Tarte Simples de Maçã (e ainda a questão do açúcar na alimentação do Zé Maria)


O post em que falei acerca dos lanches do Zé Maria, gerou alguma “polémica”. Volto a dizer que cada pai saberá certamente o que é melhor para os seus filhos, é é tudo uma questão de escolhas e de opções. Eu nunca disse que há algum mal em dar um pouco de bolo caseiro a uma criança de dois anos, ou de dar papa de compra em vez de papas de aveia feitas em casa. A questão é que para já eu optei por ainda não o fazer. Tão simples como isto.

A minha questão é mesmo “contra” o açúcar - ou melhor - o excesso de açúcar que a maioria dos alimentos que têm como publico alvo as crianças pequenas contêm, sejam as papas, os cereais, a maioria dos iogurtes que têm os miúdos como publico alvo (desde iogurtes com chocolates, a iogurtes com imenso açúcar há de tudo), as bolachas com animais, cobertas de chocolate e isto sem falar em pães tipo brioche com recheio de chocolate, o leite com chocolate…. uma lista sem fim. A comida processada também evito, mas porque evito, no geral, aqui por casa.
Há outras coisas que não me chocam tanto - o Zé Maria come pizza (ainda que caseira), hamburguers e almôndegas que eu faço com a carne que escolho e peço para picar, gosta de todo o tipo de queijos e gosta de enchidos que lhe dou muito ocasionalmente (porque é processado e tem imensa gordura além de outras coisas!)

Come massa folhada de compra, e já comeu uma ou outra vez molhos com natas. Comeu uma única vez salsichas, e não foi em casa, porque raramente compro. Gosta de fritos, apesar de eu raramente os fazer, e não pode ver batatas fritas quando vamos almoçar ou jantar fora. Como vêm, aqui também há algum espaço para coisas menos adequadas, na base do ocasional.
Mas o que eu não quero para já e que ele conheça os sumos de pacote, os bolos, as bolachas, as gomas, os chocolates e as coisas carregadas de açúcar. Porque obviamente que as vai conhecer e provar até porque é cada vez mais difícil não lhe dar um pedacinho de bolo quando ele nos vê a nós comer bolo, nos pede e nós não lhe damos - e tentamos distraí-lo daquilo que estamos a comer. Por enquanto temos sido capazes, mas é cada vez mais complicado e sei que, mais tarde ou mais cedo ele irá começar a comer algumas dessas coisas, mas com “cabeça, tronco e membros”, porque comer um pedaço de bolo caseiro não é o mesmo que dar à criança gomas ou bolachas de chocolate
Porque apesar de tentarmos fazer uma alimentação equilibrada e saudável há dias em que se foge a isso. Porque apetece mesmo “junk food”, e não daquelas que fazemos em casa. Há dias em que só um hamburguer do Mac nos mata a vontade. Acontece-me para aí 4 vezes por ano e nessa altura sabe-me pela vida. Eu pecadora me confesso.

E tenho plena consciência que o meu filho também terá alturas dessa, dias em que vai comer açúcar a mais. Mas para já, só para já, eu vou-lhe negando o açúcar - e dando-lhe um pedacinho de queijo da serra, alheira ou pizza. Porque sim.
E só para verem que eu não sou assim tão “fundamentalista”, a criança até provou um pouco desta tarte de maçã. Porque afinal tem mesmo muito pouco açúcar. Mas ninguém diria.



Ingredientes:

6 maçãs
sumo de limão q.b.
pasta de baunilha (opcional)
1 placa de massa folhada refrigerada retangular pronta a usar
30g de manteiga
1 colher de sopa bem cheia de açúcar amarelo
canela q.b.

Preparação:

Lave bem as maçãs. Corte 3 delas em quartos e retire-lhes os caroços, mas não as descasque. Coloque-as num tacho pequeno e acrescente um pouco de água (não é preciso encher!). Quando levantar fervura junte um pouco de sumo de limão e a pasta de baunilha e deixe ferver até as maçãs ficarem macias. Retire do lume (e como não deve ter muita água) triture as maçãs até obter um creme homogénea. Reserve e deixe arrefecer.
Estenda depois a massa folhada num tabuleiro previamente forrado com papel vegetal e espalhe o creme de maçã já frio.
Descasque, corte em quartos e retire o caroço às restantes maçãs. Corte-as em rodelas finas e coloque-as na massa, sobre o creme de maçã até cobrir todas a massa.
Polvilhe com o açúcar amarelo e com a canela em pó a gosto.
Coloque depois pedacinhos de manteiga sobre a massa.
Leve a tarte ao forno previamente aquecido a 200ºC durante cerca de 20 minutos, até a massa estar folhada e a maçã cozinhada.


Bom Apetite!

22 comentários :

  1. Bom dia Joana,

    Antes de mais obrigado pela sua receita de hoje e pelas receitas de todos os dias. Obrigado por ter um blogue que marca as vidas de muitas pessoas tal como eu!

    O desenvolvimento tem coisas engraçadas - pensamos por exemplo que as tecnologias vêm facilitar as nossas vidas e de facto fazem-no! Mas também criam toda uma série de comportamentos e dependências que antes não existiam. Como dizemos muito hoje em dia: faz parte!
    Felizmente hoje em dia também temos estudos que há vinte ou trinta anos não existiam e que hoje nos vêm ajudar a cuidar melhor das pessoas à nossa volta, nomeadamente dos filhos e da sua alimentação. Porém, como em tudo, o conhecimento vale o que vale para cada um. Porque cada um sabe de si e Deus sabe de todos. E é exatamente esta última frase que quero reiterar: cada um sabe de si. Cada pessoa sabe de si, cada casal sabe da sua vida, cada família sabe da sua vida. Isto é algo que deveria ser uma lei visto que existe tanta gente que não se preocupa com estes princípios. Se houvesse uma multa por cada pessoa que se intromete indevidamente na vida de alguém provavelmente já não haveria défice.
    A Joana resolveu partilhar como cuida da alimentação do seu filho, e segundo me parece após inúmeros pedidos. Quando o fez, fê-lo com a ressalva de que era efetivamente uma partilha e que em momento algum estava a fazer juízos de valor sobre o modo como outros pais alimentam os seus filhos. No entanto, para muitos tal não foi entendido como uma partilha mas sim como uma crítica. Custa-me pensar que se a Joana tivesse referido que ocasionalmente dava açúcar ao seu filho não teria sido alvo de um décimo das críticas que lhe surgiram. Porque infelizmente Joana, hoje em dia quem sai da formatação social que impera é que é o extraterrestre. Exemplos?

    Quem não dá açúcar aos filhos (Ai! Coitadinho do menino!), quem não dá telemóveis a crianças (Ai! Coitadinho do menino!), quem não está nas redes sociais (Ai! Como é possível?), quem gosta de preparar alimentos de raíz em casa sem recurso a alimentos industrializados (Ai! És maluca!), quem gosta de cuidar e limpar a sua casa (Ai! Tu não existes!)...

    Joana eu poderia dizer muito mais mas sinto que já me estou a alongar demasiado. Lamento que lhe peçam para partilhar determinados aspectos da sua vida para depois os criticarem sem dó nem piedade mas simplesmente porque de alguma forma há pessoas que acham que podem fazê-lo; e sim, essas pessoas são consideradas "normais" e não os extraterrestres que insistem em habitar este planeta e oferecer uma alimentação equilibrada à sua família. Para si que está a ser criticada porque Oh! Meu Deus! Não dá açúcar ao filho, que criminosa... deixo apenas uma informação de um estudo muito recente que dá conta de que 1/10 (um décimo, 10%) da população portuguesa é diabética. E não são apenas as pessoas de idade - a diabetes cada vez mais atinge faixas etárias mais novas. E não, não acontece só aos outros...

    Um abraço forte!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia, Ana e Joana!

      Reitero, uma a uma, todas as palavras que são ditas. Beijos.
      Rosa Pinto

      Eliminar
    2. Bom dia.
      Subscrevo na íntegra.
      Cristina Costa

      Eliminar
  2. Anónimo09:50

    Um docinho rápido e simples. As maçãs já são doces por natureza, a canela e a baunilha ajudam a "adoçar", e assim não é necessário juntar muito açúcar. A questão do açúcar na alimentação e outras, vão sempre dar muito azo a discussões. As decisões cabem aos pais, e os outros devem respeitar as opções deles. A educação alimentar começa em casa, e quanto mais tarde forem introduzidos os "alimentos proibidos" melhor. Ao terem uma boa base, saberão fazer as melhores escolhas, e terem presente que estes "alimentos" são consumidos pontualmente, não numa base diária. Mas como em tudo, há que haver moderação no consumo. Um grande beijinho, Sara Oliveira

    ResponderEliminar
  3. Muito me espanta a "lata" das pessoas que a criticaram. A família não é sua? O filho não é seu? Por acaso está a impor algo a alguém? Não pois não? O pediatra do filho não está satisfeito por acaso? Tem análises erradas? Está em risco de saúde? Não! Certo? Então é assim: as pessoas que cuidem da sua (delas) vida e não da sua (Joana).
    Bjocas

    ResponderEliminar
  4. Cada pai sabe o que é melhor para os filhos,...
    Adorei esta tarte!
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    http://strawberrycandymoreira.blogspot.pt/
    www.facebook.com/omeurefugioculinario

    ResponderEliminar
  5. Anónimo10:30

    Nada contra, tudo bem.... eu também era assim mas por não gostar mesmo de doces (não que os meus pais não me quisessem dar um docinho de vez em quando). A questão aqui é outra: tenho 40 anos e dentes de leite, a mudança de dentição foi um terror ...saiu tudo no dentista

    ResponderEliminar
  6. Bom dia!!

    Sou da mesma opinião e acho que se podermos evitar oferecer determinados alimentos aos nossos filhos tanto melhor. Claro que não é radical, mas penso que se incutirmos desde cedo hábitos saudáveis alimentares e não só, tanto melhor..

    Bela tarde de maçã. Sou fã de tartes e a sua está muito apelativa. bjinhos

    Tânia Tiago
    Bimby & sabores da Vida

    ResponderEliminar
  7. eu acho que faz muito bem, também fiz isso com o meu filho, adiei, adiei mas também sabia que é inevitável. Mas enquanto nós conseguimos controlar melhor. No meu caso foi a minha cunhada que lhe deu chocolate.... apartir daí foi e é um caos, mas devemos tentar sempre. Faz muito bem.

    ResponderEliminar
  8. Teresa15:37

    Eu gabo-lhe a paciência de responder a certa pessoas! O tempo que levam na net a criticar a vida dos outros,empregavam a fazer comida saudável como a Joana faz!

    ResponderEliminar
  9. Susana15:58

    Eu faço quase o mesmo e o meu filho já tem quase 4...nunca comeu chupas,nem gomas, chocolates, bolachas...não sei se por lhe ter dado poucos doces, mas não liga, prefere salgados, bolachas de agua e sal e galetes de arroz...são opções, e como mãe não tem de se justificar das suas...Um beijinho e não perca tempo a responder a quem não tem mais do que inveja da vida dos outros!

    ResponderEliminar
  10. Gosto bastante
    Mark Margo
    www.markmargo.net (site cor de rosa de celebridades e cinema)

    ResponderEliminar
  11. Adoro tartes de maçã e esta está uma delícia! :D
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  12. Joana mais uma vez parabéns pelo post fantástico !!! Acho que a Joana tem toda a razão na forma com " impõe respeito" naquilo que tenta fazer pela sua família em termos alimentares. Faz muito bem os seus meninos têm tempo para entrar nos " erros" e quanto mais tarde melhor!!!
    Entretanto manter-me-ei " mirando" o seu blogue porque tem uma forma genial de levar a comida à mesa, bem haja!!!!
    Um beijo e continuação de boa semana!!!

    ResponderEliminar
  13. E faz a Joana muito bem em dar o melhor e mais saudável aos seus filhos, se tem tal possibilidade e vontade! Um dia irão provar doces, mas quanto mais tarde melhor!
    Eu sempre fiz o mesmo que a Joana mas a coisa correu-me mal com a mais nova, que a avó, às escondidas, começou a dar-lhe doces a torto e a direito e quando finalmente me apercebi já a gaiata estava uma verdadeira viciada... Hoje, com 14 anos, apesar da minha luta para controlar o mais possível a alimentação dela e de pouco ou nada de guloseimas entrar nesta casa, está com excesso de peso, quase na obesidade!
    Mantenha-se firme na sua opção e não se preocupe com as vozes da oposição!
    Beijinhos para todos aí de casa!

    ResponderEliminar
  14. Gostei bastante desta tarte. Confesso que já fiz uns folhadinhos em que só coloquei a maçã e uma pitada de canela e todos cá em casa gostaram bastante. E sim, é possível viver sem açúcar ou pelo menos sem grandes quantidades. Nós é que fomos criados desde cedo a gostar do dito. Confesso que gosto bastante de doces mas desde que comecei a diminuir o consumo de açúcar, não consigo por exemplo comer a maior parte dos bolos de uma confeitaria. Cá em casa, se escorregar um pouco o açúcar, já tenho queixas de que está enjoativo (geralmente tenho sempre de cortar no açúcar das receitas). Quero com isto dizer que o paladar educa-se e se pudermos atrasar nos mais novos o gosto pelo açúcar e outros alimentos "maus", melhor. Continue a alimentar o seu filho da maneira que achar melhor (vai no bom caminho) e não ligue ao que os outros têm para dizer. A verdade é que cada vez mais as pessoas sentem a necessidade de opinar sobre a vida alheia em vez de se olharem ao espelho. Se todos pensassem como a Joana, se calhar não existiriam miúdos de 15 e 16 anos com 140 kg, não existiria 10% da população portuguesa diabetica, não existiriam tantos AVCs e por aí adiante. Continue como é e espero que não ligue aos comentários negativos. Um beijinho para si e a sua família :)
    Gulosoqb

    ResponderEliminar
  15. que boa!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  16. Anónimo11:00

    Joana é fantástico o seu raciocínio e do mais imparcial possível!
    Tem absoluta razão de que cada pai/mãe/cuidador sabe o que é melhor para a criança.
    Se calhar as pessoas que reagem mal são aquelas que ainda não tiveram coragem de olhar para as suas próprias vidas e verem que vão a tempo de mudar também algum hábito menos saudável :)

    ResponderEliminar
  17. Diana15:44

    Vai ser mais difícil com o António :P
    Boa sorte!

    ResponderEliminar
  18. ¡Fantástica receta! Fácil de elaborar, con buenas fotografías y un resultado final delicioso, me encanta. Muchas gracias por compartirla con todos/as.
    / http://www.mascasaonline.com

    ResponderEliminar
  19. Luisa21:53

    Não só não critico, como agradeço o facto de ter partilhado o tipo de cuidados de alimentação que tem com o seu filho. Sou mãe há pouco tempo, mas sempre me fez confusão como desde cedo se começa a dar açucar aos bebés (papas e iogurtes, por exemplo) .Muitas pessoas não imaginam a quantidade de açucar que estes alimentos têm e por parte dos medicos pediatras também não há, na maior parte dos casos, sugestões de alternativas. Bom seria se a Joana criasse tambem o site das "minhas receitas" para bebé :) Seria um óptimo estimulo para que mães, como eu, tomassem conhecimento das alternativas e das receitas caseiras possíveis de forma a contornar o excesso de açucar dos alimentos comprados. Obrigada por mais este post e pela resposta que me deu no anterior sobre as panquecas do Super Gang

    ResponderEliminar
  20. Anónimo10:37

    Obrigada pela partilha :)

    ResponderEliminar

Imprimir