quinta-feira, Outubro 23, 2014

Pimentos Recheados com Atum


Legumes recheados com atum ou bolonhesa (de porco, vaca ou aves) são uma refeição frequente aqui em casa.
Podem ser os pimentos, ou a beringela ou curgete ou até abóbora manteiga ou hokkaido… Posso ou não aproveitar algumas sobras de carne ou de peixe, fazer de raiz ou apenas colocar vegetais, queijo e requeijão. As combinações são inúmeras e resultam sempre numa refeição de que gostamos bastante.
Uma refeição simples, saudável, cheia de coisas boas e ao alcance de todos. Porque comer melhor, por vezes, é apenas umas questão de escolhas e não de preços.

Ingredientes para 2 pessoas:

2 pimentos (sei um verde e um vermelho)
2 latas de atum (usei uma ao natural e outra em azeite)
1 dente de alho
1 cebola 
12 tomates cereja
2 colheres de sopa de polpa de tomate
4 colheres de sopa de azeitonas pretas picadas
salsa ou coentros picados
natas ligeiras q.b. (opcional)
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.

Preparação:

Corte os pimentos ao meio e retire-lhes cuidadosamente as sementes em os romper. Coloque depois os pimentos limpos numa assadeira ou pires que possa ir ao forno, tempere com um pouco de sal e pimenta, regue com um fio de azeite, e leve a assar em forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 20 minutos.
Entretanto prepare o recheio. Pique a cebola e os dentes de alho e leve-os a alourar num pouco de azeite. Acrescente depois os tomate cereja cortados ao meio, a polpa de tomate e deixe refogar mais um pouco temperando de sal e pimenta. Junte depois o atum previamente escorrido, as azeitonas e a salsa ou os coentros picados. Envolva bem, retifique os temperos e retirado lume.
Recheie depois os pimentos com esta mistura e, se gostar termine com 1 colher de sobremesa de natas ligeiras sobre cada metade. Leve novamente ao forno, cerca de 5 minutos, e polvilhe com mais salsa ou coentros antes de servir.
Acompanhe com uma salada verde e arroz branco, se desejar.


Bom Apetite!

quarta-feira, Outubro 22, 2014

Bolo Cremoso de Chocolate e Curgete


Andava a pensar neste bolo há muito tempo. E foi a pensar no workshop de sobremesas do Porto que comecei a testar a receita. Um bolo que em vez de manteiga leva curgete numa tentativa de o tornar mais leve, mas igualmente saboroso.
A ideia era fazer um bolo do género do bolo mousse de chocolate, mas sem acrescentar aos ovos e ao chocolate uma quantidade enorme de (mais) gordura. Lembrei-me da curgete e fiz a substituição. Eu achei bom, que nem se notava a troca, mas queria saber o que achariam as outras pessoas. Sem dizer qual o ingrediente secreto voltei a fazer o bolo e, antes de o partilhar no workshop do Porto, decidi dá-lo a provar às meninas que estiveram no workshop (na véspera) em Coimbra.
A receita foi elogiada, aprovada e ninguém (quase) queria acreditar que levava curgete. Como me pediram muito a receita - e apesar de ser uma das receitas que preparei para o workshop de sobremesas - aqui fica para que possam comprovar por vocês mesmos como fica delicioso.
(E espero que as meninas que o provaram, deixem aqui ficar o vosso testemunho.)

Ingredientes:

300g de chocolate culinária
1 colher de sopa de manteiga
200g de curgete ralada
6 ovos
200g de açúcar
50g de farinha
Cacau em pó

Preparação:

Derreta o chocolate com a manteiga. Reserve.
Entretanto misture as gemas e o açúcar e bata bem com uma batedeira elétrica até obter um creme fofo, firme e esbranquiçado – cerca de 3 minutos.
Misture depois cuidadosamente o chocolate na mistura de gemas e acrescente a farinha, a curgete ralada e as claras batidas em castelo.
Coloque a mistura numa forma de mola previamente untada e forrada com papel vegetal e coloque no forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 15 minutos.
Retire do forno, deixe arrefecer um pouco, polvilhe com cacau em pó e sirva de imediato simples ou com gelado de morango.


Bom Apetite!

terça-feira, Outubro 21, 2014

Wraps de Camarão com Salada de Abacate


Aquilo que cozinho é feito essencialmente de memórias. Memórias de sabores, de pessoas, de momentos, de partilhas. Mas cozinho também os sabores que guardo no coração, os que sinto e os que imagino. 
E cozinho também o que me atrai. Confesso que esta receita foi quase amor à primeira vista e estava marcada desço o dia em que abri este livro pela primeira vez.
Mas depois a memória tem destas coisas. Trai-nos! Esquecemo-nos da receita. Esquecemo-nos de colocar os ingrediente na lista de compras. Ou então, a memória surpreende-nos. De repente lembramo-nos de uma receita do livro “x”, e que temos todos os ingredientes em casa necessários para a preparar. E que os camarões que compramos com uma intenção completamente diferente acabam numa receita pelo qual já nos tínhamos apaixonado e nem nos lembrávamos.
E foi assim que vim parar novamente a esta receita.
Sem sobra de dúvida que me ficará na memória. Uma agradável surpresa que se torna ainda mais agradável para ser saboreada neste verão tardio de Outubro.

Ingredientes para 2 pessoas:
(adaptado de “Gordon Ramsay - Comida Caseira”, Gordon Ramsay, página 85)

2 tortilhas de milho
250g de camarão cru e descascado
1 dente de alho
1 colher de café de piri-piri moído
azeite q.b.
1 abacate
2 “spring onions” (cebolo ou ceboleta em português)
4 rabanetes
1 malagueta vermelha tipo chilli
1 lima
8 tomates cereja
100g de rucula selvagem
1 molho pequeno de coentros
sal e pimenta q.b.

Preparação:

Tempere o camarão com o alho picado, o piri-piri, um pouco de sal, pimenta e azeite e misture bem. Reserve.
Entretanto descasque o abacate e corte-o em cubos. Corte os rabanetes em rodelas e os tomates cereja ao meio e coloque tudo numa taça. Acrescente os “spring onions” picados, assim como a malagueta. Tempere de sal, pimenta e sumo de lima. Acrescente a rúcula previamente lavada e seca e os coentros picados, mexa bem e reserve.
Num grelhado ou frigideira anti-aderente coloque um fio de azeite e grelhe os camarões até que fiquem cozinhados por dentro, e regue-os com um pouco de sumo de lima.
Toste ligeiramente as tortilhas uma frigideira sem óleo até que fiquem douradas.
Prepare os wraps, colocando sobre cada tortilha metade da salda e de camarões.
Sirva de imediato.


Bom Apetite!

segunda-feira, Outubro 20, 2014

Costeletas de Porco com Sidra, Salva e Geleia


Nada como experimentar sabores novos, combinações diferentes e receitas inesperadas.
Porco com compota/doce não é novidade. A salva tem um sabor forte e começo a utilizá-la com mais frequência. A sidra foi uma completa novidade para mim, mas tendo como base à maçã, não tinha nada que enganar na junção com carne de porco.
E a receita que combina tudo isto e que não demora mais de 15/20 minutos a preparar só podia ser deliciosa. E só podia ser Donna Hay. Já vos disse a adoro?


Igredientes para 2 pessoas:
(in “No Time to Cook”, Donna Hay, página 76)

2 costeletas de porco - do lombo (4 se forem muito pequenas)
1 raminho de salva fresca
150ml de sidra (“cerveja” de maçã - há à venda em quase todos os supermercados)
2 colheres de sopa de geleia de marmelo
2 dentes de alho
2 colheres de sopa de vinagre
1 colher de sopa de azeite
sal e pimenta q.b.

Preparação:

Tempere as costeletas com sal e pimenta.
Leve uma frigideira ao lume com o azeite e deixe aquecer. Frite depois as costeletas dois minutos de ambos os lados até ficarem douradas. Retire e reserve.
Entretanto, na mesma frigideira acrescente os dente de alho picadinhos, a sidra, as folhas de salva, a sidra, a geleia e o vinagre. Deixe cozinhar, mexendo de vez em quando até a mistura ter reduzido para metade. Junte novamente as costeletas de porco, e os sucos que entretanto se formaram, e deixe cozinhar mais uns minutos até carne estar a seu gosto.
Sirva com legumes cozidos e arroz.


Bom Apetite!

sexta-feira, Outubro 17, 2014

Bolo de Banana e Frutos Vermelhos com Farinha Integral


Um bolo para o fim de semana, que fim de semana de Outono quer-se com chá e bolo acabado de fazer.
E neste fim de semana que espero mais tranquilo - apesar de amanhã ter já um daqueles almoços com amigos que acabam quase ao fim da tarde - vou finalmente começar a dedicar-me a pensar os cabazes de Natal. Porque já não tenho mãos a medir aos pedidos, ideias e solicitações para as minhas normais sugestões de natal para cabazes cheios de coisas boas para comer. Adoro saber que há quem, que como eu, adora cozinhar presentes para oferecer. 
Portanto, estes e outros, são os meus planos para o fim de semana. E os vossos? Metem bolos também?

Ingredientes:

350g de bananas esmagadas
150g de farinha com fermento
150g de farinha integral
140g de açúcar amarelo
180ml de buttermilk (misturar 1 colher de sumo de limão a 180ml de leite e deixar repousar 15 minutos antes de usar)
80ml de óleo de girassol
1 colher de chá de canela em pó
1 colher de chá de fermento em pó
2 ovos
150g de frutos vermelhos

Preparação:

Numa taça misture as farinhas, o açúcar, o fermento e a canela. Junte depois as bananas esmagadas, os ovos ligeiramente batidos, o buttermilk, o óleo e misture bem até obter uma massa homogénea.
Acrescente depois os frutos vermelhos envolvendo bem.
Coloque depois a mistura numa forma untada e polvilhada com farinha e leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 1h (ou mais) até o bolo estar cozinhado.
Deixe arrefecer na forma antes de desenformar.


Bom Apetite!

quinta-feira, Outubro 16, 2014

World Bread Day 2014 - Pão de Abóbora com Nozes


Porque é que eu gosto tanto de cozinhar? Por causa da magia que é juntar ingredientes tão simples e, de repente ter maravilhoso e fantástico para comer.
E, talvez fazer pão, seja das coisas mais mágicas e maravilhosas que eu possa cozinhar.
Farinha, água, sal e fermento.  Partimos de 4 ingredientes base, juntamos, amassamos e deixamos repousar. Primeiro a magia acontece por ação do fermento. e a nossa mistura cresce, no quentinho do taça, coberta por um pano. Depois nova magia, desta vez por ação do calor. E, assim, do nada, de ingredientes que sozinhos não fazem grande diferença, temos o pão. O pão que alimenta o mundo. O pão que mata a fome. O pão, que só por si é sinal de abundância e de alimento.
E foi assim, num momento de magia que da minha cozinha surgiu um pão. Este, alem da farinha, do fermento do sal e da água ainda levou umas nozes e puré de abóbora, que o tornaram dos melhores pães que eu já fiz.
Pão para o World Bread Day. Pão para celebrar. Para para alimentar. Pão para partilhar.
E como não podia eu gostar de cozinhar se, com estes simples ingredientes consigo fazer um pão tão saboroso e bonito?
Hoje, desafio-vos a fazer pão!

Ingredientes para 1 pão:

550g de farinha
280ml de água tépida (37ºC)
150g de puré de abóbora (usei abóbora butternut que assei no forno e depois reduzi a puré com a varinha mágica)
75g de nozes
1 saqueta de levedura seca (usei fermipan)
1 colher de sopa de azeite
sal q.b.

Preparação:

Numa taça coloque a farinha. Forme uma cavidade ao centro e coloque aí o sal, a levedura seca, o puré de abóbora e o azeite. Aos pouco vá acrescentando a água e misturando todos os ingredientes até formar uma bola que seja possível amassar. (A massa não deve ficar muito dura!Dependendo da farinha, poderá ser necessário acrescentar um pouco mais ou, pelo contrário, adicionar um pouco mais de água.) 
Amasse depois numa superfície enfarinhada esticando e batendo a massa, durante cerca de 5 minutos. Estique a massa dos pão com as mãos, de modo a obter um rectângulo e espalhe as nozes. Dobre a massa do pão e volte a amassar mais uns minutos de maneira a que as nozes fiquem bem incorporadas.
Forme uma bola e coloque-a numa taça, tape com película aderente e deixe levedar durante cerca de 1 hora.
Ao fim desse tempo retire a massa da taça e estique-a num rectângulo, dobrando-a depois. Forme um pão em forma de rolo, mas não demasiado estreito e deixe levedar mais 30 minutos.
Ao fim desse tempo, faça uns cortes à superfície e leve o pão a cozinhar, cerca de 30 minutos em forno previamente aquecido a 180ºC.
Deixe arrefecer antes de cortar em fatias.


Bom Apetite!


quarta-feira, Outubro 15, 2014

“Pizza” com Base de Couve Flor


É a receita da moda. Desde o Green Kitchen Story´s, onde ao que parece tudo começou, passando pelos grupos e blogues de dietas sem hidratos de carbono, e de alimentação saudável, até mais recentemente às revistas de culinária, sem esquecer os chefe de cozinha e os seus novos livros de culinária, esta receita - ou melhor variações sobre esta receita - está em todo o lado.
Uma pessoa até ouve falar mas não fica muito convencida. Uma pizza em que a base é feita de couve flor é algo para nos deixar com uma dúvida enorme. Será que podemos mesmo chamar pizza a isto? Será que nos deixa satisfeito - não no ponto de vista de saciedade, mas de gulodice - como uma pizza?
Posso apenas dar a minha opinião. É uma boa receita. Perfeita para quem tem de comer “gluten free”. Perfeita para diminuir os hidratos de carbono e mais “verde”, porque tem couve flor e amêndoas - dois dos agora chamados “superalimentos”. É uma receita saborosa, nutritiva, muito boa para variar a alimentação e testar coisas novas e diferentes. Uma maneira de dar um uso diferente à couve flor, da qual eu não sou a maior fã, mas que uso em puré e na sopa com regularidade. Uma excelente maneira de dar vou flor aos esquisitos - adultos e crianças. E um desafio, porque fazer receitas novas, diferentes e criativas é sempre um desafio.
A verdade verdadinha? Faço mais rapidamente a massa de pizza normal - e sujo menos louça - do que a fazer esta base de couve flor. E porque nada bate uma pizza a sério!
(Mas não me interpretem mal… esta receita é muito boa!Não deixem de experimentar!)

(E por acaso já foram ver, ao facebook da Weetabix Portugal as receitas que andei a preparar? Se são tão fans de weetabix como eu, vão lá dar uma espreitadela e vejam como podem usar weetabix em variadas receitas, como um Crumble de Peru ou umas Waffles! Em
http://m.facebook.com/Weetabix.pt)



Ingredientes para 1 “pizza”:

Base:
(receita da base in revista “Good Food, Novembro de 2014, página 30)
750g de couve flor partida em pedaços - só parte branca
100g de amêndoa triturada (ou farinha de amêndoa)
2 ovos
1 colher de sopa de oregãos secos
sal e pimenta q.b.

Molho:
3 tomates maduros
1 cebola
2 dentes de alho
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.

Toppings:
1/2 cebola roxa
75g de fiambre, chouriço, paio ou salame italiano
100g de queijo mozzarela ralado
folhas de manjericão q.b.

Preparação:

Para fazer a base comece por picar a couve flor num robot de cozinha até ficar com uma consistência semelhante a arroz.
Coloque depois a couve flor numa taça, tape-a com película aderente, e leve ao microondas, em potência máxima, durante cerca de 8 minutos ou até a couve flor estar macia.
Retire-a depois da taça com cuidado para não se queimar por causa do vapor e coloque-a num pano de cozinha lavado. Deixe arrefecer um pouco, faça uma bola com o pano e esprema bem de modo a eliminar a maior quantidade de água da couve flor que conseguir.
Coloque depois a couve flor numa taça lavada e acrescente a amêndoa, os ovos batidos, os oregãos e tempere muito bem com sal e pimenta. Misture bem.
Forre um tabuleiro ou prato próprio para pizzas com papel vegetal e cuidadosamente coloque a mistura de couve flor, espalmando-a e dando-lhe a forma de uma base de pizza redonda. Pressione bem a base com uma espátula ou colher e leve a assar em forno previamente aquecido a 180~C durante cerca de 15 a 20 minutos.
Entretanto prepare o molho de tomate. Lave bem os tomates e corte-os em pedaços. Corte também a cebola e descasque os dentes de alho. Coloque tudo no copo da varinha mágica e triture tudo até ficar com um molho cru. Coloque uma panela ao lume com uma colher de sopa de azeite e deixe aquecer. Junte depois a mistura de tomate triturado e  tempere de sal e pimenta. Deixe cozinhar até o molho engrossar e estar apurado, cerca de 15 minutos.
Assim que a base da pizza estiver cozinhada retire do forno e deixe arrefecer um pouco. Coloque depois o molho de tomate sobre a pizza e cubra com o fiambre ou chouriço, a cebola cortada em meias luas fininhas, e o queijo ralado.
Leve novamente ao forno, por mais 10 minutos até o queijo derreter.
Retire do forno e termine com as folhas de manjericão frescas antes de servir.


Bom Apetite!

Poderá também gostar de:

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin