sexta-feira, janeiro 23, 2015

Bolo de Limão, Farinha de Milho e Iogurte


Os limões estão agora em toda a força. Cá a casa chegou uma saca cheia, vinda do limoeiro de casa dos avós. Até o meu pequeno limoeiro da varanda nos brinda com uma mão cheia de limões amarelinhos e de casca fina.
E como eu gosto de ter limões em casa… servem para temperar e marinhar carne, desde frango a borrego  e até uns panadinhos de porco ficam muito melhores com um gostinho a limão. Filetes de peixe e até camarões ganham outra vida com um pouco de limão.
Nesta altura de constipações e garganta irritada os limões ganham outro papel, juntamente com um pouco de mel e água bem quente, num “remédio caseiro” que mesmo que não cure tudo sempre nos ajuda a sentir melhor.
E há ainda as opções doces - compota de limão, um curd, bolos e bolachinhas… Isto para não falar nas inúmeras soluções de limpeza que os limões têm, desde limpar o microondas ao frigorífico. E até me estava a esquecer da água morna com limão logo pela manhã, e da raspa da casca nas papas de aveia. Enfim! Os limões fazem sempre falta numa casa e nunca nos deixam ficar mal…
Agora junte-se a chuva, os muitos limões na fruteira e a vontade de fazer um bolo e tudo está consumado para fazer este delicioso bolo de limão.



Ingredientes:

4 ovos
2 limões
1 iogurte natural (125ml)
100ml de leite
200g de manteiga amolecida
200g de açúcar
150g de farinha de trigo
150g de farinha de milho
1 colher de chá de fermento em pó

calda de limão
sumo de 2 limões (aproximadamente 80ml)
200g de açúcar

Preparação:

Bata a manteiga com o açúcar, a raspa do vidrado de dois limões e os ovos inteiros. Misture bem até obter uma mistura homogénea. Acrescente depois o iogurte e o leite, misture e finalmente junte as farinhas e o fermento. Misture tudo bem até obter uma massa homogénea.
Coloque a massa numa forma tipo bolo inglês, previamente untada e forrada com papel vegetal, e leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 45 minutos ou até o bolo estar cozido.
Entretanto prepare a calda. Aproveite o sumo dos limões que usou previamente, até ter cerca de 80ml. Numa panela coloque o sumo de limão e o açúcar e leve a lume brando apenas para aquecer o sumo de derreter o açúcar. Não deixe ferver ou ficará com uma calda demasiado espessa que não penetrará bem no bolo.
Assim que o bolo esteja pronto, e sem desenformar, pique-o em toda a superfície com um espeto ou um palito e verta cuidadosamente a calda sobre o bolo. Deixe o bolo absorver toda a calda e arrefecer e só depois o deverá desenformar.
Sirva simples ou com um pouco de lemon curd e framboesas frescas.
Ideal para saborear juntamente com uma chávena de chá.


Bom Apetite!

quinta-feira, janeiro 22, 2015

Panquecas de Aveia e Amêndoa


O domingo que passou foi dia de panquecas. E panquecas para começar bem o dia, ao pequeno almoço.
A combinação de aveia e amêndoa foi das melhores dos últimos tempos, e estas panquecas entraram definitivamente no meu top de preferências, e já as voltei a fazer durante a semana.
Para acompanhar, as sugestões são mais que muitas. Compotas ou queijo e fiambre, bacon estaladiço até! Eu besuntei as minhas panquecas com iogurte grego natural e reguei generosamente com mel. Mel nuns uns lindíssimos pachinhos que a iellow (http://www.iellow.pt) me fez chegar.
Claro que as lindas embalagens individuais ficaram muito bonitas na mesa do pequeno almoço, e são muito práticas de usar. Mas além do uso em casa - são super práticas para levar na marmita para adoçar os iogurtes com fruta e cereais ou para adoçar um chá no local de trabalho. O mel é 100% português, o que é importante, assim como a ideia!
E assim começou a nossa manhã de domingo, com café acabado de fazer, panquecas a fumegar regadas com iogurte e mel e o sentimento de que o dia corre sempre melhor quando se inicia assim!



