quarta-feira, Junho 27, 2012

Ovos no Forno com Queijo

Quando a conheci, ela tinha 16 anos e eu 20 a caminho dos 21. Podia então dizer que ela faz parte da minha vida há mais de 12 anos, mas isso não é verdade porque demorei muitos anos para finalmente a conhecer.
No início ela era para mim uma miúda praticamente da idade da minha irmã e eu pouco ou nada lhe ligava. Que relação podia eu, com quase 21 anos ter com uma adolescente de 16. Durante vários anos assim foi. Acho que mais do que ignorá-la, fui má e mesquinha, barrando-lhe qualquer hipótese de uma qualquer relação e nem sei se ela tentava ou não ter uma relação comigo, porque eu simplesmente criava uma barreira quase intransponível, e durante anos as palavras que lhe dirigi eram meramente de circunstância. Entretanto cresci e comecei a perceber que era ridículo mal a conhecer e mal lhe falar. Deixei de ser mesquinha e má e passei a ser apenas indiferente. E daí comecei a querer ser apenas eu e dar-lhe a hipótese que lhe tinha negado desde o início e tentar conhecê-la. Mas era difícil começar uma relação depois de anos de barreiras estúpidas. Aos poucos tentei ser eu mesma e esquecer as barreiras. Lembro-me da primeira vez que conversei com ela normalmente, quando por força das circunstâncias partilhamos o mesmo quarto, e ficamos a falar pela noite dentro. E posso dizer que fiquei surpreendida com aquela pessoa adulta, genuína e com a cabeça no lugar que, na verdade, estava a acabar de conhecer. Passei a ser mais afável e simpática, mas apesar de eu já não criar as barreiras elas mantinham-se lá e pareciam difíceis de derrubar E foi assim durante alguns anos. Conseguíamos ter uma relação cordial, mas ainda morna e um pouco distante. Até um dia, há pouco mais de 3 anos atrás.
Sem sabermos muito bem como ou porquê (e com alguma "ajuda espontânea" do P. e da C.) as barreiras naturalmente caíram, e eu finalmente abri-lhe o meu coração. E conversámos, tentamos descobrir o porquê das barreiras, esclarecemos mal entendidos. E descobri uma amiga. Alguém em quem posso confiar e que percebe melhor do que ninguém algumas das minhas situações da vida. Descobrimos que fomos educadas de forma muito semelhante e que partilhamos com os nossos pais relações muito iguais. Dizemos o que tem de ser dito e quando tem de ser dito sem cairmos em novos mal entendidos. Custou muito chegar a este ponto, mas agora que chegamos acredito que nenhuma de nós quer voltar atrás. Obrigada por me teres ensinado que nunca é tarde para remediar o passado: quem nos viu e quem nos vê!
Já não era capaz de passar sem a D. que hoje faz anos. Parabéns minha querida!
(E uma receita de ovos com queijo apenas porque sim!)

Ingredientes para 2 pessoas:

2 ovos
50g de queijo mozarella ralado
80ml de leite
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.

Preparação:

Comece por untar 2 forminhas (ramequins) que possam ir ao forno com um pouco de azeite. Abra um ovo para dentro de cada uma das tacinhas e tempere com um pouco de sal e pimenta. Divida o queijo por cada uma das taças, sem cobrir a gema do ovo, e termine com 40ml de leite em cada uma das taças.
Leve depois as tacinhas ao forno pré-aquecido a 180ºC durante cerca de 10-15 minutos até os ovos estarem cozinhados mas ainda cremosos. Sirva com pão torrado.

Bom Apetite!

13 comentários:

  1. Olá,
    Parabéns à D, votos de muitas felicidades.
    Receita muito prática que é certamente um delicioso lanche, com torradas ou pão.
    Beijo,
    Vânia

    ResponderEliminar
  2. Anónimo09:56

    Olá minha querida Joana!!
    Muito obrigada pelo teu post e pelas tuas palavras...e sem dúvida que quando colocamos barreiras temos de ser nos próprios a destrui-las...e esse é um caminho comum...e está feito!!!
    um grande beijinho!!!Diana

    ResponderEliminar
  3. Cristina09:58

    Hummmmm!! Que tacinha tão apetitosas!! Quem me dera ter aqui uma dessas para comer agora no meu segundo pequeno almoço (o primeiro foi às 6:40...)!!
    Parabéns à D., pelo aniversário, e parabéns às duas, pela Amizade!

    ResponderEliminar
  4. Era uma tacinha dessas para a mesa do Tapas, por favor! :)

    ResponderEliminar
  5. ótima receita simples e parece deliciosa... parabéns a D. e principalmente parabéns a você por tentar todos os dias ser uma pessoa melhor e mais feliz e harmoniosa

    ResponderEliminar
  6. É isso que é chamado crescer... Que pode acontecer em qualquer idade. É bom que te sintas assim em relação à D., fico muito feliz!!! Connosco também foi a mesma coisa, precisámos de crescer e de deixarmos de viver sob o mesmo tecto e a magia aconteceu! Que texto maravilhoso, e que prenda de anos fantástica para a D.!!! Dá-lhe um grande beijo por mim logo!
    A tua irmã, M.

    ResponderEliminar
  7. Olá Joana !
    Que texto lindo ! Grande homenagem á tua amiga, ela deve estar muito orgulhosa de ser tua amiga ! Esta, sim é a verdadeira amizade.
    Um grande beijinho desta tua admiradora que gosta muito de ti ! Tenho os teus 2 livros, e agora também tenho um blog.
    Muitas felecidades para a vossa amizade.
    Um grande beijinho.

    ResponderEliminar
  8. parabens para tua amiga e que a vossa amizade dure por mtos anos os teus ovos estam 5* bjs para as duas

    ResponderEliminar
  9. Ótima sugestão! Gostei.

    Um abraço, Fabiana.
    http://sabornoprato.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  10. olá,
    há amizades assim....que começam sem nos apercebermos!!

    ResponderEliminar
  11. Adorei!
    Como descobri a minha paixão pela cozinha agora e estou aprendendo ainda, achei uma receita que dá para eu fazer e deve ficar uma delícia!
    Um beijo
    Mel

    ResponderEliminar
  12. Hum... que bom aspeto!
    E que bonita amizade :D

    Posso copiar esta receita para um blogue de receitas baixas em hidratos de carbono que algumas meninas estão a fazer?

    Obrigada.

    Carla

    ResponderEliminar

Poderá também gostar de:

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin