Sopa de Rabo de Boi à moda do Jorge


Começar o melhor mês do ano, Dezembro, com recordações, é talvez a melhor coisa que podia acontecer. E principalmente memórias carinhosas e felizes de pessoas que já cá não estão!
O Jorge era um amigo dos meus pais - e meu também, claro! Verdadeiro amante da comida, de comer e cozinhar - e como era bom cozinheiro. É dele a receita de  sopa de tomate à alentejana que faço, assim como a sopa de cação. Tenho muitas memórias do Jorge a cozinhar com a minha mãe, naqueles fins de semana de amigos. com almoços que acabam depois de jantar.
O Jorge era uma pessoa mesmo encantadora, e mais do que gostar de comer e de cozinhar, tinha uma enorme cultura gastronómica, era apreciador de coisas boas, um verdadeiro “gourmand”.
Mas o Jorge já morreu há muitos anos, vitima daquela doença parva chamada cancro, que mata pessoas sem olhar a nada. O Jorge morreu demasiado novo, deixou filhos pequenos, mulher e pessoas que gostavam muito dele. O Jorge morreu, mas a comida te destas coisas, as receitas que ele faziam permanecem em quem as cozinha. No papelinho escrito pela mão dele onde está a receita da sopa de cação ou a sopa de tomate à alentejana. E está, principalmente nas memórias que temos - que tenho - das coisas que ele fazia.
Nas ultimas semanas, uma sopa de rabo de boi que comi há muitos anos em casa dele andava a encher-me os sentidos. Foi seguramente à mais de 20 anos. (E têm de me começar a desculpar estas coisas, que os 40 estão a chegar e as coisas já se começam a ter passado há mesmo muitos anos!) Lembro-me que foi só com o meu pai e a minha irmã., Que a minha mãe não tinha ido por qualquer coisa de trabalho. Lembro-me que a minha irmã não quis comer - sempre foi uma miúda esquisitinha na comida - e que o Jorge lhe foi preparar uns ovos mexidos. Lembro-me do Jorge a fazer esses ovos mexidos, na sua cozinha minúscula, em que com 3 pessoas já ninguém se mexia. De derreter manteiga na frigideira e de juntar depois aos ovos batidos antes de os juntar à frigideira quente e mexer, mas deixando-os cremosos e não secos... Mas lembro-me particularmente da sopa de rabo de boi que comemos. Lembro-me que adorei. Lembro-me dos cubinhos de cenoura, batata e nabo milimetricamente cortados, à medida da perfeição do Jorge e das coisas que fazia na cozinha. lembro-me de tal maneira que não consegui pensar noutra coisa durante dias, até finalmente comprar o rabo de boi para tentar recriar a sopa do Jorge.
O problema é que eu não tinha a receita da sopa de rabo de boi do Jorge. A minha mãe não tinha a receita de sopa de rabo de boi do Jorge. Tudo o que eu tinha era as minhas memórias dessa sopa. Que podem ou não ser estas, porque também já se passaram muitos anos.
A sopa de rabo de boi que fiz, é a minha memória da sopa de rabo de boi do Jorge. Não faço a miníma ideia de como é que ele a fazia, mas acho que sei duas ou três coisas sobre cozinhar que me permitem fazê-la o mais fielmente que a minha memória me permite.
Ao Jorge. E às memórias que a comida nos consegue trazer.
E um feliz Dezembro para todos!

Ingredientes para 4 pessoas:

1kg de rabo de boi partido em bocados
sal e pimenta q.b.
2 pernadas de tomilho
1 folha de louro
2 cenouras 
1 cebola

2 batatas grandes
2 cenouras grandes
1 cabeça de nabo
300g de feijão vermelho cozido (em cozo em casa e congelo, mas podem usar de lata)

Preparação:

Comece por cozinhar o rabo de boi. (O rabo de boi tem de cozinhar muito tempo para ficar bem macio, e portanto é um corte perfeito para cozinhar na panela de cozedura lenta, para quem tenha uma. Eu coloquei na minha panela de cozedura lenta o rabo de boi em pedaços, a cenoura descascada e cortada em rodelas, assim com a cebola em pedaços e temperei com sal, pimenta e as ervas. Não coloquei nenhum líquido e cozinhei cerca de 8 a 10 horas em low, até a carne se desprender facilmente dos ossos)
Coloque o rabo de boi num tacho e cubra com água. Junte as cenouras descascadas e cortadas em rodelas, a cebola em pedaços, tempere a gosto com sal e pimenta e acrescente o louro e o tomilho. Deixe levantar fervura e cozinhar, tapado em lume brando umas 4 ou 5 horas, até a carne estar macia e se começar a querer separar dos ossos.
Retire depois o rabo de boi da panela e desfie a carne. Reserve-a e volte a colocar os ossos na panela. Se necessário acrescente mais água e retifique de sal e pimenta - este vai ser o caldo da sopa - e deixe ferver mais uma hora ou duas em lume brando. 
Coe depois o caldo da cozedura, reserve e descarte o resto.
Descasque as batatas, a cenoura e o nabo e corte em cubinhos muito pequeninos.
Coloque o caldo de cozedura do rabo de boi ao lume (retifique de sal!) e junte a mistura de batatas, cenouras e nabo e deixe cozinhar em lume brando até estar macio, mas sem deixar cozer em demasia. Junte depois a carne desfiada e o feijão vermelho, envolva bem e deixe cozinhar mais 5 minutos.
Sirva bem quente.


Bom Apetite!

2 comentários :

  1. Que rica sopa,...
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderEliminar
  2. Anónimo15:33

    É uma bela homenagem ao Jorge e à sua sopa, que lhe traz tão boas recordações!
    A comida tem destas coisas, trazer recordações de momentos, acontecimentos, cheiros ou ingredientes que nos marcaram em algum momento da nossa vida.
    Nunca provei sopa de rabo de boi, e não é muito habitual encontrar à venda onde moro, mas eventualmente poderá servir de inspiração para outra feita com outro tipo de carne.

    Um grande beijinho,
    Sara Oliveira

    ResponderEliminar

Imprimir