Caril de Lentilhas


Na nossa alimentação deverá haver espaço para tudo. Para refeições sem carne e sem peixe, para dias de fast food caseiro, dias em que apetece comer uma grande fatia de bolo ou uma sobremesa “de gordas”. Há dias em que provavelmente teremos uma alimentação mais cuidada, dias em que não falta a sopa, dias de peixe grelhado, saladas e muita fruta. No geral acho que importa sabermos comer de forma equilibrada e de tudo um pouco.
Mas acho que nos dias que correm estamos a entrar num certo exagero. Parece que agora o “saudável” não é uma alimentação equilibrada e com tudo um pouco, mas abrirmos guerra ao açúcar, aos lacticínios, ao glúten, aos ovos. Já não basta haver quem realmente não os possa consumir por motivos de alergias e intolerâncias, assistimos também a uma “moda” de comer sem lacticínios, glúten, ovos, açúcar e montes de sementes e super alimentos vendendo a ideia como uma alimentação saudável. Será mesmo mais saudável que uma alimentação equilibrada? Devemos agora desistir todos do leite, da farinha de trigo, dos açúcares refinados, passarmos a consumir suplementos e alimentos mais alternativos em exclusivo (como as bebidas de aveia, amêndoas, óleo de coco, frutos secos, sementes, wheatgrass, maca, cacau cru, …) para termos uma alimentação saudável?
Confesso que não consigo perceber muito bem porquê. Gosto muito de papas de aveia com leite de amêndoa, e de substituir o açúcar refinado de algumas receitas por outras alternativas como o maple syrup e o mel. Experimentei receitas com óleo de coco e cacau cru. Mas mais pela curiosidade de testar esses alimentos do que propriamente por achar que ia passar a substitui-los na minha alimentação.
Claro que é interessante que existam blogues e autores dedicados a essa área. É interessante que haja diversidade e acredito, que para quem é intolerante a certos alimentos, veio trazer uma diversidade que não existia. Mas será a versão de que “isto é que é saudável” a mais correta? Além de serem na sua maioria mais caros, estes alimentos nem sempre são tão saudáveis como se querem vender - e existem inúmeros estudos que provam isso mesmo. 
Ter uma alimentação mais “alternativa” é sim um modo de vida. E como tal deve ser respeitado, publicitado e partilhado. Só me faz um bocadinho de confusão impor-se todas estas alternativas como sendo as “saudáveis”. 
No final, acho que é tudo uma questão de moda. E quando se fartarem dos sumos detox, dos batidos verde, de comerem sem glúten e sem laticínios e sem açúcar, sentirem a falta de um bom ovo estrelado, e perceberem que afinal a chia é uma semente como outra qualquer e o óleo de coco é um óleo extraído a frio assim como o azeite, pode ser que voltem finalmente a comer sopa todos os dias e fruta a todas as refeições e um pastelinho de nata com o café de domingo de manhã. 



Continuo também a convidar-vos para o workshop de Brunch, que decorrerá este domingo, sia 19 de Abril às 10h, na Quinta do Ribeiro, em Antuzede - Coimbra. Se não conhecem a Quinta, nem imaginam como vai ser agradável poder desfrutar de um brunch, com este tempo magnífico à beira da piscina, ou no lindíssimo jardim. Ainda há algumas vagas, mas inscrevam-se e fiquem saber mais no endereço workshopquintaribeiro@outlook.com.

Ingredientes para 2 pessoas:

300g de lentilhas previamente demolhadas
1 cebola
2 dentes de alho
1 pedacinho de raiz de gengibre
1 folha de louro
1 colher de chá de garam masala
1 colher de chá de coentros em pó
1 colher de chá de curcuma
2 tomates pelados
piri-piri a gosto
sal e pimenta q.b.
2 colheres de sopa de óleo vegetal ou manteiga
125ml de leite de coco
1 molhinho de coentros frescos

Preparação:

Num tacho coloque o óleo ou a manteiga e deixe aquecer. Acrescente depois a cebola e os dentes de alho picados e acrescente o louro e um pouco da raiz de gengibre picada (cerca de 1 colher de café cheia).
Deixe começar a fritar e acrescente as especiarias e o piri-piri moído a gosto e mexa bem durante alguns minutos para que estas libertem todas as suas fragrâncias e cozinhem.
Acrescente depois o tomate partido em pequenos pedaços e envolva no refogado. Junte as lentilhas previamente demolhadas e bem escorridas e tempere com um pouco de sal e pimenta. Junte o leite de coco e deixe levantar fervura. Tape o tacho e deixe cozinhar cerca de 20 minutos, ou até as lentilhas estarem macios, com o tacho tapado e em lume brando. Se necessário acrescente um pouco de água se achar que a mistura está  ficar muito seca.
Para servir junte um pouco de iogurte grego e polvilhe com os coentros frescos picados. Poderá ainda juntar alguns ovos para escalfar na mistura.
Sirva com arroz basmati soltinho.


Bom Apetite! 

21 comentários :

  1. Anónimo10:19

    Mais uma boa ideia, para cozinhar as lentilhas. Concordo plenamente com o que escreveu. Começo a ficar um pouco "farta" desta onda, no sentido estar a ser uma moda, e estar a radicalizar o que comemos. Acho que consumir só "super alimentos" em detrimento de outros, não significa comer mais saudavelmente. Agora é o "desafio dos dias sem açúcar refinado" , a guerra ao glúten e à lactose, entre outros. Hoje em dia, fala-se mais do glúten e lactose, no sentido de engordar do que propriamente da intolerância alimentar. Acho que ainda temos muito para aprender e aprender a conhecer os alimentos. É bom aprender coisas novas, ter alternativas (mesmo nos casos de intolerância), e mesmo para variar um pouco. Na minha opinião, devemos comer de tudo um pouco, com peso, conta e medida, sem radicalismos e com moderação e bom senso. Peço desculpa pelo desabafo, mas começo a ficar farta destes fundamentalismos. Um grande beijinho, Sara Oliveira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo11:17

      PS: não tem a ver com o assunto, mas poderia publicar as receitas do pão e das bolachinhas de aveia com chocolate, que publicou ontem no FB? Ambos têm um ar delicioso e acho que as leitoras do blog iam gostar... Sara Oliveira

      Eliminar
    2. Sara,

      Não tenho nada contra nenhum alimento. Mas realmente é esta guerra que agora se trava contra determinados alimentos - e vender como mais saudável a alternativa de os eliminar da nossa alimentação - que me faz confusão. Certamente que pode não ser saudável consumir 1 litro de leite por dia, mas 1 copo fará assim tão mal? E os malefícios do leite de soja?
      Uma coisa é ao retirar da nossa alimentação determinadas grupos - como os lacticínios ou o glúten - eliminarmos algumas patologias que podemos ter. Mas isso não é o mesmo que dizer que um estilo de vida saudável passa quase que obrigatoriamente por eliminar lacticínios e glúten e açúcar refinado e consumir óleo de coco e afins.
      Mas tenho quase a certeza de que é uma moda que, mais cedo ou mais tarde, caíra no esquecimento. O ano passado a moda eram os sumos detox e entretanto metade dessa febre já lá vai....
      Um beijinho, Joana

      (As receitas claro que iriam aparecer por aqui!!)

      Eliminar
  2. Anónimo10:23

    Joana, finalmente algum bom senso :) estou farta de ver as guerras ao açúcar, glúten, leite... É tudo uma questão de dose - beber 5L de leite por dia ou 1kg de açúcar não faz bem a ninguém! Tal como qualquer exagero em qualquer outra coisa. Mais, falam mal dos alimentos processados, mas põem whey em tudo! Como dizia Paracelso "tudo é veneno, nada é veneno, é tudo uma questão de dose". Pode ser que com este teu texto as pessoas comecem a abrir mais os olhos, que exageros nunca fizeram bem a ninguém e uma alimentação saudável e equilibrada deve ter um pouco de tudo.

    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana,

      Também me parece que passa tudo por uma questão de bom senso. Apenas e só. E claro que quando chega esta altura do ano e começa tudo a ficar maluco para caber dentro do bikini , dos calções e dos top e com a barriga à mostra, procuram-se sempre caminhos por vezes um pouco" duvidosos" para lá chegar.
      Os extremos nunca fizeram bem a ninguém.

      Um beijinho,
      Joana

      Eliminar
  3. Sempre uma inspiração! Obrigada.
    Adorava participar no workshop, tem de vir ao Norte :)

    Passatempo Dia da Mãe a decorrer em www.prontaevestida.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras!
      Vou estar no Porto dia 23, 30 de Abril e 7 de Maio para workshops na Marque Soares!

      Um beijinho,
      Joana

      Eliminar
  4. Anónimo11:12

    Olá! Adoro o seu blog e venho sempre aqui á procura de inspiração para as minhas refeições. Devo dizer, que até hoje, nenhuma receita me deixou ficar mal:)! Não é meu hábito comentar posts ou qualquer outra assunto que veja na net mas hoje, gostaria de dizer que pese embora o facto de a alimentação ser também, e muito, suscetível a modas, a verdade é que a Joana fala de alimentos que são verdadeiramente nocivos para a saúde...e até em pequenas quantidades! O açúcar, por exemplo desorganiza as relações entre os sais minerais do organismo, provoca a perda de elasticidade dos tecidos, e pior do que tudo transforma-se em glicose ao entrar no nosso organismo, que é só um dos principais "alimentos" para as células cancerígenas... Sim, vivemos numa época de alarmismo alimentar mas podemos e devemos aprender com toda a informação que temos ao nosso dispor! Devemos comer de tudo um pouco, mas açúcar (e o maple syrup e o mel...que também se transformam em glicose) deve tanto quanto possível ser substituído por stevia ou açúcar de coco, os únicos que verdadeiramente não são nocivos para a saúde. E o glúten, mesmo para não celíacos é extremamente prejudicial para o nosso organismo porque inflama os nossos órgãos e atrapalha a absorção de nutrientes! Desculpe pelo longo comentário mas falo por experiência própria...tirei o glúten e o açúcar da minha alimentação e "curei" uma doença crónica "incurável"... Sim, não devemos entrar em histerismos, mas sim devemos aprender com avanço da investigação médica e muito particularmente com a influência dos alimentos que ingerimos no nosso organismo! Bem haja!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que o açúcar é nocivo, ninguém tenha dúvidas. Ainda que os refinados sejam piores que os ditos "naturais", e mesmo assim veja-se o que anda a ser estudado acerca do consumo de agave a longo prazo. Além disso, se segue o blogue regularmente também já deve ter percebido que o meu filho de 1 ano e meio nunca consumiu açúcar, e é uma "guerra" que tenho travado com pessoas que acham que sou fundamentalista porque não deixo a criatura comer sequer uma bolacha Maria (e muito menos papas processadas!).
      Mas eu não digo em nenhum lado que devemos consumir estes alimentos. Eu só acho é que dizer que devemos de todo deixar os laticinios e o glúten apenas porque sim me parece uma moda e exagerado. É a minha opinião.
      Ao retirar o açúcar e o glúten sentiu-se melhor - mas provavelmente tinha uma patologia em que esses "alimentos" a faziam sentir melhor. Sim, o glúten tem algumas implicações a nível intestinal e sim, há pessoas que se sentem melhor quando o retiram da alimentação. Mas será isso motivo para se "vender a ideia" de que TODOS temos de retirar o glúten para sermos mais saudáveis? Ou devemos informar que devemos ter atenção à quantidade de glúten que consumimos? Não me aprece que seja a mesma coisa. Todos sabemos que o fast food faz mal. Mas se eu comer fast food 1 vez por mês e tiver uma alimentação correta a maior parte do tempo será que as implicações são as mesmas de quem come fast food regularmente?
      Percebe o que eu quero dizer?
      Todos os alimentos que consumimos têm influência no nosso organismo. E sim, devemos ser sempre consumidores alerta e informados e saber o que nos faz sentir melhor. Mas há outras "industrias" que acabam por influênciar escolhas alimentares. Há uns anos os estudos apontavam para se beber 1 litro de leite por dia. Agora o consumo deve ser mais moderado. Também houve tempos em que o azeite fazia mal à saúde - e agora sabe-se que o azeite consumido com moderação tem benefícios.
      O agave era bom e agora já se provam malefícios em utilizações prolongadas. E onde estarão alguns dos super alimentos de agora? Interessa dizer que são saudáveis e fazem bem. E daqui a uns anos, depois de larga utilização, será que nos vêm dizer que afinal não era assim?
      Por isso é que acho que tudo deve ter uma moderação. O açúcar faz mal, mas um bolo em dia de festa é sofrível. Os lacticínios em excesso fazem mal - mas não tão mal como 1 iogurte e 1 copo de leite por dia....
      Enfim mais moderação e menos modas em casos onde não há patologias, parece-me o caminho mais indicado. Mas mais uma vez, esta é apenas e só a minha opinião. (e informada!)

      Um beijinho,
      Joana

      Eliminar
  5. Anónimo11:15

    Mais aplausos para si, Joana!
    Concordo com tudo o que escreveu. É verdade que, fruto desta "moda do comer muito saudável" que alastra por vários blogues, estou ainda mais atenta ao consumo de açucares e, se as comidas processadas já pouco ou quase nada entravam em nossa casa, agora é que não entram mesmo. Mas, fora isso, não entro em fundamentalismos. Continuamos a comer batata frita de vez em quando, a comer os ovos, um bolinho ou sobremesa ao fim de semana (feito por mim ou pelo marido com a ajuda do filhote :)), a beber um copo de leite por dia, a comer a carne vermelha de vez em quando, peixe com a maior frequência possível, a comer sopa e pão TODOS os dias...enfim, e tal como a Joana diz, tentamos fazer uma alimentação o mais variada e equilibrada possível. Sem radicalismos, que é que mais me aborrece nestas "modas"!
    Um beijinho
    Raquel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Raquel,
      É o fundamentalismo que nos mata!
      Eu também evito, por enquanto, que o Zé Maria consuma açúcar. Cá e casa também reduzimos o seu consumo - até porque só o usamos mesmo num bolo ou sobremesa e não o adicionamos na nossa alimentação diária (por exemplo no leite, café ou chá....)
      Não compro alimentos pré-feitos ou processados, mas não quer dizer que nunca comemos um folhado ou batatas fritas de pacote se nos apetecer. Mas fazemos isso raramente.
      Os bolos ou bolachas cá de casa são caseiros, assim como as sobremesas. E quando compro opto por alimentos que tenham mínimo de corantes, conservantes estalibizantes e essas porcarias todas que ninguém conhece e que não fazem parte das despensa cá de casa.
      Comemos sopa, fruta, legumes, saladas, carne e peixe.
      Mas não gosto dessa ideia de que o saudável é comer quase vegan - porque o leite isto, e os ovos aquilo, e o glúten ai meu deus.
      Parece-me que realmente é mais moda que outra coisa. Quem deve gostar muito disso é essa industria alimentar que, de um momento para outro sai quase do anonimato e enche prateleiras de supermercado.
      Um beijinho,
      Joana

      Eliminar
  6. A onda da 'comida excessivamente saudável' que nos entra pelos olhos dentro todos os dias, a qualquer hora, em todo o lugar é isso mesmo... uma onda, e acho, tal como tu, que irá passar e muito em breve veremos lindas fotografias de brilhantes ovos estrelados no Instagram e FB e afins. Afinal temos a melhor dieta do mundo - a mediterrânica - mais completa e equilibrada. À parte, estarão todas as situações que, por motivo de patologia, têm vantagens em optar por determinado tipo de alimentos, evidentemente.
    Ainda hoje me fizeram um comentário numa fotografia do meu pão (feito em casa) com este link: http://www.fnac.pt/Cerebro-de-Farinha-David-Perlmutter/a791975 , e eu fico espantada em como é possível que se generalizem opiniões desta forma...
    Hoje lá em casa teremos sopa de grelos, ervilhas com ovos escalfados, tarte de nata e uvas.
    E o pão do pequeno almoço de amanhã já ficou, também, cozido!

    Beijinhos, Titá

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Titá,

      Nada melhor do que comer com conta peso e medida. Saber fazer escolhas minimamente saudáveis. Sermos consumidores informados. E pensar pela nossa cabeça.
      Sem isso querer dizer que hoje posso comer iogurte com frutos vermelhos polvilhado com sementes de chia e linhaça, e amanhã um folhado de queijo e fiambre com uma meia de leite. Ou almoçar uma salada de quinoa e jantar um belo de um bife com ovo a cavalo.
      Continuo fã do pão e estou farta de dar a receita.

      Um beijinho,
      Joana

      Eliminar
  7. Oii ... Gostaria de convidar para conhecer o meu blog http://rodrigues-renata.blogspot.com.br/ … espero que goste :D

    Redes sociais que sempre coloco as atualizações do Blog

    Twitter: @Renata_r154
    Instagram: @re_154
    Facebook: https://www.facebook.com/Blog.RenataRodrigues
    Google+: https://plus.google.com/+Rodrigues-renataBlogspotBr/posts

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Renata.
      Um beijinho,
      Joana

      Eliminar
  8. Concordo com o dito !

    Mas sinto que deve haver realmente um meio termo entre as duas coisas, sinto que a nova moda dos "sem açúcar, sem lactose (no meu caso sou mesmo intolerante), etc." veio mesmo para revolucionar o mundo da blogosfera e das nossas cozinhas e acho que isso é bom !

    Acho muito positivo que se tente diversificar e que haja um esforço pela procura de opçoes mais saudaveis mas, ainda assim, sou adepta de ovos estrelados, batatas fritas e fatias de bolo de chocolate decadentes - não lhes resisto !

    Eu deixei grande parte do açúcar que consumia e a verdade é que me sinto muito melhor e consigo controlar muito melhor problemas de peso e valores que poderia ser alarmantes em análises de rotina.

    Acho, e tenho aprendido, que deve haver peso e medida para tudo. Devemos comer tudo, cada coisa na sua altura e porque não bolos de chocolate com leite de coco ou saladas de folhas verdes e fruta acompanhadas de um prato de batatas fritas ?

    Eu própria fiz um post sobre este assunto e concordo com muito do que foi dito ! Em relação à receita parece-me muito bem ! (costumo fazer bolonhesa de lentilhas mas ainda não me aventurei num caril, talvez nos próximos dias :D )

    Um beijinho !

    http://oespinafreemmim.blogspot.pt/2015/04/hoje-ha-acucar-no-meu-pequeno-almoco.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Joana,

      É exatamente essa a idea. São os excessos que fazem mal. Para ambos os lados. Deixar o glúten apenas porque sim, ou os lacticínios porque ouvimos dizer que são pouco saudáveis é diferente de consumir 1 copo de leite por dia e é também diferente de consumir 1 litro por dia.
      Nem tanto ao mar, nem tanto à terra.

      Um beijinho,
      Joana

      Eliminar
  9. Diana11:42

    Olá Joana.
    Não costumo comentar mas este tópico tem mesmo de ser! Não sei se é assinante da Deco mas este mês fizeram um estudo sobre especialistas em nutrição, onde pediram a 4 mulheres (duas com excesso de peso e duas com peso insuficiente mas que queriam perder umas gordurinhas...) para visitarem 46 estabelecimentos. Os resultados foram incríveis e para mim algo perigosos pois as "dietas aconselhadas" eram bastante desajustadas... Acho incrível dizer a uma pessoa que já tem peso a menos para fazer uma dieta pobre em hidratos de carbono... e alguns nem recomendaram exercício físico... É estes exageros que estão a fazer com que a nossa sociedade esteja cada vez mais doente... há cada vez mais casos de cancros e em pessoas cada vez mais jovens, alergias então nem se fala e as pessoas em vez de procurarem voltar aos hábitos alimentares mais antigos (a nossa dieta mediterrânica é fantástica) que eram muito mais equilibrados, procuram estas novas modas! Lembra-se de há uns anos era a moda da soja e hoje sabemos que a soja em excesso é prejudicial! Para mim o mais importante é uma alimentação equilibrada, comer de tudo nunca fez mal a ninguém desde que não se coma de tudo todos os dias!
    Beijinhos e boa sorte!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diana,

      Como tudo na vida, tem de haver algum equilíbrio e bom senso. E mais, devemos tentar ser consumidores realmente informados e tomar as nossas opções e escolhas com base nisso.
      Um beijinho,
      Joana

      Eliminar

Imprimir