Almôndegas Mistas com Molho Cremoso de Natas


Há cerca de 15 dias atrás, recebi um enorme cabaz de produtos da Maggi aqui em casa. À medida que ia retirando as coisas do saco, foi quase uma viagem no tempo, e um regresso a receitas que comecei a cozinhar sozinha. Os caldos de frango fizeram-me de imediato lembrar o famoso frango à foguetão, do Chefe Silva, com caldo de frango e limão que a minha mão fazia tantas vezes, como o assado de Domingo, a sopa de cebola uns bifinhos de frango com natas e sopa de cebola no forno, receita que a Amélia me ensinou numa tarde de verão na praia de Altura e a sopa de rabo de boi, o frango com cerveja e sopa de rabo de boi que aprendi com  “Tia” São no Bussaco, durante os períodos de férias que lá passava com a Rita, a Joana e a Paula.
Até o creme de marisco me levou às férias, quando a minha mãe fazia aquela sopa e a complementava com croutons caseiros e camarões salteados....
Estava lançado o desafio de cozinhar com aqueles produtos, mas principalmente de me sentir inspirada por eles.
E foi quase assim, abrindo e fechando os armários cá de casa, e vendo o que tinha disponível para cozinhar, que saíram umas almôndegas com um delicioso molho cremoso de natas com o toque especial da Maggi.

Ingredientes para 2 pessoas:

300g de carne picada mista - de carne de porco e carne de vaca
1 ovo pequeno
3 colheres de sopa de pão ralado
sal e pimenta q.b.
200ml de natas + 100ml de leite
1 cubo de caldo de carne Maggi
1 colher de sobremesa de farinha
1 pé de tomilho
azeite q.b.

Preparação:

Coloque a carne picada numa taça e tempere de sal e pimenta. Acrescente o ovo e o pão ralado e misture bem. Molde depois bolinhas do tamanho de nozes. Reserve.
Leve uma frigideira ao lume com um fio de azeite e cozinhe as almôndegas até ficarem bem cozinhadas por dentro e douradas por fora.
Entretanto, num tacho pequeno, misture o cubo de caldo de carne Maggi com as natas, o leite e a farinha, acrescente o tomilho e leve a cozinhar em lume brando até engrossar . Retifique de  pimenta.
Sirva as almôndegas regadas com o molho cremoso de natas e acompanhe com puré de batata Maggi e uma salada verde.


Bom Apetite!

13 comentários :

  1. Anónimo09:37

    Esta introdução lembra algumas coisas que usava e fazia há bastante tempo, e que deixei de usar.
    Já não uso os cubos de caldo nas sopas ou arroz de manteiga, e as sopas de cebola/cogumelos a temperar bifinhos/filetes de peixe ou misturadas com natas, e que iam ao forno (acho que era uma receita da Filipa Vacondeus).
    Talvez revisite esses momentos, pontualmente, embora hoje em dia não façam parte da minha dispensa. Raramente, vejo a sopa de cebola e de cogumelos (usava a da concorrência, "Knorr"), e o que vejo é a de cogumelos em versão "gourmet".
    Com estes produtos ou não, será uma receita para experimentar, adaptando as coisas, caso seja necessário!

    Um grande beijinho,
    Sara Oliveira

    ResponderEliminar
  2. Olá Joana,

    é a primeira vez que comento apesar de seguir o seu blog há muito tempo.
    Gosto do seu estilo de culinária... para a família, para os amigos...! Venho a reparar que tem tentado dar opções cada vez mais saudáveis com os habituais pecadinhos que trazem o equilibrio necessário.

