Tarte de Frango com Ervilhas e Cenouras


A avó do meu amigo Luís era uma pessoa extraordinária. Tive o privilégio de privar com ela, de ter ouvido muitas histórias. Era uma maravilhosa contadora de histórias, foi professora, escritora e mãe de 10 filhos (depois de lhe terem dito que provavelmente nunca poderia ter filhos!)
No meio das muitas histórias e apontamentos familiares que ouvi, gostava particularmente de ouvir a descrição da hora do banho das crianças, ou do panelão de papas de aveia do pequeno almoço.
Lembro-me também de algumas receitas que partilhou comigo, como  a receita do seu arroz doce, que era “famoso” entre os catequistas da minha paróquia, da galinha que faziam na Páscoa, ou da tarte de frango de que toda a família gostava.
Apesar de ter experimentado várias vezes a receita de arroz doce - e de ser das poucas que me sai bem - nunca me lembrei de fazer a receita da tarte de frango. Até há uns dias atrás.
Assim do nada, enquanto acondicionava umas sobras de frango assado numa caixinha, lembrei-me de repente. Foi como se tivéssemos tido essa conversa no dia anterior, apesar de ela já ter falecido há perto de 10 anos, e esta conversa ter provavelmente mais de 12 anos… De repente estava a ouvir a descrição “… vou guardando todos os restinhos de frango e carne assada numa caixinha no congelador. E junto também o molho do assado. Quando tenho uma quantidade suficiente faço a tarte. Cozo ervilhas e cenouras - daquelas pequeninas congeladas - e junto com a carne desfiada e o molho. Forro um pires com massa folhada, coloco a mistura lá dentro, tapo com outra placa de massa folhada e pincelo com gema de ovo. Com as sobras da massa, às vezes ainda faço umas florinhas para colocar por cima a enfeitar. Levo ao forno até ficar dourada. Todos gostam muito.”
Acho que foi mais ou menos assim. Ou é assim que a minha memória guardou esta recordação, neste emaranhado de sentimentos, comida e pessoas. Sei que se não for bem assim, o meu amigo Luís cá estará para retificar as falhas da minha memória.

Ingredientes para 1 tarte retangular pequena:

200g de sobras de frango assado e respetivo molho do assado
150g de ervilhas congeladas
100g de cenouras baby
1 placa de massa folhada retangular refrigerada pronta a usar
1 gema de ovo para pincelar
sal q.b.

Preparação:

Leve ao lume uma panela com água e sal e deixe levantar fervura. Acrescente depois as ervilhas e as cenouras congeladas e deixe cozinhar alguns minutos até ficarem macias. Escorra e reserve.
Desfie o frango e junte-lhe o molho. Envolva bem na mistura de ervilhas e cenouras.
Divida a placa de massa ao meio e com uma das metades forre uma tarteira retangular. Pique o fundo com um garfo e encha com a mistura de frango, ervilhas e cenoura. Com a restante massa folhada cubra a tarte, prendendo bem os bordos, e pincele tudo com um pouco de gema de ovo.
Leve ao forno previamente aquecido a 200ºC até que a massa folhe e fique dourada.
Sirva com uma salada verde.


Bom Apetite! 

9 comentários :

  1. Anónimo09:16

    Uma receita simples, colorida, com uma história bastante bonita. É curioso como algo do dia a dia traz recordações, por vezes distantes. Acontece-me várias vezes, e algumas são relacionadas com comida, viagens, acontecimentos. O Outono lembra a feira das Mercês a que ia quando era pequena, para fazermos o avio dos frutos secos para o Inverno (naquela altura não havia supermercados nem hipermercados!), com o cheiro do leitão assado, o cheiro das primeiras "queimadas" na terra do meu pai e o licor de marmelo (provei-o quando não tinha idade para essas coisas!), o cheiro dos legumes no mercado das Caldas, entre outras recordações. Um grande beijinho, Sara Oliveira

    ResponderEliminar
  2. Cristina09:24

    Que lindo texto!
    Também guardo assim as sobras. Esta receita é mais uma ótima ideia para as usar.

    ResponderEliminar
  3. Çok leziz ve iştah açıcı olmuş. Ellerinize sağlık.

    Saygılar.

    ResponderEliminar
  4. Bela receita!
    Mark Margo
    www.markmargo.net (site de celebridades e cinema)

    ResponderEliminar
  5. Se cá em casa costumamos fazer as tuas empadinhas de perú (mas com frango), com cert q vamos fazer esta tarte bem colorida e cheia de sabor! Receitas simples q fazem a 'festa'. Há coisas intemporais e as receitas são uma delas :) Bjinhos!

    ResponderEliminar
  6. Olá :)!
    Antes de mais, queria dar os Parabéns pelo nascimento do António Maria e desejar muitas felicidades :)!!!! A minha pequenina Beatriz também nasceu uns dias antes e, sendo a primeira filha, as rotinas mudam completamente. Felizmente, ela é um anjinho, o que facilitou e muito as coisas. Este tipo de comida rápida tem sido bastante utilizada cá por casa e esta tarde parece ser deliciosa!
    Queria também deixar o feedback em relação a uma receita sua que experimentei: a de compota de courgette com beterraba e baunilha...é a aplicação exacta do ditado "primeiro estranha-se, depois entranha-se" :). Acho que meti um bocadinho de açúcar a mais, porque achava que ficaria pouco doce, mas gostei muito da combinação, que serviu para despachar as courgettes dadas pelos pais em quantidades absurdas eheh. Hoje será a vez de experimentar o bolo de banana com chocolate e amêndoa para despachar as bananas maduras e as amêndoas.
    Apesar de não comentar muitas vezes, sou uma grande fã do seu blogue e dos seus livros e já tive a sorte de assistir (infiltrada, porque já não apanhei vaga), a um workshop seu no ECI de Lisboa e gostei muito (acho que andei a fazer a receita da salada de cuscuz durante meses :p).
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Se é tarte e leva frango então é óptima de certeza. Adoro receitas que servem para aproveitar os restos de outras refeições e esta tarte está muito apetitosa.

    Visite-me em Gulosoqb

    ResponderEliminar
  8. Que tentação!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. ¡Fantásticos ambientes! me encantan. Muchas gracias por compartirlos con todos/as.
    / http://www.mascasaonline.com

    ResponderEliminar

Imprimir