Filetes de Pescada Tradicionais


É engraçado que, com estes anos todos de blogue, workshops, muita conversa, mails e mensagens trocadas com os leitores, chego muitas vezes à conclusão que há muitas dúvidas acerca de receitas básicas e simples, daquelas que crescemos a comer.
Uma delas são os filetes. Ou porque não sabem como os temperar, ou porque não sabem se primeiro se passam por ovo ou por farinha. Por isso, acho que faz sentido colocar também por aqui estas coisas básicas que nos lembram a comida da mãe e da avó e que ansiamos por repetir da mesma forma.
Sendo os filetes clássicos, optei obviamente por fritar, em vez de colocar no forno. Claro que o podem fazer... Mas não é a mesma coisa. Não ficam tão suculentos. E a regra do “nem sempre nem nunca” existe para estas ocasiões e para estas receitas clássicas que não ficam iguais quando sujeitas a uma forma de cozinhar mais “fit”.
Também faz diferença - mesmo! - usar filetes de pescada fresca, em vez de congelados. Eu usei filetes de pescada fresca, que encomendei novamente na  Peixinho da Lota (sim, entregam também, em casa, o peixe em filetes se assim pedirem!) E cozinhei-os no dia em que chegaram! Eram uns filetes enormes, que tive de os cortar ao meio.... E ficaram realmente deliciosos.

Ingredientes para 4 pessoas:

600g de filetes de pescada (usei frescos)
1 limão
50ml de vinho branco
2 dentes de alho
sal e pimenta q.b.
farinha para panar q.b.
ovo batido q.b.
Azeite ou óleo para fritar

Preparação:

Coloque os filetes de pescada numa taça e tempere com sal, pimenta, os dentes de alho picadinhos, o sumo de limão e o vinho branco. Deixe marinar algumas horas.
Retire depois o excesso de marinada dos filetes, e passe-os por farinha, cobrindo bem. Passe finalmente pelo ovo batido e coloque-os sobre o azeite ou óleo quente deixando fritar até que fiquem dourados, vire-os cuidadosamente e deixe fritar e dourar do outro lado.
Escorra sobre papel absorvente e sirva com uns gomos de limão e acompanhe com arroz de ervilhas ou salada russa.


Bom Apetite!

10 comentários :

  1. Anónimo17:29

    Olá, o óleo deve estar muito quente?
    Obrigada

    ResponderEliminar
  2. Olha que também noto muito isso, as coisas mais básicas é onde têm mais dúvidas...beijinhos

    ResponderEliminar
  3. isaac martins no youtube: https://www.youtube.com/channel/UCXp_wghE64LRGYxL9xcVWTA

    isaac martins no youtube: https://www.youtube.com/channel/UCXp_wghE64LRGYxL9xcVWTA

    Nao opinião sobre isso??? Só quer falar de andar em portugal
    e nada mais? todo mundo rico?

    E putugal que do que? E o mesma merda e pior povo no mundo! E verdade e verdade amigos! Ler meu blog pa mais informaciao, obrigado amigos meus (L)(L)(L)

    Ahhhh putugal, putugal, putugal! Sempre, sempre, sempre chorando e chorando e chorando e chorando por tudo, sempre! Tudo mundo sabe que putugal e o pior merda no mundo, tudos! E mais na palavra "luso' e uma invencao! Tudo nossa historia e fenotipo e Cigano e Arabe. Nao somos lusos. E mais, e melhor que tudo putugal sei uma provincia do Espanha e pronto!

    E nao trabalhos, sempre ficar nas sopas dos pobres tudos dias. Putugal e em estado do merda e nao fix. E verdade e verdade amigos. Esperamos que um tipo de mudança positiva aconteça em Putugal, pois mais de 50% da população, por necessidade, tem que ir às sopas dos pobres para comer. E também, uma melhora no crescimento dos empregos, já que eles estão no país. Por esta razão, muitas pessoas já vão para suas ex-colônias para buscar uma vida melhor e não retornam. Putugal está realmente atolado na merda e ninguém quer fazer nada sobre o assunto. Eles preferem viver em mentiras, o que é isso?

    E lembrate do Wiryamu Mozambique tambem covardes portugueses...lembrate sempre das matanzas portuguesas!

    ResponderEliminar
  4. Anónimo19:33

    Nunca é demais voltar às receitas simples e básicas!
    Acho que muitas vezes este tipo de receitas fica "esquecido" junto de pratos mais "vistosos" e de outras paragens, por "falta de vontade (ou interesse)" de aprender com os pais (avós, ou outros membros da família) acompanhando a sua confeção (lembro-me de algumas alturas quando era pequena), a distância geográfica da família (para interagir ou aprender), ou os próprios hábitos de cozinhar em casa (há pessoas que nunca cozinharam e que de repente têm que o fazer).
    Muitas vezes, os livros de culinária não têm este tipo de receitas básicas, tirando os mais antigos da minha mãe ou as Teleculinárias velhinhas (lembro-me do "Tesouro das Cozinheiras" de Mirene, o "Doces e Cozinhados" de Isalita, o "Cozinha Portuguesa - vol.1 a 3" de Maria Helena Tavares Crato).
    Para fazer, e variar do peixe frito simples (não costumo fazer panados em casa), acompanhado de um arroz a preceito (tomate, pimento, feijão ou de feijão com couve)!

    Um grande beijinho,
    Sara Oliveira

    ResponderEliminar
  5. ¡Maravillosa receta! tengo problemas de estomago y esta receta es perfecta para ello, gracias

    ResponderEliminar
  6. ¡Es perfecto este post! Gracias

    ResponderEliminar

Imprimir