colher de azeite

1 cebola pequena

1 colher de chá de Garam Masala

1/2 colher de chá de gengibre em pó

1 colher de sobremesa de Curcuma (açafrão das índias)

piri-piri a gosto

massa filo

manteiga q.b.


Preparação:


Descasque as batatas doces e corte-as em cubos. Leve-as depois a cozer, até ficarem macias em água temperada de sal. Escorra e reserve.

Pique depois a cebola e leve-a a fritar no azeite. Acrescente depois todas as especiarias e deixe cozinhar em lume brando até as especiarias libertarem todo o seu aroma. Junte depois as batatas já cozinhadas e os espinafres, deixando aquecer e esmagando tudo com as costas da colher de pau. Acrescente os coentros picados, envolva e reserve, deixando arrefecer.

Corte tiras de massa filo e pincele-as com um pouco de azeite. Enrole depois cuidadosamente cada uma das chamuças, em triangulo, e coloque-as num tabuleiro forrado com papel vegetal, pincelando-as com um pouco mais de manteiga.

Leve-as ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 15 minutos, ou frite-as em óleo vegetal.


Bom Apetite!

Muffins de Bacon e Chouriço



O fim de semana foi muito bom! Passeio, jantar com amigos, e domingo o retomar dos workshops no Porto. Tudo vivido de forma diferente, como agora tem de ser, mas sem deixarmos de sentir que podemos fazer o que sempre fizemos, ainda que de outras formas e como outros cuidados. Mas que a vida continua, e que temos de nos adaptar. E como nos conseguimos adaptar!

Fica também aqui hoje uma receita de muffins salgados. Uma espécie de Mini-Bola que podem aproveitar para snacks, refeições mais ligeiras a acompanhar uma sopa e também para piqueniques, que o tempo ainda convida e esta nova realidade também!


Ingredientes para 12 muffins:


90 g de bacon em cubos

90 g de chouriço em cubos

3 colheres de sopa de cebolinho ou salsa picada

120 g de queijo ralado

220 g de farinha

1 colher de sobremesa de fermento em pó

¼ de colher de bicarbonato de sódio

sal e pimenta q.b.

260 g de leite

120 g de iogurte natural

2 ovos


Preparação:


Numa frigideira antiaderente bem quente, leve o bacon e o chouriço a fritar. Não precisa de adicionar nenhuma gordura, ao longo da fritura os enchidos vão largando a sua própria gordura e fritar nela. Reserve o bacon, o chouriço frito e a gordura que ficou na frigideira, vai juntar tudo na massa.

Numa taça coloque todos os elementos secos: farinha, fermento, bicarbonato, sal e pimenta. Noutra taça coloque os líquidos: leite, iogurte, ovos e bata com uma vara de arames só até ficar tudo homogéneo. Envolva as duas misturas, o bacon e chouriço e a gordura que se libertou e misture bem.

Unte as forminhas de muffins, e encha-as  até  cerca de 3/4 da capacidade.

Leve ao forno previamente aquecido a 180ºC  durante cerca de 20 minutos, após esse tempo faça o teste do palito, se estiver cozido retire do forno e desenforme.


Bom Apetite!


Barritas Cruas de Aveia



O fim de semana está à porta e deixo-vos hoje como sugestão - depois de tantos pedidos - as barrigas de aveia! Finalmente partilho a receita que mais me pediram esta semana-

O Zé Maria gostou muito delas  e  tem levado nos lanches para o ATL. São muito simples de preparar, e são uma alternativa, para quem está sempre à procura de outras ideias e sugestões para levar para os lanches dos miúdos.

Aqui fica!  Bom fim de semana a todos!


Ingredientes para cerca de 8 barritas

(chávena usada com cerca de 220ml de capacidade)


1/2 chávena de manteiga de amendoim

1/3 de chávena de mel

1/2 chávena de coco ralado

1 chávena de aveia - flocos finos

1/4 chávena de pepitas de chocolate

1/4 de chávena de passas


Preparação:


Misture todos os ingredientes até obter uma massa. Forre depois uma forma não muito grande com papel vegetal, e coloque a mistura pressionando bem, numa camada uniforme. Leve ao frigorífico algumas horas.

Desenforme e com a ajuda de uma faca corte em retângulos do mesmo tamanho. Guarde numa caixa hermética no frigorífico. Para levar, embrulhe cada barriga em papel vegetal ou beeswrap, ou coloque numa caixinha.


Bom Apetite!

Sopa Cremosa de Legumes e Espinafres



Não tinha por habito partilhar aqui as minhas receitas de sopa, mas recebo sempre tantas questões sobre a sopa, que me faz todo o sentido ir partilhando algumas receitas por aqui. Eu faço sempre a sopa na bimby, e faço suar os legumes primeiro. A sopa fica mais saborosa. E como gostamos dela bem cremosa, trituro-a muito até ficar ao nosso gosto. Mas é sempre algo que podem adaptar ao vosso gosto.

Deixo a indicação de como podem fazer na bimby e no tacho, porque sei que há quem não consiga acertar bem nessa coisa de adaptar as nossas receitas à bimby.

Espero que seja uma ajuda.


Ingredientes para cerca de 2 litros de sopa:


2 batatas doce pequenas

1 courgete média

350g de floretes de couve flor

2 cenouras médias

150g de espinafres baby

sal q.b.

azeite q.b.


Preparação:


Lave bem os legumes. Corte a courgete em pedaços (se for muito grande, convém tirar a casca e as sementes interiores, pois pode amargar a sopa! Corte também a cenoura (eu não descasco, lavo apenas muito bem e uso com a casca!), e descasque e corte em cubos a batata doce, e separe a couve flor em raminhos.

Coloque um pouco de azeite no fundo de um tacho (ou da bimby) e coloque todos os legumes menos os espinafres. Deixe refogar um pouco, em lume brando e com a tampa, mexendo de vez em quando. (Na bimby, coloco a 100ºC, 15m, velocidade colher - sem água, só os legumes e azeite).

Ao fim desse tempo, cubra os legumes com água, só mesmo até cobrir, acrescente os espinafres, tempere de sal, e deixe cozinhar até os legumes estarem macios. (Na bimby, mais 15m, temperatura 100ºC, velocidade colher) Quando os legumes estiverem macios, triture a sopa até que fique bem cremosa (Na Bimby triturar 1 minuto, velocidade 10 )

Acrescente agora água, se necessário até a sopa ficar com a consistência desejada - cremosa, mas não muito grossa - e deixe levantar fervura. Retifique de sal. (Na bimby, acrescente também agua até a sopa ter a consistência desejada e retifique de sal e deixe cozinhar mais 5 minutos, 100ºC, velocidade colher).

Sirva quente.


Bom Apetite!


Arroz de Terra e Mar

Na verdade uma espécie de arroz à Valenciana, um bocadinho simplificado pelos ingredientes que utilizei, mas que ainda me levou numa rápida ida às compras.

A pesar de planear sempre a ementa semanal, deixo o fim de semana sempre muito livre, pois nunca sei muito bem os nossos planos, ou há planos sempre de ultima hora. Não tinha nada previsto para domingo, mas no sábado chegamos já tarde a casa, e lá me esqueci de deixar alguma coisa a descongelar para o almoço. De manhã não estava com muitas ideias acerca do que cozinhar, o Miguel ainda sugerir ir almoçar fora, mas não estava com grande vontade. Também me sugerir fazer um arroz à valenciana, uma paelha, ou arroz de cabidela! Obviamente que estava com desejos de arroz! Tinha quase tudo para uma espécie de arroz à valenciana, mesmo a parte de peixe e marisco. Mas não me deixei demover. Rápida ida às compras para trazer camarão cozido, lulas congeladas e um chouriço. E assim nasceu o arroz do almoço de domingo!



Ingredientes para 6 pessoas:


1,5 chávenas de arroz basmati

500g de camarão cozido* (aproveite as cascas para fazer caldo de camarão para depois juntar ao arroz)

1 chouriço

10 lulas pequenas

250g de carne de porco em cubinhos

1 pimento vermelho

1 chávena de ervilhas

sal e pimenta q.b.

2 chávenas de caldo caseiro de peixe ou camarão* 

1 cebola

2 dentes de alho

sal e pimenta q.b.

2 colheres de sopa de massa de pimentão

azeite q.b.

50ml de vinho branco

1 folha de louro

coentros picados q.b.


Preparação:


Pique a cebola e os dentes de alho e leve-os a alourar juntamente com o louro e o azeite num tacho largo. Corte o chouriço em rodelas finas e junte à cebola assim que ela começar a dourar. Envolva bem. 

Junte depois a massa de pimentão, o pimento em tiras (guarde alguns pedaços para decoração) e a carne de porco  e deixe cozinhar uns minutos. Acrescente o vinho branco, e deixe cozinhar até que esteja evaporado.

Adicione agora o arroz, as lulas em rodelas e as ervilhas e envolva bem no refogado. Acrescente o caldo de peixe ou camarão e retifique de sal e pimenta. Deixe levantar fervura, reduza para o mínimo, tape e deixe cozinhar até que o liquido tenha evaporado. Desligue o lume, envolva os camarões previamente descascados (deixe uns para decorar), volte a tapar e deixe repousar uns minutos.

Coloque depois o arroz numa travessa e decore com os camarões reservados, as tiras de pimento também reservadas e polvilhe com os coentros picados!

Sirva de imediato!


Bom Apetite!


Bolachas de Aveia, Espelta e Passas



Setembro dos recomeços e do início de escola. Do inicio também do ATL, e dos lanches.

E eu continua a ser aquela mãe que prepara coisas que os meninos gostam para oa lancheiras, e mesmo para snack de final de dia, de fim de semana, e até para depois das actividades extra, desportivas.

Gosto de lhes fazer barritas, bolinhas energéticas e bolachas e bolinhos. Continuo sem gostar muito que comam bolachas e bolos de compra, que continuam praticamente sem comer, e eu sem comprar. Mas não são diferentes dos amigos que levam essas coisas para a escola. Eles também levam, mas noutra versão, com ingredientes melhores, e homemade. Agora é muito normal haver familiar que não dão açúcar e processados às crianças. Mas há 7 anos quase, quando tive esse cuidado com o Zé Maria, de uma maneira geral as pessoas não estavam tão bem informadas, e fui muitas vezes criticada por isso.

Os meus filhos comem gelados, bolos e algumas sobremesas. Ocasionalmente. Sabendo distinguir situações de festa, do dia a dia. Continuam sem comer gomas, chupas, refrigerantes, fast food, bolachas de compra… E não se importam com aquilo que levam na lancheira que pode, ou não, ser diferente dos outros meninos.

E também levam bolachas, como estas, para o primeiro dia deste novo ano escolar!


Ingredientes para cerca de 20 bolachas


200g de flocos finos de aveia

150g de manteiga

100g de açúcar de coco (ou mascavado)

1 colher e chá de fermento

90g de farinha de espelta

1 colher de chá de canela

1 ovo

60g de passas ou pepitas de chocolate (opcional)


Preparação:


Derreta a manteiga. 

Numa taça coloque os flocos de aveia, o açúcar, o fermento, a canela, a farinha , as passas ou pepitas e o ovo. Junte a manteiga derretida e mistura bem até ficar com uma mistura homogénea.

Leve depois a mistura ao frigorífico, cerca de 1 hora.

Forme depois bolinhas e espalme-as um pouco, e coloque num tabuleiro forrado com papel vegetal.

Leve depois ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 15 minutos até as bolachas estarem cozinhadas.

Deixe arrefecer sobre uma grelha e guarde-as depois numa caixa hermética.


Bom Apetite!

Carne picada à Bolonhesa (ideal para ter sempre pronta no congelador)



Quando chegamos a 31 de Agosto, tenho sempre um bocadinho aquela sensação de véspera de ano novo. Setembro será sempre mês de recomeços. Do início da escola, de novos planos e de estratégias. De implementar coisas novas, de iniciar ou concluir planos.

Este setembro trará de volta os workshops em Lisboa e no Porto que ficaram parados desde Março. Trará trabalhos entregues e firmará o início de muitas coisas que fervilham na minha cabeça há uns meses. 

Amanhã os mais velhos retomam a escola, e anuncia-se o novo ano escolar. A Benedita ainda ficará em casa - espera-se que apenas mais uns meses apenas - e eu retomo as minhas rotinas mais habituais, as novas, criadas depois desta pandemia, e algumas das anteriores, porque o mundo não para, e é preciso sermos capazes de nos readaptarmos e de com as medidas necessárias continuamos a viver.


Mas este Setembro será sempre atípico e diferente. De qualquer maneira, do capítulo das coisas que nunca mudam, vamos sempre tentar implementar aquelas rotinas que nos vão ajudar a ser mais eficientes e organizados.

Por isso, hoje partilho a minha receita de bolonhesa. A que preparo em quantidade e congelo para as “emergências”. A bolonhesa que resolve o jantar em minutos enquanto descongela no microondas e se coze uma massa. A que permite fazer uma lasanha em poucos minutos e vai para o forno, deixando-nos livre para outras tarefas domésticas. A bolonhesa que se transforma em chilli, em empadão, em recheio de folhados ou de wraps. A receita que não pode faltar no vosso repertório, e que deve estar sempre disponível num congelador organizado e pensado para nos auxiliar no dia a dia!


Ingredientes para 4 a 2 doses para congelar:


1 kg de carne de vaca picada (peçam no talho carne de estufar  e peçam para picar. Convém a carne ter alguma gordura, para permitir uma bolonhesa mais saborosa!)

1 cebola grande

2 dentes de alho

500g de tomate maduro ou 1 lata grande de tomate pelado

sal e pimenta q.b.

1 folha de louro

50ml de vinho branco (ou tinto)

1 colher de sopa de ervas secas a gosto


Preparação:


Pique finamente a cebola e os dentes de alho e leve num tacho ao lume, juntamente com um pouco de azeite e a folha de louro. Deixe refogar até a cebola começar a ficar dourada. Junte depois a carne picada e envolva bem no refogado, deixando a carne ganhar cor. Junte o sal, um pouco de pimenta, e o vinho e deixe cozinhar um pouco até o vinho evaporar. Acrescente depois o tomate fresco ou o de lata, cortado em pequenos pedaços, e as ervas secas, ratifique de sal e pimenta e misture bem. Depois de levantar fervura reduza o lume para o mínimo e deixe cozinhar em lume brando cerca de 40 minutos.

Retire, divida em doses colocando em caixas de congelação. Congele e tenha bolonhesa sempre à mão para uma refeição rápida, ou apenas para simplificar e ajudar o planeamento da ementa semanal.


Bom Apetite!


3 Batidos Deliciosos






Há uns meses, a minha nutricionista, a Mafalda Rodrigues de Almeida (https://www.instagram.com/mafaldaralmeida/) sugeriu que eu começasse a fazer uns batidos, para o pequeno almoço, ou para o lanche. Optei por fazer ao lanche, e tenho gostado muito, nestes dias de calor. Já partilhei aqui uma ou duas receitas, mas surgem sempre muitas perguntas acerca dos batidos.

Pessoalmente, uso sempre bebida vegetal de amêndoa, mas podem usar leite, ou outra bebida vegetal da vossa preferência. Eu misturo sempre fruta e um vegetal. E sempre que possível uma aromática como manjericão, hortelã ou outra que tenha disponível, como limonete.

O truque, tal como numa sopa, é deixarem o batido bem cremoso. Por isso tem de bater bem, com a varinha mágica, liquidificadora ou a bimby, durante algum tempo, e não juntar muito “leite”, para que não fique aguado.

Eu, como bebo à tarde, e gosto dele bem fresco, faço à hora de almoço e guardo depois no frigorífico numa garrafa, bem fechado até à hora do lanche. Mas desde que fique num recipiente hermético (tipo uma garrafa reutilizada de polpa de tomate e de preferência cheia, para não existir ar por causa da oxidação) e no frigorífico podem deixar de um dia para o outro, no máximo de 24 horas.

Deixo-vos 3 combinações diferentes mas deliciosos e que são das minhas preferidas deste verão!


Batido de ananás, cougete  e hortelã:


Coloque 75g de ananás, 1/4 de courgete (descascada ou com casca), 1 pernada de hortelã e 125ml de bebida vegetal de amêndoa  no copo da varinha mágica, na liquidificadora ou no robot de cozinha e triture até obter uma mistura homogénea e cremosa. (Eu trituro na Bimby, 1 minuto velocidade 10 porque gosto bem cremoso).


Batido de Melão, Pêssego e Espinafres:


Coloque 75g de melão, 1 mão cheia de espinafres, 1 pêssego pequeno, 4 folhas de manjericão e 125ml de bebida vegetal de amêndoa  no copo da varinha mágica, na liquidificadora ou no robot de cozinha e triture até obter uma mistura homogénea e cremosa. (Eu trituro na Bimby, 1 minuto velocidade 10 porque gosto bem cremoso).


Batido de Melancia, Morango e Pepino:


Coloque 75g de melancia, 1/4 de pepino (descascado), 4 morangos, 1 pernada de hortelã e 100ml de bebida vegetal de amêndoa  no copo da varinha mágica, na liquidificadora ou no robot de cozinha e triture até obter uma mistura homogénea e cremosa. (Eu trituro na Bimby, 1 minuto velocidade 10 porque gosto bem cremoso).


Bom Apetite!

Imprimir