    Foi com grande surpresa que vi este post em que inclui caldos de cozinha... porque foram oferecidos e tem q respeitar o patrocinador? Por favor não se esqueça do número de pessoas que lêem o seu blog e nas quais forma opinião.
    é domingo e há bolo? perfeito!! o tal equilibro...!! mas o que acrescentam os caldos? na-da. Conseguimos sabores melhores e muito, muito mais saudáveis com receitas simples e boas como as suas.
    Não se esqueça que forma opiniões, é só isto que quero dizer-lhe

    Bom trabalho
    Rita Matos Parreira

    ResponderEliminar
  3. Olá Rita,

    Obrigada pelas suas palavras, pelo seu comentário e pela sua opinião.
    Não é a primeira vez que incluo uma receita com caldos. Se uso muitas vezes? Não. Mas uso em algumas receitas - como as que falo no texto inicial - e que me lembram sabores de infância e adolescência... Fazer frango à foguetão sem caldo de frango e limão não é a mesma coisa. Tal como este molho das almôndegas não é igual sem o caldo de carne.
    Tenho aprendido muito, e tenho tentado fazer e dar aos meus filhos uma alimentação o mais equilibrada e "limpa" possível. Mas não sou fundamentalista com nada. Evito comida processada, evito ir ao Macdonals, evito beber coca-cola. Mas às vezes há comida processada, e batatas fritas de pacote, e coca-cola e ainda há um mês comi macdonals.
    Tal como afirma no seu comentário é preciso equilíbrio para tudo.Tal como o bolo à sexta feira e as sobremesas de fim de semana. Tal como um caldo de vez em quando, ou um folhado misto de quando em vez.
    E sim. Tenho responsabilidades com algumas marcas. Que tomo em decisão consciente aceitar ou não, fazer receitas ou não. Falar ou não.
    Como tudo, é uma questão de equilíbrio. Em consciência e sabendo que também tenho o poder de ajudar a formar opiniões, os caldos entram de quando em vez na minha cozinha. Sem "culpa".

    Obrigada pelo comentário e por dar a sua opinião. Talvez o possa fazer noutras vezes em que goste mais da receita e das sugestões apresentadas.

    Joana Roque

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diana08:45

      Joana,
      Nada contra a utilização destes produtos esporadicamente mas tenho que dizer que fiquei também surpreendida, sobretudo pelo puré. Puré de pacote não tem nada a sua cara :)

      Eliminar
  4. Anónimo19:45

    Ingredientes: Sal iodado, gordura de palma parcialmente hidrogenada, intensificadores de sabor (E 621, E 635), extrato de levedura, maltodextrina, aromas (com glúten), açúcar, carne de vaca 1,5% (carne de vaca 90,6%*, sal iodado, antioxidante: extratos de rosmaninho), açúcar caramelizado, corantes (E 150d, E 101), salsa.
    * por carne de vaca desidratada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:52

      Um dia morremos todos. Vamos só confiar no bio..Ah, espere. Afinal também nos enganam com os produtos biológicos, que afinal também contêm produtos cancerígenos.
      Viva mais. E coma um caldo de vez em quando que não vai morrer por causa disso.

      Eliminar
    2. Anónimo21:53

      Não quero julgar ninguém. Cada um faz o tipo de alimentação que bem quer. Mas é sempre bom estarmos bem informados sobre o que comemos. Esta lista de ingredientes dos caldos é útil. Escolhas informadas são úteis. Mas, é claro, cada um sabe de si. Eu prefiro estar informada e por isso não consumo este tipo de produtos (mas isto sou eu.).

      Eliminar
  5. Anónimo22:15

    E a Joana ainda se dá ao trabalho de responder?!
    Deixe lá isso. Um caldo de vez em quando não fez nunca mal a ninguém! De repente somos todos saudáveis e só fazemos receitas do bem e corremos todos 5k por dia. De repente esquecemos anos e anos a comer mal, e esquecemos que somos o país com maior taxo de diabetes da Europa. É só gente saudável por aqui.
    Nesta perspetiva, também estão mal as natas - fazem mal ao colesterol. E a carne de porco e de vaca? Que horror! Só carnes brancas de frango e peru. E a farinha e o pão ralado? Pior ainda que tem glúten!
    Deixem de ser hipócritas.
    Neste blogue, que sigo há anos, sempre houve espaço para tudo. E ainda bem.
    Se não gostam, que tal deixarem a Joana em paz e irem a blogues do bem. É que não faltam por aí.
    Isto a mim parece-me mais um caso de "dor de cotovelo" quando percebem que há blogues que até podem ser pagos para fazer referência a produtos.
    Arranjem uma vida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo09:29

      Concordo plenamente! :)

      Eliminar
  6. Belíssimas almondegas. Sabe sempre bem.

    Beijinhos,
    Clarinha
    http://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Anónimo11:16

    Querer colar-se aos Paleo trouxe-lhe certamente muitas coisas boas mas por outro lado atraiu ao seu blogue este tipo de "comentaristas". Lá está, para tudo há um equilíbrio, um lado bom e um lado mau e desde que as escolhas sejam feitas em consciência...
    Por mim, tenho muitas saudades do tempo em que o blogue era realmente uma belíssima montra da boa comidinha portuguesa. Muita receita eu tirei daqui (e só tenho a agradecer-lhe por isso, note-se). Muito brilharete eu fiz à conta das suas receitas, as do blogue e as dos livros. Agora...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo12:19

      Ainda gostava de saber onde é que aqui deixou de haver boa comidinha portuguesa... Eu continuo a fazer brilharetes todos os dias com estas receitas! E ainda ontem voltei a fazer com esta receita.

      Eliminar
    2. Anónimo das 11:16,

      Realmente gosto bastante de algumas coisas da filosofia Paleo. Gosto da questão de comer comida de verdade, de dar mais importância aos alimentos que consumimos, de evitar comida processada. Mas não sou fundamentalista de NADA. E muito menos me quero "colar" aos paleo. Cá em casa come-se de tudo. Há açúcar e bolos todas as semanas. Mas também há variantes de sobremesas mais saudáveis. Há receitas com batata doce e mais vegetais, mas há massas e arroz de peixe. Há receitas tradicionais portuguesas, e há experiências de outro tipo de comidas e receitas. Nunca neguei que gosto de cozinhar e de experimentar coisas diferentes. Tinha curiosidade com a tapioquinha e experimentei. Tal como tinha curiosidade com o pudim de chia. E tal como tinha curiosidade com a entremeada de leitão, o bolo brigadeiro e mousse de mascarpone.
      Há aqui quase 3000 receitas. E é um blogue onde há espaço para tudo. Tenho pena que já não se sinta tão atraída pelas receitas. No entanto, o que por aqui aparece é sempre o reflexo do que se come diariamente aqui por casa. Porque também tenho dois miúdos pequenos e muitas vezes o dia a dia faz-se de coisas mais simples como massa com salmão (que foi o jantar de ontem) ou arroz de frango que eles adoram. Às vezes não é mesmo nada de especial. Quanto aos livros.. Continuam iguais a si mesmos, pode ser que encontre mais inspiração por aí.
      Eu só tento fazer uma alimentação diversificada, equilibrada, e poder ensinar os meus rapazinhos a comerem o melhor possível e a fazerem boas escolhas. Mas mais uma vez digo que não sou fundamentalista de nada, nem sigo nenhum regime em particular.
      Gosto de comer e gosto de cozinhar e gosto de experimentar coisas diferentes, para, como diz o meu pai, "não morrer estúpida". E é isso que partilho aqui, diariamente há 11 anos, para todos os que cá quiserem vir ver, consultar, tirar receitas, ideias e fazer brilharetes com as minhas partilhas sem achar que mereço alguma coisa em troca. Faço porque gosto e porque quero.
      Portanto é normal que haja dias em que gostam muito das receitas e outros em que não gostam nada. É normal que se identifiquem mais com umas coisas do que com outras. É normal que haja receitas que nunca na vida vão experimentar. É normal que existam outras que fazem agora parte do vosso repertório e as tenham como vossas.
      Se esta é um blogue de receitas e das experiência que eu faço em minha casa e na minha cozinha, também me parece normal partilhar de tudo um pouco, sem ser acusada de estar a fazer dieta e não ter receitas boas, ou de fazer bolos com demasiado açúcar, ou de ter comida pouco saudável, ou de agora ter a mania que faço comida saudável, ou de agora sem colar aos paleo, ou de agora andar só com receitas vegetarianas, ou de ser altura de começar a fazer menos sobremesas porque estou muito gorda, ou de ser fundamentalista porque evito dar demasiado açúcar aos meus filhos.... Ao longo de 11 anos tenho ouvido de tudo. A sorte é que há muito que deixei de me preocupar em demasia com isso.

      Joana Roque

      Eliminar

Imprimir