Ingredientes para 2 pessoas:
(chávena usada com cerca de 220ml de capacidade)

1/2 chávena de farinha de aveia (basta triturarem em casa flocos de aveia até ficarem com uma espécie de farinha)
1/2 chávena de leite
1/2 chávena de farinha de amêndoa (amêndoa triturada)
1 colher de sopa bem cheia de iogurte grego natural (ou qualquer outro iogurte natural)
1 colher de chá de fermento em pó
azeite q.b.

Preparação:
Numa taça misture a farinha de aveia, com a farinha e amêndoa, oleie o iogurte e o fermento. Misture bem até ficar com uma mistura sem grumos e grossa.
Leve um frigideira pequeno ao lume - eu usei daquelas pequeninas de estrelar ovos - e unte-a com um pouco de azeite. Quando estiver quente, coloque um pouco da massa e deixe cozinhar até que se comecem a formar bolinhas à superfície. Vire então a panqueca e dixe cozinhar do outro lado até que fique dourada. Retire para um prato e repita até esgotar a massa.
Sirva depois as panquecas a gosto. Com compotas, creme de chocolate e avelãs, bacon, queijo e fiambre ou, como eu, iogurte e mel.


Bom Apetite!

quarta-feira, janeiro 21, 2015

Arroz com Camarão e Abacate


Esta foi uma daquelas refeições rápidas durante a semana. Do abrir o frigorífico sem saber muito bem o que se vai fazer, sabendo apenas que temos por lá algumas coisas e que daí irá sair o jantar.
Aproveitou-se um resto de arroz branco, um abacate bem maduro e um resto de miolo de camarão que estava no congelador.
Assim, em poucos minutos, o jantar estava na mesa. Nós comemos e ficamos satisfeitos.
Por mais planeamento que eu faça, há sempre aqueles dias em que o improviso leva a melhor. Uma refeição de improviso, sem planeamento ao melhor estilo cá de casa.

Ingredientes para 2 pessoas:

2 chávenas de arroz branco já cozinhado (sobras de outra refeição)
1 abacate maduro
250g de miolo de camarão
1 lima
sal e pimenta q.b.
1 colher de sopa de azeite
1 dente de alho
1 pedacinho pequeno de gengibre fresco
1 raminho de coentros frescos

Preparação:

Tempere o miolo de camarão com o sumo e a raspa da lima, o dente de alho ralado, bem como o gengibre. Acrescente o sal e a pimenta e deixe marinar um pouco.
Entretanto descasque o abacate e corte-o em fatias finas.
Leve uma frigideira anti aderente ao lume com o azeite e deixe aquecer bem. Junte o camarão, escorrido da marinada e deixe saltear até ficar cozinhado. Junte depois a marinhada, deixe fervilhar um pouco e retire do lume.
No fundo de uma taça coloque o arroz previamente aquecido e cubra com o abacate em fatias. Por cima disponha o camarão e regue o arroz com o molho que se formou.
Polvilhe tudo com os coentros frescos e sirva de imediato.


Bom Apetite!

terça-feira, janeiro 20, 2015

Entrecosto Assado com Especiarias, Limão e Alho


Os dias passam e os planos para 2015 começam a ganhar impulso. Começam a deixar de ser só conversas ou ideias para começarem a ser iniciados, ainda sem sabermos bem qual vai ser o desfecho final. Começamos a dar os primeiros passos em direção aquilo que queremos mudar e alterar, ainda que pelo caminho possamos desistir ou mudar de ideias, ou simplesmente não conseguir tornar as nossas ideias viáveis e concretizáveis. 
Aquela frase feita de que “mais vale morrer a tentar, do que nunca ter tentado sequer”, faz todo o sentido. Em todos os projetos. Em todos os desejos, em todas as ideias.
Aos poucos começamos a tentar mudar. Um dia de cada vez. A fazer o nosso melhor para que tal aconteça. Sem certezas, mas com vontades.
Para mim isso (para já) basta.

Ingredientes para 2 pessoas:

700g de entrecosto de porco cortado cortado em pedaços
sal q.b.
1/2 colher de chá de sementes de coentro
1/2 colher de chá de erva doce
1/2 colher de chá de cominhos
1/2 colher de chá de tomilho seco
1 limão
1 cabeça de alho
azeite q.b.
coentros frescos q.b.

Preparação:

Coloque todas as especiarias num almofariz, assim como o sal e esmague tudo. Esfregue depois a carne com esta mistura, e coloque-a num tabuleiro que vá ao forno.
Acrescente a cabeça de alho aberta ao meio e o limão em quartos. Regue com um fio de azeite e envolva bem.
Tape com papel de alumínio e leve a assar em forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 2h. Ao fim desse tempo retire o papel e deixe alourar.
Antes de servir polvilhe com os coentros frescos e sirva com arroz branco e legumes cozidos.


Bom Apetite!

segunda-feira, janeiro 19, 2015

Rolinhos de Canela Fingidos


A ideia de fazer estes rolos fingidos com massa de piza refrigerada, encontrei-a nas páginas da “Continente Magazine”, apesar de na receita original terem um recheio diferente.
Achei curioso o uso desta massa e a rapidez da receita e decidi experimentar porque, por acaso, tinha compro um rolo desta massa para experimentar. (Por norma faço a minha própria massa de pizza ou em alternativa compro massa de pão na padaria!)
A massa não me convenceu. Mas a rapidez em preparar estes rolinhos, que perfumam a casa de imediato, e que são perfeitos para um pequeno almoço ou lanche diferente, convenceu-me a partilhar aqui a receita.
Não são os verdadeiros “Cinnamon Buns”, mas quentinhos ficam saborosos e são uma boa maneira de começar a semana aqui no blogue.
Boa semana para todos!  

Ingredientes:

1 rolo de massa para piza retangular pronta a usar
50g de manteiga à temperatura ambiente
50g de açúcar amarelo
1 colher de sopa bem cheia de canela

Cobertura
4 colheres de sopa de iogurte grego
1 colher de sopa de mel
sumo de limão q.b.

Preparação:

Bata a manteiga com o açúcar e a canela até obter uma mistura cremosa.
Cuidadosamente desenrole a massa para pizza e espalhe depois, cuidadosamente e sobre toda a superfície da massa, a mistura de manteiga e canela.
Enrole depois a massa, como se fosse uma torta, começando pelo lado mais comprido.
Corte depois o rolo em 8 a 10 pedaços iguais, e coloque-os na vertical, uns junto aos outros, num tabuleiro forrado com papel de vegetal.
Leve ao forno previamente aquecido a 180ºC, durante cerca de 25 minutos ou até a massa estar cozinhada.
Entretanto misture o iogurte com o mel e a sumo de limão.
Sirva os rolinhas de canela ainda mornos, regados com um pouco de iogurte.


Bom Apetite!

sexta-feira, janeiro 16, 2015

Compota de Abóbora com Gengibre Cristalizado, Laranja e Avelãs


Quando nos oferecem uma talhada de abóbora, e só essa talhada tem mais do dois quilos, o que fazer? Uma compota, lá está! (Também a podia ter congelado para usar em sopas e purés, mas não era a mesma coisa!)
Por isso, já passava das 21h30 quando fui para a cozinha fazer uma tachada de compota. E abóbora com quê? Depois da experiência com o chocolate, agora foi a vez de emparelhar a abóbora com algo mais banal numa combinação muito provável, mas que nunca nos deixa ficar mal, a laranja… Mas subitamente lembrei-me de combinações menos prováveis e achei que o conjunto deveria resultar. Além da consensual laranja, o improvável gengibre cristalizado e as menos comuns avelãs juntaram-se à abóbora numa compota animada para o paladar.
Mesmo quando o tempo parece que se escapa por entre os dedos, mesmo quando todos os minutos do nosso dia contam, há sempre tempo para fazer coisas que nos deixam felizes … nem que seja estar a encher frascos de compota à meia-noite, com um sorriso nos lábios, enquanto lambemos os dedos.
Bom fim de semana!



