Hamburguers de Feijão


É inevitável sentirmos que a forma como nos alimentamos tem um enorme impacto no nosso planeta. Talvez isso esteja na origem de cada vez mais pessoas estarem interessados numa alimentação “plant based”, ou seja à base de vegetais. Isto não quer dizer - na minha opinião - que todos devemos passar a alimentarmo-nos SÓ à base de vegetais. É uma opção de cada um de nós e claro que não pode, nem deve ser imposta. Mas acho realmente importante passarmos a incluir refeições sem carne nem peixe na nossa alimentação regular. É realmente importante repensarmos o nosso consumo de produtos de origem animal, nomeadamente a carne e o peixe. Há imensos estudos de impacto ambiental, documentários variados, cimeiras, que nos abrem os olhos para isto. Como a forma de nos alimentarmos está a destruir solos e o nosso planeta. Eu sei que é um bocado moda falar nisto. Mas é efetivamente uma realidade. 
Aqui em casa, há muito que as refeições sem carne nem peixe são uma realidade. Tal como o consumir nacional, local e sazonal sempre que possível. E reduzir o consumo de carne e peixe nas refeições “normais” e aumentar os acompanhamentos de vegetais e hidratos bons, bem como ter uma maior atenção à qualidade dos produtos de origem animal que consumimos São gestos pequenos, mas que podem ter um enorme impacto que forem feitos por muitas pessoas. Gosto mesmo muito daquela frase que diz que “não é preciso algumas pessoas a fazerem grandes mudanças, são precisas muitas pessoas a fazerem pequenos gestos todos os dias”.
E assim, com esta mensagem, e uma receita de hamburgueres de feijão, começam uns dias de ferias a sul!



Ingredientes para 6 hamburgueres com cerca de 125g cada:

400g de feijão encarnado cozido e bem escorrido (eu demolhei e cozi em casa com alga kombu, mas podem usar de lata ou frasco se preferirem)
1cebola roxa média
2 dentes de alho
150g de flocos de aveia finos
1/2 colher de sobremesa de pimentão fumado (podem usar colorau normal)
1 colher de chá de cominhos em pó
2 colheres de sopa de azeite
sal e pimenta q.b.

Para servir:
bolo do caco
tomate
alface
“maionese” de abacate (abacate triturado e temperado com limão e sal)

Preparação:

No robot de cozinha, liquidificadora ou copo da varinha mágica, coloque a cebola cortada em pedaços, o feijão, os flocos de aveia, os dentes de alho, os temperos e o azeite. Triture tudo bem até obter uma pasta que consegue moldar com aos mãos ligeiramente enfarinhadas (se achar muito mole, poderá juntar um pouco mais de flocos de aveia, mas experimente deixar esta mistura repousar cerca de 30 minutos antes de a moldar, uma vez que a aveia aborve o excesso de humidade e torna mais fácil de moldar sem ter necessidade de acrescentar mais nada!).
Divida a mistura em 6 partes iguais e molde hamburgueres. Coloque no frigorífico cerca de 1 hora antes de os cozinhar. Poderá também congelar os hamburgueres para utilizar quando quiser.
Leve depois uma frigideira ao lume com um fio de azeite e deixa aquecer bem. Junte depois os hamburgueres deixando-os cozinhar e ganhar cor de ambos os lados.
Sirva-os depois a gosto.
Aqui servimos em bolo do caco (feito em casa) com alface, tomate e “maionese” de abacate!


Bom Apetite!

3 comentários :

  1. Excelente, parabéns! Boas férias :)

    ResponderEliminar
  2. Tu e Portuguesa? Tu falas muitas merdas e penso que tu nao e um Cigano-Arabe com no resto do nosso pais fraca chamado Portugal! Vai aprender falar bem e eu quer trabalhar comtigo novo amigo. E mais, nao quer problemas com nosso vezinho Grande e Forte com Olivenza Espanhola. Chama amigo novo chama por que juntos Portugal Cigano-Arabe e nossa grande heranca, sempre!!

    Nao trabalhos em Portugal agora e sempre foi assim. Tudo no caralho em Portugal. Um Cigano com eu quer trabalhar e agora nosso pais e fraca com um pau no dente! Espanha Grande e forte e por isso nao quer problemas com nosso vezinho com Olivenza Espanhois.
    E mais...Portugal muito, muito fraca, muito e nao economia e futuro pa os jovems!!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo10:07

    Os hamburgueres estão muito apetitosos!
    Já tinha experimentado fazer uma vez, mas a experiência não correu muito bem. Fico com a sugestão, pois há alturas em que não apetece comer carne ou peixe, e além disso, é uma forma de variar o consumo das leguminosas.
    A forma como nos alimentamos, como produzimos, e também como consumimos, tem impacto no planeta.
    Os padrões de consumo alteraram-se nos últimos anos, passando a haver um aumento do consumo de carne e produtos à base des farinhas, em detrimento dos vegetais. Consome-se em excesso (quantidade ingerida diarimente), mas também produz-se em excesso (não sendo totalmente consumido, gera-se desperdício).
    É uma questão para estar na ordem do dia de agora em diante, pois tem consequências para o futuro.
    As mudanças começam com pequenos passos, e como consumidores podemos fazer a mudança.
    Há muitas questões que vão para além da produção da carne/peixe (e respetiva alimentação), como por exemplo: a produção intensiva de alguns alimentos "politicamente corretos" (ex.azeite, amêndoas, abacate), o "lado negro" da produção de frutos vermelhos, produzidos em estufas que se multiplicam por este país (e que causam tanta indignação), a própria oferta de produtos que estão à venda o ano inteiro e que muitas vezes vêm de locais longínquos.

    Um grande beijinho,
    Sara Oliveira

    ResponderEliminar

Imprimir