Ingredientes:

2kg de abóbora limpa
2 laranjas
100g de avelãs inteiras
50g de gengibre cristalizado
1400g de açúcar

Preparação:

Corte a abóbora em cubos e coloque-a numa panela grande. Junte o açúcar, o gengibre cristalizado bem picadinho e a raspa do vidrado de duas laranjas. Envolva bem, e leve ao lume.
Assim que levantar fervura reduza o lume para o mínimo e deixe cozinhar, até que a abóbora esteja macia.
Com a varinha mágica triture o doce. Junte as avelãs e deixe ferver novamente até que o doce tenha atingido o ponto, (que deverá testar colocando um pouco de doce num pires e passando com um dedo. Se abrir uma pequena “estrada” que não se une de imediato o doce está no ponto. Tem de ter uma consistência pastosa e não líquida.)
Coloque a compota ainda quente em frascos de vidro previamente esterilizados e feche-os. Coloque-os depois, virados de “cabeça para baixo” cerca de 30 minutos, de modo a que criem um vácuo natural. Rotule  as compotas e guarde num local seco até consumir.
A compota fica sempre deliciosa com requeijão, com panquecas ou simples torradas no pequeno almoço.


Bom Apetite!

quinta-feira, janeiro 15, 2015

Ossos Cozidos


Tudo começou com o belíssimo lombo de porco recheado com cogumelos, castanhas e bacon,  que preparei para o meu aniversário, mas do qual não houve prova fotográfica para aqui partilhar. Desse lombo, desossado no talho, a partir de um vão de costeletas do lombo, sobraram os ossos, que também trouxe, pensando desde logo em usa-los para um caldo caseiro. Mas eis que o senhor do talho se lembra logo que “estes ossinhos são perfeitos para fazer uns ossos cozidos…” E assim vieram para casa com o intuito de preparar os ossos cozidos, que o restaurante “Zé Manel” (dos ossos!), aqui em Coimbra, tanta fama lhes deu.
Mas logo depois do meu aniversário veio o natal, depois a passagem de ano, depois aqueles dias em que nem podemos ouvir falar em comida…
E eu quase que me esquecia deles, num saquinho no congelador até que, ao tirar qualquer coisa para o jantar, voltei a pousar os meus olhos no dito saco. E assim saíram uns ossos cozidos - que por sinal ficaram muito bons - para o nosso jantar petisqueiro de domingo.



Ingredientes:

1kg de ossos da suã (ossos de espinhaço de porco)
1 raminho de tomilho
1 raminho de salsa
1 colher de chá de pimenta preta em grão
sal q.b.
1 cebola
2 folhas de louro
4 dentes de alho

Preparação:

Tempere abundantemente os ossos com sal e deixe ficar assim de um dia para o outro ou um mínimo de 6 horas.
Retire depois o excesso de sal dos ossos e coloque-os numa panela. Cubra de água e junte a cebola, os dentes de alho descascados, as folhas de louro, o tomilho, a salsa, a pimenta e tempere com um pouco de sal.
Leve a cozer cerca de duas horas, até a carne estar macia e se conseguir separar sem dificuldades dos ossos.
Escorra os ossos do caldo e sirva-os como um petisco! (Aproveite o caldo para arroz de carne ou um delicioso risotto, não se esquecendo que o pode congelar.)


Bom Apetite!

Poderá também gostar de:

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin